Empresa de Oliveira do Hospital galardoada com bronze em concurso de Vinho

O vinho DOC DÃO tinto 2013 DOS LOBOS foi recentemente galardoado com medalha de bronze no 1º Concurso de Vinhos Crédito Agrícola, patrocinado pelo Crédito Agrícola, em parceria com a Associação dos Escanções de Portugal. O vinho da empresa António F. L. Vaz Patto, Lda., de Oliveira do Hospital, destacou-se entre os 280 vinhos inscritos, 74 vinhos (verdes, branco e tintos) oriundos das regiões vitivinícolas do Vinhos Verdes, Trás-os-Montes, Douro, Beiras, Dão, Bairrada, Tejo, Lisboa, Península de Setúbal e Alentejo.

Esta é a porta de entrada do Dos Lobos, que já está no mercado com outros vinhos, nos DOC, uma aposta que mantém também nos brancos e rosés. “Estamos a falar de um vinho que não é corrente, foi engarrafado em Setembro de 2014. É feito na região demarcada do Dão, com partes das vinhas inseridas no concelho de Oliveira do Hospital”, explica uma das responsáveis, Patrícia Miranda, de uma empresa que até é mais reconhecida por estar associada aos Queijos Serra da Estrela, igualmente premiados, bem como, entre outros, ao requeijão, mel ou azeite. “Com estes novos vinhos pensamos alargar o nosso mercado”, refere.

Este prémio não é nenhuma surpresa para o enólogo luso-descendente Raphael Sena Cardoso Evangelisti que trabalha numa das maiores importadoras do Brasil, no grupo La Pastina / World Wine. “Experimentei essa marca em termos de vinhos correntes em Abril e mostravam qualidade. Não conheço este novo DOC, mas acredito que tenha potencialidades. Normalmente, os vinhos do Dão são de uma qualidade espectacular”, refere Raphael Sena Cardoso Evangelisti que se tem batido pela introdução dos vinhos portugueses no mercado brasileiro, principalmente do Dão. “Os tintos são elegantes, com aromas de frutas vermelhas maduras, notas de especiarias e aquele toque de notas de bosque que encanta, além de ao paladar ter bom corpo com taninos macios”, diz elogiando também os brancos. “São magníficos, são correctos, com óptimo frescor e corpo” frisa este embaixador da região pela UDACA (União das Adegas Cooperativas do Dão).

Este enólogo elogia ainda a aposta da marca Dos Lobos nos rosés DOC. “É fundamental, já que as castas portuguesas são únicas. A Touriga Nacional, por exemplo, revela um rosé maravilhoso, com notas florais, frutas frescas e ao apaladar muito fresco. É um vinho que eu, na minha opinião apostaria para o público mais jovem. Penso que a empresa está a agir bem”, sublinha. “Penso que Oliveira do Hospital é um terroir muito bom, e os enólogos têm que absorver o que há de melhor. Digo isso, porque analiso vinhos do mundo inteiro, inclusive os brasileiros, que pela análise de terroir fazem espumantes magníficos no sul do Brasil e tintos bem característicos na região norte. E sobre o vinho português eu acredito em todo o terroir, porque o português tem o seu diferencial e o seu potencial”, conta. “Como estamos a falar do Dão, eu deixo aqui bem claro que acredito no potencial dessa região de ponta a ponta. São vinhos característicos, elegantes e muito gastronómicos. Na minha análise, em termos de mercado internacional, acredito que falta apenas um pouco de marketing”,concluiu.

LEIA TAMBÉM

Capoula Santos apresentou em Oliveira do Hospital novas medidas de apoio aos agricultores afectados pelos fogos

O Ministro da Agricultura apresentou, ontem, em Oliveira do Hospital, as novas medidas de apoio …

O “Ciclone de Fogo” varreu aquela noite que o foi de (quase) todos os medos… Autor: João Dinis, Jano

Naquela noite de (quase) todos os Fogos e de (quase) todos os medos, morreu Gente …