“1º Compre Local” abriu ontem portas em Oliveira do Hospital

 

… com elogios ao “arrojo” dos cerca de 50 comerciantes presentes.

A cor, o brilho, a moda e os bons negócios estão a tomar conta do silo automóvel, no centro da cidade de Oliveira do Hospital, onde está a decorrer a primeira edição de um certame que pretende colocar o comércio na “rua”, aproximá-lo dos seus clientes e convidar à presença das gentes da região.

Trata-se do “1º Compre Local” entendido como uma “feira de coleções”, semelhante a uma feira outlet, onde produtos de qualidade são disponibilizados a preços convidativos. Um evento a que acedeu perto de meia centena de lojistas da cidade, de áreas diversas como vestuário, calçado, desporto, brinquedos e moda infantil, eletrodomésticos, beleza, entre outros e que se misturam com uma boa dose de animação, com destaque para a realização de dois desfiles de moda.

Enquadrado nas ações da Agência de Desenvolvimento Integrado (ADI) de promoção do comércio local, o “1º Compre Local” é já entendido como uma aposta ganha pela mobilização de comerciantes. “O sucesso deste compre local deve-se à coragem e capacidade que os estabelecimentos comerciais têm de arranjar novos desafios e saber inovar”, verificou ontem o presidente da ADI e vice presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital. José Francisco Rolo louvou, assim, o “arrojo” dos lojistas que, espera, tenham a possibilidade de fazer bons negócios.

Satisfeito pela mobilização dos comerciantes e expectante quanto à adesão dos oliveirenses e gentes da região num “acontecimento para combater a crise”, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital considerou, ontem, ser este o caminho a seguir. “Precisamos de novas ideias, criatividade e ajudar as lojas e as famílias que, hoje têm menos dinheiro”, registou José Carlos Alexandrino que, já de olhos postos na Feira da Queijo onde conta “bater todos os recordes em termos de visitantes”, não esmorece na certeza de que o concelho saberá contornar o mau momento que atravessa o país.

“Atravessamos dificuldades, o desemprego ultrapassou as mil pessoas, mas mais uma empresa vai abrir com 60 pessoas”, sublinhou, verificando que “tem havido um esforço do município para dinamizar a vida económica e social do concelho”.

LEIA TAMBÉM

PSA anuncia produção de carros de lazer na fábrica de Mangualde

Depois de ameaçar encerrar a produção em Portugal, o grupo francês PSA aumenta a pressão …

Câmara da Guarda: Álvaro Amaro exige ser ouvido pelo Governo na estratégia nacional para o lítio

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro (PSD), emitiu ontem um comunicado onde …