Adesão à Rede das Aldeias do Xisto já mexe em Aldeia das Dez

 

Aldeia das Dez já consta dos roteiros da Rede das Aldeias do Xisto. A adesão oficial da freguesia à ADXTUR aconteceu no passado dia 3 de maio e os efeitos práticos já são visíveis no terreno.

Tal como previsto no Plano de Aldeia elaborado pelo arquiteto municipal, Carlos Santos, o centro histórico da freguesia está a ser requalificado, por forma a se tornar mais adequado à realidade envolvente.

Em causa está um investimento de cerca de 165 mil euros, financiado em 50 por cento por fundos comunitários e que, a presidente da Junta de Freguesia de Aldeia das Dez espera que, possa vir a ser replicado nas restantes localidades da freguesia e seja extensível ao património edificado.

“Esperamos que seja possível lavar a cara de alguns monumentos e até habitações”, referiu Sónia Madeira em sessão pública de apresentação do projeto, onde verificou que a adesão à ADXTUR “está a ser uma mais valia para Aldeia das Dez”.

“Já há ruas com melhor aspeto”, constatou a autarca que, sem deixar de se revelar preocupada com a necessidade de preservação do Solar Pina Ferraz – “está a ruir e não temos meios para solucionar o problema”, frisou – manifestou a gratidão da junta que representa em relação à Câmara Municipal pelo facto de abraçar o projeto da Rede das Aldeias do Xisto. “Merecemos”, frisou Sónia Madeira, lembrando que Aldeia das Dez tem “turismo, localização geográfica e paisagens” para oferecer.

A integrar o grupo de 27 aldeias que forma a Rede das Aldeias do Xisto, Aldeia das Dez representa a abertura da porta Norte de um território a que a ADXTUR pretende chegar.

Tal só aconteceu, pelas mais valias da freguesia e que corresponderam aos critérios estabelecidos pela agência para novas admissões.

“Aldeia das Dez combina recursos e cumpre o objetivo de contribuir para a afirmação do projeto na região”, verificou o coordenador da Rede das Aldeias do Xisto que, também, valorizou o facto de existir população residente e de se tratar de um freguesia com valores patrimoniais susceptíveis de serem trabalhados.

Ainda que o projeto possa causar alguma apreensão entre populares que não associam Aldeia das Dez a uma aldeia de Xisto, Rui Simão lembra que “o Xisto serve de fenómeno agregador, que é cultural e económico”.

Segundo explicou o coordenador da Rede, para além dos trabalhos de requalificação, Aldeia das Dez vai beneficiar ainda de um plano de comunicação destinado à divulgação dos seus serviços turísticos, bem como de um plano de animação, que entre outros aspetos contempla a definição de roteiros turísticos e calendarização de eventos. Entre os objetivos está ainda a adaptação da casa do S a uma Loja das Aldeias do Xisto.

“Foi o meu executivo que tomou esta decisão, que vai marcar a diferença em relação a outras freguesias”

A adesão à Rede das Aldeias do Xisto é, para o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, motivo de “honra e orgulho”, porque “é uma decisão que não vem de outros executivos”.

“Foi o meu executivo que tomou esta decisão, que vai marcar a diferença em relação a outras freguesias”, sustentou José Carlos Alexandrino, fazendo questão de sublinhar que o desafio foi lançado pela Câmara à ADXTUR logo após a tomada de posse do executivo que lidera.

Consciente das potencialidades da freguesia, o autarca sensibilizou a população para a importância que a adesão à Rede das Aldeias do Xisto representa para Aldeia das Dez e freguesias limítrofes. Alexandrino referiu-se em concreto às unidades turísticas que existem por todo o concelho e anunciou ainda a intenção de candidatar a praia de Alvôco de Várzeas às Praias do Xisto.

LEIA TAMBÉM

“O presidente diz que Oliveira está na moda. Adarnela só se for na moda da idade da pedra. Não tem água, nem saneamento”

Quem chega a Adarnela, no concelho de Oliveira do Hospital encontra uma localidade dividida entre …

Cemitério de Nogueira do Cravo vai ser ampliado

A Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital aprovou na sexta-feira o alargamento do cemitério de …