Foi assinado dia 13 de Março, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, o protocolo de financiamento e de cooperação para o Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do município, no âmbito do projecto “Oliveira Finicia –Invista +”.

500 mil euros para empreendedorismo

Assumiram-se como parceiros do município, a Caixa Geral de Depósitos, a GARVAL – Sociedade de Garantia Mútua, S.A., a Associação Comercial e Industrial e Coimbra (ACIC) e o Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação (IAPMEI), com os seus representantes a marcarem presença na assinatura do protocolo.

Com um valor inicial de 500 mil euros a nova resposta ao dispor dos empreendedores do concelho é financiada em 20 por cento – 100 mil euros – pelo município e em 80 por cento – 400 mil euros – pela Caixa Geral de Depósitos. À Sociedade de Garantia Mútua fica reservada a garantia de 75 por cento das responsabilidades de capital assumidas pelo banco.

Para o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, trata-se de “uma semente que está já em fase de germinação, pelo facto de 20 por cento do capital poder ser disponibilizado a fundo perdido”. “Esperamos que a terra onde a semente vai cair esteja tratada, para que a semente se possa reproduzir”, referiu Mário Alves, ao mesmo tempo que desafiou o director da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital a apostar num “curso sobre empreendedorismo”. Na opinião do autarca, só através da “conjugação destes factores”, é que no futuro se poderá afirmar que no concelho existe “uma boa geração de empresários”.

O presidente da autarquia aproveitou ainda a ocasião para “dissipar algumas dúvidas” relacionadas com os parques industriais do concelho. Fazendo uso dos números divulgados pelo director comercial da Caixa Geral de Depósitos presente na cerimónia e que indicavam que “97 por cento do tecido empresarial está nas pequenas empresas”, o presidente da Câmara criticou aqueles que “enchem a boca” para dizer que “não há parques industrias no concelho”, e sustentar que “uma pequena empresa não precisa de um parque industrial para se instalar”. Notou, contudo, que tal depende da categoria de cada empresa, mas lembrou que “existe um parque a Norte do concelho que está deserto”. Considerou, por isso, ser esta uma oportunidade para se “inferir sobre aqueles que estão interessados em investir e em criar bem-estar em Oliveira do Hospital”.

“O vice-presidente é um jovem com talento”

O presidente do município realçou o papel dos jovens no mundo do empreendedorismo, não deixando também de elogiar o trabalho desenvolvido pelo vice-presidente da autarquia na preparação do projecto hoje protocolado. “É um jovem com talento que muitos querem fazer esquecer e de certa forma desprezar, mas é dos jovens que necessitamos”, referiu Mário Alves, para no final da cerimónia também não poupar críticas a “alguns que andam a gravitar à volta da política” e a quem sugeriu que “passem das palavras aos actos e criem eles próprios as pequenas e médias empresas”.

Apelando ao espírito empreendedor da população em geral, o autarca lembrou ainda que “a Câmara Municipal também é uma empresa, enquanto instituição, mas não pode integrar cá dentro todos os oliveirenses”. “Façam os empresários o favor de criar empresas em Oliveira do Hospital”, sublinhou.

Quem não se voltou a escapar às críticas de Alves foram os jornalistas, colocando em causa a sua “formação”. Apelou para que não sejam “mesquinhos na utilização do pensamento e da esferográfica”. “Se a comunicação social desenvolver o seu papel pode fazer algo positivo usando a inteligência ao serviço da sociedade”, considerou.

Liliana Lopes

LEIA TAMBÉM

António Costa visita Góis no próximo sábado

A Câmara Municipal de Góis acaba de confirmar a presença do primeiro-ministro na cerimónia de …

É PRECISO QUE NÃO SE FUJA! URGE QUE SE PENSE. Autor: J.C.Pacheco Alves

Face ao novo tipo de mordaças, por vezes subtis, e que apenas servem para calar …