Cumprem-se 35 Anos desde aquele feliz Abril da nossa História recente.

25 de Abril, Sempre! Fascismo nunca mais!

35 Anos, uma vida reconquistada para se viver melhor e com mais dignidade.

Hoje, 35 Anos depois, já se receia que em vez de caminharmos para o futuro, estejamos a caminhar para o passado.

Há quem diga que é “da crise”. Ora, os mais conhecidos falsificadores da nossa esperança foram e são os incendiários que atearam e ainda propagam o incêndio da crise e que, agora, querem fazer-se passar por esforçados bombeiros…

Esta grave crise tem na sua origem praticamente três décadas de políticas de direita definidas e aplicadas por sucessivos governos e pela CEE agora União Europeia. Políticas de direita que negam o espírito de Abril e o seu projecto profundamente democrático e humanista.

Portanto, para sair desta crise, são necessárias outras e melhores políticas ao serviço do nosso Povo e do nosso País. Políticas democráticas e de esquerda que retomem o projecto (inacabado e distorcido) de Abril.

Porém, os incendiários da crise, e vendilhões da Pátria, que agora se tentam fazer passar por bombeiros, esses não querem reconhecer estes factos. E não querem reconhecê-lo porque estão a mando e ao serviço do pequeno grupo dos grandes detentores da alta finança e da economia “de casino” que estão a arruinar Portugal e a comprometer a soberania e a independência nacionais. E aqui reside o perigo maior para a própria Democracia.

Entretanto, a violência desta crise está a aumentar, está a dar cabo da nossa vida e a minar a esperança em dias melhores.

Mas, ao mesmo tempo, os tais incendiários da crise, os falsificadores de promessas, estão a presentear com imensos recursos públicos o clube restrito dos grandes vigaristas e maiores especuladores da alta finança. À custa do nosso e de outros Povos.

Não, não há propaganda que iluda esta situação muito, muito difícil e que, passada a ventania eleitoralista deste ano, ainda mais se vai agravar caso continuem aboletados nas cadeiras do poder os governantes de turno e promotores destas políticas de direita.

Mas, “Deus é grande”, como diz o nosso Povo. Por outro lado, muito depende de nós que persistimos no sonho e que queremos uma vida melhor.

Vamos continuar a luta para transformar em realidade o sonho de Abril e de Maio.
Viva o 25 de Abril !

Os neo-fascistas arreganham a dentuça…
O Presidente PSD da Câmara Municipal de Santa Comba Dão, atolado numa gestão danosa do município a que (infelizmente) preside, continua em busca de protagonismo e pelos piores motivos. Desta vez, escolheu o dia 25 de Abril – o Dia da Liberdade – para provocar o regime democrático ao baptizar uma praça da Vila com o nome do fascista-mor que durante 40 anos oprimiu Portugal e os Portugueses.

Dir-se-á que os actos ficam com quem os pratica. Porém, este caso é muito mais complicado.

A Constituição da República Portuguesa interdita as iniciativas fascistas ou fascizantes e a promoção dos valores e da ideologia fascista. O Presidente da República ( e já nem falo do Primeiro-Ministro) jurou respeitar e fazer respeitar a Constituição. Assim, impunha-se a proibição desse acto provocatório em Santa Comba Dão, aliás na sequência de outras provocações institucionais que o mesmo presidente de Câmara – eleito pelo PSD – tem andado a promover. Mas não, e essa “omissão” é ainda pior e mais preocupante que o acto da inauguração em causa.

E, noutro plano, preocupante é também a serôdia promoção, pelo Presidente da República, a major-general das Forças Armadas dum tal oficial dos “comandos” e conhecido patarata militarista.que, no activo, cedo combateu o projecto de Abril e perseguiu os seus camaradas militares do Movimento dos Capitães.

Ou seja, os neo-fascistas arreganham a dentuça com a complacência ( cúmplice…) dos principais detentores dos Órgãos de Soberania.

A História não se repete mas ensina que é nos “caldos de cultura” das crises graves – provocadas pelos políticas e pelos políticos de direita – que os movimentos fascistas e neo-fascistas ganham ambiente para crescer e para “morder” se não forem severamente combatidos. É esse combate que hoje também se trava já. Em nome da Democracia, do bem-estar, da nossa dignidade e da independência nacional.

25 de Abril, Sempre!
Fascismo nunca mais !
* Autarca da CDU – Oliveira do Hospital

LEIA TAMBÉM

Comentários aos resultados eleitorais em Oliveira do Hospital. Autor: João Dinis, Jano

Grande vitória da CDU na Freguesia de Meruge!  A nível municipal, porém, sai muito ferida …

Pensar a República. Autor: Renato Nunes.

Não há pensamento sem tempo livre. Os feriados constituem, por isso, uma oportunidade privilegiada para …