“…e por cá continua… em casa emprestada”

A ESTGOH veio mesmo

 

Recebi “A Comarca de Arganil” e, como sempre faço, passei a vista pelos assuntos que me pareceram mais interessantes.

Esta edição do primeiro de Janeiro é um marco histórico na vida do conceituado jornal, que comemora 108 anos de vida! Fantástico! Parabéns!

Há meio século, mais dia, menos dia, foi por ela, a “Comarca”, que me ficou o gosto da escrita, e o vício por cá continua – fiz dele profissão, interrompida aqui e ali por razões que não vêm ao caso. Há, pois, um carinho eterno pelo primeiro jornal do meu concelho.

Esta “Comarca” realça os empreendimentos da Câmara Municipal de Arganil e eu, na verdade, como filho do concelho, não posso deixar de me congratular com algumas iniciativas e benesses concedidas pelo Governo.

Também há coisas “feias” (e muitas!) no meu concelho, sem dúvida, mas disso ocupar-se-á a Imprensa local conforme lhe aprouver…

Há uns anos – era presidente da Câmara o doutor Maia Vale – numa tertúlia, falou-se da importância de um pólo universitário na vila; alguém referiu, que seria importante dar passos nesse sentido. Maia Vale, recordo, não era homem para grandes gastos mas achou a ideia interessante. Tempos depois, por volta de 1997, assisti a uma conversa onde o assunto foi de novo ventilado, com um dos intervenientes a dar como certa a presença dos estudos universitários em Oliveira do Hospital; Arganil, uma vez mais, “perdia” para o concelho com quem faz fronteira – disse um dos conviva do serão.

A ESTGOH veio mesmo, e por cá continua… em casa emprestada…

As duas câmaras municipais são dirigidas por eleitos do PSD. Os presidentes usam práticas semelhantes nos contactos com o povo, “misturam-se” com ele, e, com toda a naturalidade, tiram dividendos políticos dessa forma de estar no poder autárquico; haverá diferenças entre os dois, sem dúvida, mas estou em crer que a maior de todas reside no modo como eles se movem pelos corredores do poder central…

Oliveira do Hospital, a cidade, está “enferma”, faz que anda, mas não tem força anímica para “se mexer”; Arganil, a vila, “com alguma saúde”, dá passos seguros. Podem não ser suficientes, mas caminha… Bem vistas as coisas, estou agradado com as notícias da “Comarca” – sempre é a “minha terra” a fazer pela vida.

E os oliveirenses, que dirão? Pelo apanhado dos comentários inseridos na “notícia de última hora” do “Correio da Beira Serra” sobre Arganil, que vai passar a ter um destacamento territorial da GNR, com a coordenação de cinco postos territoriais, anda por ali (nos comentários) raiva da grossa, o que não admira…

– “Pois sim, e o pólo universitário, que Arganil um dia imaginou ser possível no seu território”? – argumentará o “nosso” presidente da Câmara. Se isso tivesse acontecido, pelo andar da carruagem, a esta hora já a “filial” do Politécnico de Coimbra teria instalações novas em folha! Por cá…logo se vê, porque há outras prioridades, como o parque de estacionamento subterrâneo…
“Valha-nos” isso.

Carlos Alberto (Vilaça)

LEIA TAMBÉM

E porque digo eu que o Futebol Clube do Porto é a equipa de futebol mais próxima de jogar como faz o Real Madrid? Autor: João Dinis

Tipo “declaração de interesses”, digo que sou Benfiquista desde que me conheço (tenho 64 anos) …

VIV´Á REPÚBLICA ! Autor: João Dinis

Viv´ó 5 de Outubro, Dia da República !  Viv´ó Feriado do 5 de Outubro que …