A elevação na política

Estamos em 2013. É ano eleitoral. As autárquicas disputam-se a 29 de setembro. Em Oliveira do Hospital estão já anunciadas quatro candidaturas – PS, PSD, CDS e CDU. Ainda falta muito tempo para a campanha começar, mas nunca é demais deixar indicações de boa conduta.

A Juventude Social Democrata (JSD) levou a cabo mais uma ação de afixação de cartazes em que denuncia aqueles que acredita serem responsabilidades e erros do executivo camarário no mandato que agora termina. Opiniões à parte sobre a pertinência das mensagens neles contidas, a JSD – e qualquer outra força associativa ou política – tem todo o direito de afixar estes cartazes.

Paulo Mendes, conhecido militante do Partido Socialista, foi acusado pelos jovens laranjas de ter andado pela cidade a arrancar estes cartazes. Caso seja verdade, é uma ação a repudiar. A propaganda política pode e deve ser afixada, contribui para o debate e para a reflexão em torno das questões que coloca.

O socialista recusou as acusações que lhe foram feitas pela JSD Oliveira do Hospital, em comunicado exposto no Facebook da estrutura e enviado à comunicação social. Além disso, acusa Nuno Caetano, vice-presidente da Comissão Política de Secção (CPS) do Partido Social Democrata, de o ter agredido com socos e pontapés. Já agora, o que é que um vice-presidente do PSD faz numa iniciativa da Juventude?

A confirmar-se, estamos perante uma situação de enorme gravidade. Se já é absolutamente deplorável arrancar cartazes, o que é que podemos dizer sobre agredir alguém? A razão que a JSD tinha em queixar-se da atitude do badalado ‘trio socialista’ desaparece toda com a confirmação de uma agressão.

Não me compete, porque não sou juiz, analisar melhor esta situação e verificar quem está a dizer a verdade. No entanto compete-me, neste espaço público, deixar uma mensagem aos intervenientes políticos de Oliveira do Hospital. Não é com violência ou com ataques à democracia, tentando silenciar as iniciativas dos adversários, que as coisas melhoram. Sei bem que, durante muitos anos, não foi desenvolvida a cultura democrática, mas isso tem de continuar a melhorar, para cativar mais gente a participar, a envolver-se e a refletir sobre os problemas.

A política deve ser inclusiva, próxima dos cidadãos, superior a tricas partidárias, apostada no bem comum e no desenvolvimento sustentável. Essa noção continua a passar ao lado de muita gente – há que invertê-lo, até pela força do voto.

Ainda vale a pena dizer que…

• José Carlos Alexandrino defendeu Oliveira do Hospital, esta semana, em Lisboa. Defender a ESTGOH não se faz com publicações no Facebook, faz-se nas instâncias próprias, atuando politica e judicialmente. Ainda bem que ninguém precisou de oferecer um GPS a este Presidente para ele ir a Lisboa.

• A EXPOH está de regresso e com mais expositores que nas últimas três edições. Em ano de crise, continuamos em ciclo contrário. Investir, apoiar as marcas locais, diferenciar Oliveira do Hospital.
• O Nogueirense quer perseguir os lugares cimeiros no campeonato nacional da 2.ª Divisão. Uma equipa que tem marcado pelo aumento de consistência e pelo reforço da sua importância a nível distrital e nacional só pode contar com o apoio e a união de todos no concelho.

Pedro Coelho

LEIA TAMBÉM

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

idosos

Idoso desaparecido em Trancoso

Os Bombeiros e a GNR estão a procurar um homem de 90 anos que foi …

  • Ana Isabel Mota

    «Já agora, o que é que um vice-presidente do PSD faz numa iniciativa da Juventude?»
    Sempre perspicaz Pedro! 😉
    Deixaste boas indicações, falta é serem seguidas, quer de um lado quer de outro… que todos sabemos que nesta história ninguém é santo.

  • Guerra Junqueiro

    Pedro Coelho;

    Para quem não é juiz, faca muito mal ajuizar.

    Permita que discorde de grande parte do que enunciou. Se alguém tem culpa desta situação é a equipa camarária, pois não foi por falta de aviso.

    O dinheiro que o Sr. Presidente poupa em GPS’s parece gastar em advogados, pois é a resposta que tem para todos os erros que cometeu e que comete. Vai-nos sair caro.

    Aproveito para o informar que no facebook de “Cristina por Oliveira” que em baixo transcrevo, tem a informação necessária para ver que outros se preocupam.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

    ” O IPC tomou a decisão de dar por encerrada a oferta do curso de Marketing na ESTGOH, a partir do próximo ano letivo, optando por abrir o curso em Coimbra, no ISCAC. Sobre esta decisão, quis ouvir de viva voz as razões, pelo que fui recebida pelo Sr. Presidente do IPC, Professor Doutor Rui Antunes, no passado dia 17 de Julho. A substituição do curso de Marketing pelo de Desenvolvimento Regional e Ordenamento do Território não é solução sustentável.A ESTGOH é um projeto demasiado importante para o futuro do concelho para ser tratado com paliativos e com a arma mortífera da baixa eloquência de pré-campanha eleitoral.
    Haja decoro!
    E porque tenho formação em História, gosto de recordar o passado. O Sr. Presidente prometeu 3,5 M para a construção de uma nova escola, afirmando que a “A muito curto prazo lançaremos a obra”, garantindo avançar com o lançamento da adjudicação ainda em 2011. (Correio da Beira Serra de 7 de Fevereiro de 2011). Ora, onde está essa obra prometida com tanta pompa e circunstância? Não há. Diga-se ainda, em abono da seriedade que, se a ESTGOH sobreviveu ao verão de 2011, bem o deve à intervenção dos Deputados do PSD! Procuro em vão qual foi a intervenção deste executivo no assunto. Não encontro! Além de discursos inflamados, mas inócuos!
    A ESTGOH tem futuro, com um projeto consolidado no território, com uma identidade própria, com a construção de um consórcio científico envolvendo diferentes parceiros da área da Educação, do Emprego e da Ciência.
    A ESTGOH precisa de asas para voar sozinha.”

  • Adozinda do repolho

    Pedro Coelho
    Não vale a pena perder tempo com o guerra.
    Fala, fala e diz zero.
    A seguir chamar-te-á “ensina burros”.