Agricultor pede apoio ao Estado por danos causados pelo fogo

O agricultor Germano Neves, de 84 anos, perdeu no ano passado árvores e haveres no fogo que cercou Rio de Mel, concelho de Oliveira do Hospital, e queixa-se de não ter recebido qualquer apoio do Estado.

“Sabe o que é que eu precisava de comunicar ao nosso Governo? Tive muito prejuízo”, declara Germano Luís das Neves à agência Lusa, enquanto faz a vindima tardia de umas uvas tintas à beira da estrada que atravessa a aldeia.

Recorda que “tudo ardeu” em várias propriedades, suas e de oito sobrinhos da diáspora: videiras, oliveira, pereiras, “pinheiros de boa madeira” e três palheiras onde guardava alfaias e pasto para os animais.

“E um homem precisava de ser indemnizado. Eu ando aqui todo esfarrapado, como o senhor está a ver”, afirma, com um sorriso terno.

Entre a resignação e o protesto, o camponês de 84 anos, que só viveu fora de Rio de Mel na juventude, quando cumpriu a tropa em Lisboa, entre radiotelegrafistas e corneteiros, não deixa de expressar o que julga serem os seus direitos.”Todo esfarrapado como eu ando? Se ele me visse assim, o nosso Governo, o nosso Estado, era capaz de dizer: este, de facto, precisa de umas calças”, insiste.

Já teve um potencial comprador das árvores queimadas há mais de um ano, mas não chegou a fechar negócio. “Querem metade para eles e ainda menos de metade para o dono do pinheiro”, satiriza Germano das Neves, que não simpatiza com eucaliptos.

Após o incêndio, em setembro de 2013, milhares de sementes voaram do eucaliptal de um vizinho para um dos seus terrenos. As pequenas árvores nasceram desordenadamente.

“Daqui a amanhã, se os não ralarem, até nem pode lá romper um coelho. Aquilo é uma praga e nem é grande madeira”, garante, ele que também foi serrador nos tempos de rapaz.

noticiasaominuto.com

LEIA TAMBÉM

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

idosos

Idoso desaparecido em Trancoso

Os Bombeiros e a GNR estão a procurar um homem de 90 anos que foi …