Alexandre Relvas

Adeus. Autor: Alexandre Relvas

11136809_950427044977220_971461567_n

Quando retirares esta dor

retira-a suavemente num

sonho

para te poder libertar no vento;

sorrir-te-ei quando nas entrelinhas

das

nuvens

o teu coração pulsa

para que a chuva me bata na

face

e quando o sol brilhar

como uma dança na minha alma.

hei-de sorrir quando os teus

pés

lentamente dão pulos num

arco-íris junto da nossa casa;

por fim, viverei sem medo

como gotas de chuva

para me tornar num oceano:

silêncio.

Alexandre RelvasAutor: Alexandre Relvas

LEIA TAMBÉM

“Rescaldo” dos Incêndios de 15 (e 16) de Outubro – 2017 Ainda com muita “fumaça” e pouca obra… Autor: João Dinis, Jano

Começar por (re)dizer que são trágicas as piores consequências humanas e sociais dos Incêndios Florestais …

Conto de Natal – A porta secreta. Autor: Renato Nunes

“– Meu filho! Já viste bem todas as prendas que o Menino Jesus te deixou …