Imagem vazia padrãoA empresa Águas do Zêzere e Côa prepara-se para colocar em funcionamento a nova ETAR de Oliveira do Hospital, já no início de Junho, e anuncia outros investimentos de vulto que podem abrir uma nova página, em matéria de tratamento de efluentes domésticos.

Águas do Zêzere e Côa promete virar página negra em matéria de saneamento e distribuição de água

A nova Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Oliveira do Hospital vai entrar em funcionamento já no início do próximo mês de Junho, garantiu ao Correio da Beira Serra o departamento da empresa Águas do Zêzere e Côa (ADZC) que é responsável por a construção daquela infra-estrutura.

“A ETAR está numa fase de pré-arranque, e logo que haja um ajuste da data entre os serviços técnicos do Município de Oliveira do Hospital e a empresa ADZC, dá-se início ao processo de arranque”, revelou ao CBS o mesmo departamento.

Concebida para abranger uma população de cerca de 11.753 mil habitantes, a nova ETAR, representa um investimento da ADZC que ronda os dois milhões de euros, co-financiado pelo Fundo de Coesão da União Europeia em 66 por cento.

O arranque desta infra-estrutura, que vai servir a cidade de Oliveira do Hospital e a freguesia de Nogueira do Cravo, vai implicar a desactivação da antiga ETAR, pois conforme frisou a este jornal a ADZC, “assim que o processo de tratamento o permita, o efluente é conduzido para a nova estação de tratamento”.

Sublinhe-se que a velha ETAR de Oliveira do Hospital – construída em 1975 – esteve durante muito tempo negligenciada e já há muito que tinha entrado em “colapso”. “À medida que nos aproximamos da ETAR, facilmente se percebe que algo não está bem. Junto a um desfiladeiro verdejante por onde serpenteia o ribeiro de Cavalos e de onde se avista uma cascata de águas cristalinas, um enorme silvado encobre parcialmente uma outra cascata. Só que esta é de um imenso caudal de esgotos, que aquela estação de tratamento despeja pela encosta abaixo”, noticiou o Correio da Beira Serra na sua edição do dia 15 de Março de 2006, pondo a nu um problema de saúde pública e também um verdadeiro crime ambiental.

ADZC vai construir mais 13 Estações de Tratamento

Imagem vazia padrãoNa sequência de um conjunto de informação que este jornal solicitou à ADZCD, e que foi respondido por escrito, aquela empresa refere que irá “continuar a investir no sistema de saneamento do concelho de Oliveira do Hospital”. Em curso encontra-se a construção da ETAR de Vila Pouca da Beira, que se prevê esteja concluída “em meados de 2009”.

Ainda em fase de adjudicação, está a empreitada para a construção de seis ETAR nas seguintes freguesias e localidades: Lagares da Beira, Santa Ovaia, Seixo da Beira, Alvôco das Várzeas, Bobadela e Sobreda.

A ADZC garante também que, para o próximo ano, “está previsto o lançamento de mais uma empreitada”, que abrangerá a construção das ETAR de Andorinha, Fiais da Beira, São Sebastião da Feira, São Gião, Travanca de Lagos e Lajeosa. O valor global destas infra-estruturas, representa “um investimento de cerca de seis milhões de euros”.

Sistema Multimunicipal de abastecimento de água arranca no Verão

Numa altura, em que a já anunciada subida dos preços da água tem vindo a suscitar polémica – na assembleia municipal, a CDU tem-se insurgido contundentemente contra esses aumentos – a ADZC referiu ainda ao Correio da Beira Serra que “a empresa e o município estão a acordar uma data para procederem ao arranque do sistema multimunicipal de abastecimento de água ao concelho, prevendo-se o início das operações de captação e tratamento de água a partir da primeira quinzena de Junho de 2008”.

A Águas do Zêzere e Côa, foi constituída em Julho do ano de 2000 e a concessão de construção, gestão e exploração do Sistema Multimunicipal de Abastecimento de Água e de Saneamento do Alto Zêzere e Côa, foi-lhe concedida por um prazo de 30 anos.

Resultando de uma parceria entre a ADP – Águas de Portugal, SGPS, S.A. e os municípios de Almeida, Belmonte, Figueira de Castelo Rodrigo, Fundão, Guarda, Manteigas, Mêda, Penamacor, Pinhel e Sabugal, a Águas do Zêzere e Côa “assumiu, desde o arranque da sua actividade, a revalorização ambiental da região do interior centro e a promoção da melhoria da qualidade de vida das suas populações como os seus principais objectivos”.

Em 2004, deu-se a integração dos municípios de Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Gouveia, Oliveira do Hospital e Seia, abrangidos pela bacia hidrográfica do Mondego Superior, e ainda de Aguiar da Beira no Sistema Multimunicipal de Abastecimento de Água e de Saneamento do Alto Zêzere e Côa.

Henrique Barreto

LEIA TAMBÉM

CDU reclama transporte público até Ervedal da Beira e acusa Câmara de se esquecer de obras importantes

Os elementos da CDU representados na União das Freguesias de Ervedal da Beira e Vila Franca …

Tábua inaugurou posto de carregamento de veículos eléctricos

A Câmara Municipal de Tábua inaugurou hoje o Posto de Carregamento de Veículos Eléctricos. O …