A solução está nos jovens!

… segundo Comissariado, o da Juventude, que entendia ser sua missão “não tratar os jovens como um problema”. Acrescentava ainda que esta difícil crise que atravessamos, que se vai agudizar em 2009, vai ser especialmente difícil para a faixa etária, dos jovens adultos, entre os 16 e os 25 anos. Falta emprego e faltam, por isso, oportunidades.

Há alguma forma de contrariar esta realidade? Parece-me ser uma boa solução promover e estimular o investimento em capital humano visto que é cada vez mais visto como um elemento fundamental para a inovação e o crescimento. Em resumo, quadros de jovens-adultos altamente qualificados, são sinónimo de conhecimento; novos métodos de trabalho, redes de contactos, “knowledge of knowledge” (saber onde procurar) e uma atitude mental propensa à inovação. No caso particular dos jovens recém-formados trazem ainda entusiasmo e uma abordagem crítica.

Portugal tem vindo a realizar um investimento elevado na formação avançada em ciência e tecnologia, tendo como objectivo um rápido desenvolvimento de competências nestes domínios, com impacto não só ao nível do sector público de investigação, como também ao nível do sector produtivo. Tem havido um forte investimento para as escolas no plano tecnológico e profissional. É minha convicção que o ensino profissional de qualidade nas escolas públicas portuguesas possa contribuir, como parece estar a acontecer, para o inverter das taxas, sempre assustadoras, de abandono escolar e assim dar um contributo fundamental para vencer esta crise e apostar de uma forma séria e credível na Juventude que é, sem margem para dúvidas, o garante do desenvolvimento.

Permito-me apenas concluir, na senda do que defendeu Hirsch, que acredito que os jovens nunca fizeram parte do problema, os jovens são, indubitavelmente, parte da solução. Adivinham-se tempos difíceis mas recordo que temos hoje jovens motivados e altamente qualificados provenientes do nosso concelho que podem contribuir decisivamente para o desenvolvimento da nossa terra.

Oliveira do Hospital enquanto sociedade civil, os partidos políticos e as mais diversas Associações ou Instituições de cariz cultural ou desportivo espalhadas pelo nosso concelho têm que ser capazes de promover e estimular uma aproximação destes jovens adultos e de lhes dar espaço e oportunidade de poderem desenvolver as suas ideias no seio das suas organizações.

João Ramalhete Carvalho
Presidente da Juventude Socialista de Oliveira do Hospital

LEIA TAMBÉM

“Se quiseres ser bom Juiz ouve o que cada um diz”

Solicito a publicação de uma carta que recentemente foi dirigida ao Sr. Presidente da Assembleia de Freguesia de Meruge.

Carta ao Director

Exmº Senhor Director do CBS: