Assembleia Municipal pretende ratificar destituição António Lopes que considera este acto mais uma ilegalidade

Em nome da verdade! Autor: António Lopes

Seguindo um modelo que parece ter virado norma, o Senhor Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital aproveita as reuniões do executivo para, à falta de propostas e soluções para a boa governação do Concelho, fazer propaganda e apoucar os adversários ausentes, que como tal, não lhe podem responder. São formas de estar que nos deixam saudade da política com ética que é o normal numa sociedade verdadeiramente democrática.

Como Joseph Goebbels, já que gosta de falar no regime de Hitler, o Senhor Presidente cultiva a máxima de que a mentira, se muitas vezes repetida, vira verdade. Para dizer que, mais uma vez, afirmou o Senhor Presidente, na última reunião de Câmara, ter herdado uma dívida de 7,5 milhões de euros do anterior executivo liderado por Mário Alves. É conhecida a animosidade e o corte de relações, que não por minha iniciativa, mantenho com o Professor Mário Alves, o que me liberta de qualquer suspeita de interesse ou favor para com o mesmo. Ontem como hoje, somos pelo rigor e pela verdade. E, em nome da verdade, tem que se reafirmar: a dívida deixada pelo executivo liderado por Mário Alves foi de 5 084 878,43 euros, como se pode comprovar na página 38, do relatório de gestão da apresentação de contas de 2014, aprovado na Assembleia Municipal do passado dia 29 de Abril.

Lamenta-se esta falta de rigor e o recurso sistemático à mentira, que começou a ser apanágio deste executivo, especialmente do Senhor Presidente da Câmara.

Em 6 de Agosto de 2013, em reunião de Câmara, na presença do Senhor Presidente, Mário Alves, fazendo um balanço do mandato que estava a findar, refutando a mesma afirmação do presidente da Câmara, no Boletim Municipal (ver páginas 1 a 11 da acta desse dia),deixou claro que o executivo liderado por José Carlos Alexandrino, encontrou 2 milhões disponíveis em banco (desde quando dinheiro em banco é dívida…?) e recebeu de obra feita e paga, pela anterior Câmara, o valor de 1 538 825,00 euros.

Também em abono da verdade, terá que dizer-se, que os dois milhões disponíveis para mobilizar, faziam parte de uma autorização de empréstimo aprovada na Assembleia Municipal de 21 de Setembro de 2007, no valor de cinco milhões de euros. É verdade que a não mobilização dos dois milhões custou a mais, em juros, os cerca de 250 mil euros de que fala o Senhor Presidente. As taxas subiram. Mas também podiam ter descido, pelo que é demagógica tal acusação. É verdade que havia compromissos assumidos para mobilizar esses dois milhões. Mas também é verdade que tal empréstimo foi autorizado por unanimidade pela Assembleia Municipal, com o voto favorável do então membro da AM, José Carlos Alexandrino. Qual é a ética de falar neste endividamento se foi aprovado pela Assembleia Municipal, o órgão máximo do Município, e por unanimidade? Não foi um endividamento para investir? A dívida deixada por Mário Alves, de facto, é sensivelmente este empréstimo, todo ele para obras.

No limite, e indo pela interpretação do Senhor Presidente da Câmara de que o dinheiro no banco estava comprometido, a presumível dívida, de facto, seriam 7 084 878,43 euros, a que terá que subtrair-se 1 538 825 00 euros, logo uma dívida liquida de 5 546 053 03 euros (cinco milhões quinhentos e quarenta e seis mil e cinquenta e três euros e três cêntimos). Esta é que foi a dívida, efectiva, deixada pelo executivo de Mário Alves, segundo os documentos apresentados e discutidos nas reuniões de Câmara e Assembleia Municipal lavrados nos documentos oficiais.

Se assim não é, desafio o Senhor Presidente da Câmara a desmentir-me, com documentos, obviamente, como o convido a desmentir-me nos números que tenho apresentado para a EXPOH, lavrados nas actas da Câmara Municipal de 30 de Outubro e 23 de Dezembro de 2014, assim como os custos do preço da água, esgotos e resíduos sólidos, de acordo também com a acta da Câmara Municipal de 5 de Fevereiro passado, e os números truncados ali apresentados, que não coincidem com a realidade e a verdade. Mário Alves tinha muitos defeitos, mas falta de rigor nas contas não era um deles. Como não o era também a falta de transparência que pulula neste executivo e que não temos coibido de denunciar.

Sugerimos mais trabalho, menos propaganda, mais rigor, menos ofensa, mais transparência, menos quezília.

Assembleia Municipal pretende ratificar destituição António Lopes que considera este acto mais uma ilegalidadeAutor: António Lopes

LEIA TAMBÉM

Valorizar os sinais de sofrimento psicológico é o primeiro passo para evitar o suicídio. Autor: Joaquim Cerejeira

Uma pessoa em cada 40 segundos comete suicídio. É esta a estimativa que a Organização …

“Crónicas de Lisboa”: Sinto Saudades do Futuro. Autor: Serafim Marques

Ter saudades do futuro, como assim se a saudade é um sentimento de algo ou …

  • Politicalex

    Lendo a acta fica a perceber-se o carácter do presidente da Câmara. Nas onze páginas vejo é uma lição de política, uma “tareia” dada por Mário Alves, Não vejo, uma única vez, ser postos em causa os números de 3 538 825 00 euros que Mário Alves lhe disse que deixou lá. Na presença,calou-se… Agora nas costas, diz que herdou uma dívida de 7,5 milhões..! Enfim…

  • José Carlos Antunes

    O sr. Presidente está bem ao repetir “a mentira”, mas não deixa de impressionar a preparação do senhor Brito. Este elemento da oposição será que sabia daquilo que se estava a falar? Sabia que este número já foi várias vezes repetido por José Carlos Alexandrino e desmentido? Não. O senhor Brito parece que não sabe nada de nada. Enfim….o sr. João bem que podia ficar em casa. Com uma oposição destas….

    • atento

      O executivo e a oposição estão de mãos dadas na incompetência. João Brito leia agora a acta que devia ter lido antes de ir para a reunião de câmara, o que o teria livrado daquela humilhação…. E querem estes tipos ser alternativa…Tem toda a razão o sr. José Carlos Antunes… Uns mentem, outros nem sabem que os opositores estão a mentir… Valha-nos o Lopes.

      • Futuro Radioso

        Pois… se não for o Lopes a desmascarar estes “contadores de histórias” e a chapar-lhe com as actas nas “fúcias” isto era a lei da selva. Lendo este confronto na acta, fica a saber-se que quase tudo o que o Alexandrino fez já estava aprovado, até o financiamento, do tempo do Mário Alves.O Alexandrino teve que andar na “pesca à linha” para arranjar umas obritas da sua autoria.Confrange este diálogo.Até mete dó a tanta porrada que o MA deu… Em boa verdade, com esta oposição, vamos ter um “Futuro Radioso”…

  • Politicalex

    Na página 6 é que o MA lhe dá forte…”Li algures que o senhor referiu que o Concelho,nos últimos 4 anos, mudou. Mudou no tecido empresarial? Não, está mais enfraquecido, inclusivé o famigerado NDEIB, que nasceu única e exclusivamente para fazer contravapor”..! De tal forma assim foi que se extinguiu, com esta Câmara..! São tão democratas que para não os desmentirem com as actas, já não as deixam copiar..! O MA alguma vez fez isso ó “democratas” PS? De que é que têm medo..? POLITICALEX !!!

  • atento

    E agora Alexandrino acaba de ter uma derrota eleitoral de um tamanho expressivo. Candidato a presidente da Assembleia da Caixa Agrícola, sabe-se lá porquê, não conseguiu ser eleito, pois a proposta foi chumbada pela caixa rica. A caixa pobre vai continuar com os lugares para os mesmos nomeados do Ps obviamente. Estariam uns quantos á espera de uma oportunidade…. mas….

    • Adjunto de ordens

      Já lhe tinham dito que aquilo, não era um clube de futebol nem um rancho folclórico.Todos se lembram que deixou aquilo intervencionado ou a caminho. Lá não podia aumentar impostos nem a água como fez na Câmara…E disse lá, nesse dia, que era um vencedor nato…Pois era, quando o Lopes abancava…

      • accionista

        Faltou-lhe a ajudinha do “falido”, mas ainda a procissão vai no adro.

        • Adjunto de ordens

          Sei que sim… começa a “escorregar” ninguém o apanha… O “chico espertismo” dura enquanto dura…A sorte dele são uns senhores jornalistas que a troco de uns míseros 3 a 4 mil euros ano, de publicidade, se esquecem da dignidade da profissão que escolheram. Não fora isso onde é que já ia…

  • Guerra Junqueiro

    Foi efectivamente mais uma oportunidade perdida por parte do PSD que podia mais uma vez fazer cair no ridículo o Alexandrino pelas mentiras que diz. Foram participações de dois anjinhos, o João porque não soube aproveitar e o Alex porque mais uma vez deu o flanco à comunicação social, que este tema já conhece de trás para a frente.
    Nota-se que o reinado Alexandrino está a acabar. Já esgotou o discurso e as desculpas, o concelho regrediu e o dinheiro gastou-se.
    O rei vai completamente nu.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

    • António Dias

      O descrédito do executivo e da trupe socialista já há muito que é uma realidade,
      agora constatasse a hecatombe deste grupelho ao vermos as sucessivas quedas do líder, que como é lógico vai acabar a falar sozinho pois os que o usaram e
      participaram no festim começam a fazer de contas que não o conhecem e que nunca tiveram nada a ver com ele.
      O rei não vai nu caro Guerra. Já não há rei, há um bobo.

      António Dias

  • Vira o disco e toca o mesmo

    O que se pode constatar, no adro da igreja, bem ao lado do burgo, é que o senhor “gravatas” está-se a preparar para chefiar a Caixa de Crédito Agrícola de Oliveira do Hospital. Dá para retirar uma brilhante conclusão: primeiramente devemos corromper, para, de seguida, podermos vencer! Muito bem senhor presidente!! Está a transformar Oliveira do Hospital na terra onde o mérito se reconhece através das más acções..pelo menos, é o que se diz lá para os lados da fundação…sabe-se lá porquê!!!

  • Olho vivo

    Acho piada ao caga centimos. Diz que a outra comunicação social é toda vendida, mas depois olha-se aqui para baixo e vê-se logo um anuncio da Eptoliva que, por acaso, até é financiada quase na totalidade pela Câmara de Oliveira do Hospital. Não tarda muito também estás novamente a mamar à conta do orçamento. Quem não te conheça que te compre. Tanta cangança, mas lá estás também a mamar. Tem vergonha na cara. É tudo a mesma coisa.

    • António Lopes

      Quer procuração para ir receber o cheque?

      Porque o Mundo me empurrou
      caí na lama, e então,
      tomei.lhe a cor mas não sou,
      a lama que muitos são..
      .
      Com a devida vénia a António Aleixo.

      Já nem lhe peço para assinar, quando bolsa, pois, sei do que são feitos certos “senhores”…

  • Accionista

    Arganil foi tão cruel para o Alex, lá lhe acabou com o sonho de ir mamar uns milhares na caixa.
    Os de Arganil souberam defender os funcionários, pois que isto de socialismo quando toca ao bolso é para por na gaveta.

  • Já foste

    Alex vê os caminhos por onde andas, rapaz toma nota do que te digo, pois tu não penses que tens direito a ir para uma choldra dos colarinhos brancos, Carregueira ou Évora tu vais mesmo para o EP Coimbra.