Luís Marques

40 euros à sessão!?!? Autor: Luís Marques.

“Prefiro ganhar 40 euros à sessão, do que treinar uma equipazita e ganhar 100 ou 150 euros por mês”

Este foi o desabafo de um estudante do 2º ano do curso superior de desporto, justificando a sua preferência pela opção de desportos de academia em detrimento da opção do treino desportivo.

Se por um lado me foi fornecido mais um excelente motivo de debate, por outro decepcionou-me em larga escala, senti uma enorme falta de aptidão para ambos os contextos, estando em causa o bom nome do exercício físico orientado e as boas práticas do mesmo, do ponto de vista da saúde e bem estar. Não demovi a ideia do “aluno”, senti que estaria a perder o meu tempo com explicações, com o que considero ser a melhor arma, a experiência e formação. Não debati a opinião dele, pois aprendi que a motivação para fazer algo depende de cada um. Tentei, apenas e só, passar-lhe a ideia da responsabilidade de trabalhar com pessoas, em que o sucesso resulta do sucesso das pessoas.

Diariamente recebo pessoas ávidas de iniciar um processo de treino, e continuo a verificar que o mais difícil não é treinar pessoas, é ensinar pessoas a perceber o que é treinar, e isso sim, isso é um verdadeiro e constante desafio. As várias personalidades encaram o treino das mais diversas formas, se por um lado temos os trabalhadores incansáveis, autónomos e altamente motivados, por outro temos os altamente motivados até à subida da pulsação……ui, já estou cansada(o)!!!

Perante a disparidade de personalidades, o trabalho do monitor de exercício físico será sempre, repito sempre, encontrar o caminho certo de cada pessoa. Dar tempo, questionar, insistir, criar autonomia, acompanhar, corrigir, motivar, etc….até se ouvirem as palavras mágicas “gosto disto”. Quem coloca a questão “40 euros por sessão” ainda não percebe que o exercício físico é uma arma de motivação, e o que resulta com umas pessoas, dificilmente resultará com outras. É necessário “dar” tempo ao exercício e à pessoa, e depois esperar, com naturalidade, a recompensa do tempo “dado”.

São mais as horas dadas às pessoas que as horas ganhas com as pessoas, contudo sei que tudo faz parte do meu trabalho, e que mais dia, menos dia serei recompensado com um “estou interessado(a) em fazer um PT (personal trainer) consigo”, ou mesmo “aquele monitor é excelente”; o que não se ganha no bolso ganha-se na alma, pois a consciência do trabalho bem feito é superior a quaisquer 40 euros.

Verdade é que o trabalho tem de “pagar contas”, e se há algo que não existe na nossa sociedade, é a equiparação do trabalho de excelência com outras áreas. Uma sessão no dentista custa 40 euros, porque não pode custar 40 euros a sessão de PT? Uma consulta num médico especialista custa 60 euros, porque não pode custar 60 euros a sessão de PT? É uma questão de cultura, na nossa sociedade o exercício físico está em crescendo, cada vez mais as pessoas aderem ao contexto desportivo e a pouco e pouco começa-se a perceber a importância do trabalho do monitor do exercício físico.

De uma forma geral os 40 euros por sessão são bem pagos por quem entende a importância do serviço que lhe está a ser prestado, contudo, e perante a realidade e cultura da nossa sociedade, o valor da sessão é definido pelo atleta/cliente, mas mais importante que o rácio valor da sessão e o objetivo do cliente/atleta, é a fidelização do monitor de exercício físico à causa do exercício físico bem feito. Segurança, motivação e sucesso são pilares incontornáveis do trabalho do monitor, a recompensa, essa, virá na altura certa.

Luís MarquesAutor: Luís Marques

LEIA TAMBÉM

Em Vila Franca da Beira houve manipulação pré-eleitoralista, por parte dos candidatos PS, de iniciativa da Câmara que até merecia ter sido mais “limpa”!… Autor: João Dinis, Jano

Em período de pré-campanha eleitoral – que as Eleições Autárquicas vão ser já a 1 …

Batalha de Aljubarrota – A Real Batalha – 14 de Agosto de 1385 – Faz 632 Anos. Autor: João Dinis, Jano

Viva Portugal !  Livre, Soberano e Independente !!!  Viva ! Sim, a 14 de Agosto …