Alexandrino não aceita que “o interior ande a pagar para o litoral”

 

Embora satisfeito com o facto de a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital ter ganho, em tribunal, um processo relativo à deteção de irregularidades no curso de água que atravessa a freguesia de São Sebastião da Feira, José Carlos Alexandrino revelou, ontem, o seu descontentamento pela forma como a Administração da Região Hidrográfica (ARH) do Centro distribui os recursos disponíveis.

Dando conta da favorável resolução do processo movido pela ARH do Centro no tempo do anterior executivo autárquico, o atual presidente da Câmara não deixou de criticar a posição daquela estrutura ao tentar penalizar a autarquia oliveirense, por entender que a autarquia “não pode ter um funcionário em cada sítio para verificar a rede de saneamento”.

“A situação foi ganha por nós porque era uma questão de injustiça”, afirmou José Carlos Alexandrino em reunião pública do executivo, ao mesmo tempo que também se posicionou contra o facto de o município ter uma despesa mensal, para com aquela estrutura, e dela retirar pouco proveito.

“O interior é que anda a pagar para o litoral”, lamentou o autarca que diz estar cansado de “ver todos os investimentos no litoral”. “Cá para cima não há nada”, continuou Alexandrino, contando que por várias vezes solicitou intervenção em açudes e outras estruturas, mas sempre lhe foi dada a desculpa da falta de dinheiro.

“Revoltado” por pagar e pouco receber, José Carlos Alexandrino garantiu ser sua intenção solicitar uma reunião à presidente da ARH Centro, Teresa Fidélis.

LEIA TAMBÉM

Dominado fogo que hoje se reacendeu em Tábua

O incêndio florestal que deflagrou na terça-feira no concelho de Tábua, que esteve em fase …

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Incêndio de Tábua reacendeu-se e mobiliza centenas de bombeiros

O incêndio que ontem deflagrou em Tábua, está novamente activo. O reacendimento aconteceu ao início da tarde …