A opinião Jovem: Liberdade e Esquerda

Esta ligação de sentido por vezes é incorrecta visto que temos esquerdas que defendem a Liberdade e outras que se opõem a ela.

Eu acredito na Esquerda livre e que defende a Liberdade. Por um lado, esquerda que apresenta ao povo as suas propostas e por ele é julgada em eleições livres, e por outro, Esquerda que se auto-constrói dia-a-dia através da discussão interna que deve ser plural e sem medos.

Com um objectivo pensado, dividi o escrutínio que é feito aos partidos, altos representantes de correntes ideológicas; a externa, que é feita pelos cidadãos em geral, deve acontecer na praça pública sem qualquer tipo de pudores; a interna, que é feita pelos militantes de cada partido, deve acontecer nas eleições internas e nos congressos que são o lugar ideal para fazer com que um partido avance e não fique preso ao passado, a nível ideológico especialmente.

O Mundo pula e avança grande velocidade, da mesma forma também os cidadãos querem dos partidos causas modernas, soluções para os problemas da actualidade. Contudo não nos podemos esquecer das causas de sempre, dos problemas que persistem.

Este conjunto de causas mais e menos recentes tem como elemento unificador os pilares que sustentam os partidos, estes têm de permanecer pois sem eles os partidos não seriam mais que associações corporativistas e fonte de privilégios para alguns.

Se assim fosse eu estaria do outro lado da barricada, do lado de quem se opõe aos partidos. No que diz respeito à avaliação interna dos partidos, gostava de realçar o exemplo do Partido Socialista. Ao contrário de outros, por nós sobejamente conhecidos, que têm sérios problemas na crítica interna, mas sobre isso não devo opinar.

No entanto, o PS remando contra a maré sempre se pautou pela discussão plural no seu seio, sem excluir ninguém por ter ideias discordantes. O PS reúne pessoas diferentes, tanto homens como mulheres, jovens e menos jovens, pessoas com orientação sexual diferente, crentes e ateus, pessoas que pensam o planeta e os seus problemas de forma própria.

Todavia, todos eles são de Esquerda e todos eles lutam diariamente pela Liberdade, pela Igualdade e pela Fraternidade. Por isso, e apesar de todas as diferenças mantêm-se unidos e não têm medo de assumir as suas posições. Pois como dizia Stendhal, escritor francês do séc. XIX, ”Os povos não têm mais do que o grau de Liberdade que a sua audácia conquista ao medo.”

Os oliveirenses souberam nas últimas eleições autárquicas conquistar ao medo a liberdade que não tinham. Ainda não tivemos tempo para ver muitas diferenças entre o executivo PS e o anterior do PSD. Contudo já se notam alterações de fundo no que toca ao relacionamento com os cidadãos.

Agora as pessoas não ficam à porta nem são atendidas no vão de escada, nem é feita distinção entre munícipes. É de valorizar este esforço do executivo do Prof. José Carlos Alexandrino.

Por agora, aguardamos por mais medidas, mas não tenho dúvidas que as políticas de Esquerda vão pulular nos próximos quatro anos e que este concelho vai superar a crise que o assola.

Deixo aqui um verdadeiro desejo de melhoria das condições de vida para todos os leitores e que este ano de 2010, que agora começa, traga consigo novos ventos para este concelho. Ventos de Esquerda, ventos de Liberdade.

João Abílio Almeida

(Estudante de Eng. Física)

LEIA TAMBÉM

Incêndio

Anda tudo a gozar connosco!!! Autor: Luís Lagos

Anda tudo a gozar connosco!!! Eu estou absolutamente farto!!! Fartinho!!! Haverá quem leia este post …

E porque digo eu que o Futebol Clube do Porto é a equipa de futebol mais próxima de jogar como faz o Real Madrid? Autor: João Dinis

Tipo “declaração de interesses”, digo que sou Benfiquista desde que me conheço (tenho 64 anos) …