CDU acusa União das Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira do PS de ter o “ vício do ‘eu quero, posso e mando’”, não fazer obra e de funcionamento “irregular e até ilegal”

CDU acusa União das Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira do PS de ter o “ vício do ‘eu quero, posso e mando’”, não fazer obra e de funcionamento “irregular e até ilegal”

A CDU, em comunicado, acusa a actual Junta de Freguesia da União das Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira de não ter resolvido qualquer problema nos oito meses que leva de mandato. Os elementos daquela força política acusam o executivo de recusar coisas “simples” como “transporte até ao Ervedal ou abrir uma delegação da Junta em Fiais da Beira e Póvoa de S. Cosme, nem que seja apenas um dia por semana”.

“Mas essas e outras condições existem em Vila Franca da Beira e ainda bem que assim é!” [recorde-se que Vila Franca foi liderada por João Dinis da CDU no último mandato], escrevem num comunicado, no qual sublinham que a população já entregou um “abaixo-assinado” (em Dezembro) à Junta, à Assembleia de Freguesia da União das Freguesias e à Câmara Municipal.

“Porém, desrespeitando as assinaturas e as necessidades de largas dezenas de Fialenses e de Povoenses, a Junta PS continua a dizer que nada disso é necessário. Diz que é ‘despesismo’ recuperar as duas Escolas devolutas e que se degradam todos os dias, e diz que não se justifica abrir umas ‘Secretarias’ da Junta lá! A nosso ver, trata-se de uma atitude injusta e arrogante! Própria de quem tem o vício do ‘eu quero, posso e mando’”.

O comunicado refere que na última reunião da Assembleia de Freguesia (30 de Junho), o PS admitiu propor à Câmara a resolução desses problemas. “Pois então, se é essa a dificuldade, volta-se a pôr o assunto à Câmara e desta se espera uma atitude diferente pois o que mais interessa é proporcionar melhores condições de vida à nossa população”, relatam, acusando “as maiorias PS” de teimar “em manter um funcionamento irregular e até ilegal”.

“Por exemplo, a Junta de Freguesia ainda não foi capaz de apresentar as Contas e os Planos de Actividades tal como a Lei e a transparência democrática exigem. E também ainda não apresentou, para aprovação da Assembleia de Freguesia, o ‘Inventário de Bens’ e várias outras situações a que está obrigada por Lei”, contam. E a missiva prossegue com outras acusações, entre elas o facto de a autarquia divulgar as convocatórias públicas para as reuniões no “prazo mínimo de 48 horas que a lei permite”. Um espaço temporal que consideram de tal maneira curto que entendem ser “para que as Pessoas interessadas não tenham tempo de ver a Convocatória e irem às Sessões Públicas (mensais) da Junta”.

Considerando que a Junta apresentou “um papel” onde constam três obras no valor de 36.484 euros, quando o protocolo com a Câmara contempla com uns possíveis 47.050 euros, os autores do comunicado perguntam “onde é que a Junta vai aplicar 10.566 euros que ainda não especificou”.

O comunicado elenca depois um conjunto de obras que a autarquia “tarda em ajudar a resolver”, como “o arranjo – que já tarda e retarda – dos Caminhos Agro-Rurais; a colocação de Placas de Sinalização em vários pontos das Estradas; a iluminação dos Cemitérios de – Fiais – Póvoa – Ervedal – (o de Vila Franca já está). Referem ainda, entre outros, que a Junta da União das Freguesias “em termos históricos, turísticos e culturais…” “continua a ignorar o Castro do Vieiro (ou da Póvoa), uma construção com mais de três mil anos. Ao mesmo tempo, está pouco ou nada motivada em criar um Miradouro (com bom acesso) na Penha da Póvoa, e em promover uma requalificação (em conjunto com a Câmara) das Palheiras de Fiais da Beira. Mesmo o Caminho que passa junto à Igreja Paroquial, em Ervedal, merece ser dignificado”, rematam.

 

LEIA TAMBÉM

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

idosos

Idoso desaparecido em Trancoso

Os Bombeiros e a GNR estão a procurar um homem de 90 anos que foi …

  • António Lopes

    João Dinis: Se impediram o Presidente da AM de cumprir e fazer cumprir a lei, estás a reclamar de quê?

  • Necessidades

    Caro Prof. João Dinis;

    Queria o Sr a estrada do Vale de Ferro arranjada! Quem é que lá vive do PS que tenha andado com a bandeira ás costas?
    Realmente vi várias vezes os Belgas e Holandeses a ajudarem à festa da eleição dos Srs Presidentes da Câmara e da Junta, mas parece que não tiveram a sorte do deputado José Ferreira no que toca ao alcatroamento do caminho.
    Esta gente, em vez de ter criado a galeria de arte “Pátio-velho”, que tão elogiada foi por o poder autárquico mais valia terem apurado a arte do copo e petisco, pois certamente já teriam o caminho alcatroado, para que a clientela Alexandrina se desloca-se até lá sem terem de suportar a nefasta poeira no verão e a lama no inverno.

    Sr. Prof. se quer a estrada alcatroada, reze muito à Nossa Senhora das Necessidades, ponha muitas velinhas, pode ser que o milagre se dê.

  • Ervedalense

    Resultado ao intervalo:
    Jano 3 – Tula 0

  • Vilafranquense

    Ó Jano! Como é que está a “lixeira” atrás do cemitério?
    Não me digas que o Tula que tanto a criticou, ainda não acabou com ela?