Alexandrino quer promover feira conjunta e levar mil ovelhas à Avenida da Liberdade

Apesar de, hoje, a chuva ter contrariado algumas das acções previstas para a XIX Festa do Queijo Serra da Estrela e outros Produtos Locais de Qualidade, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, não desanimou e chegou apresentar uma mão cheia de “sonhos” com o objectivo de potenciar uma cada vez maior promoção do queijo Serra da Estrela.

“Sonho em desafiar os presidentes de Câmara a fazermos uma grande feira em conjunto”, confessou o autarca oliveirense, momentos após ter visitado a Festa do Queijo que atraiu uma multidão e contou com a presença do secretário de Estado das Florestas, Rui Barreiro, e do líder nacional do CDS-PP, Paulo Portas.

Reunido no Salão Nobre da Câmara Municipal com os principais intervenientes da recém-criada Plataforma de Desenvolvimento da Região Centro Interior, José Carlos Alexandrino revelou-se empenhado na promoção do produto local que hoje foi rei e que na sua óptica deve ser merecedor de uma grande feira junto do “grande consumidor, em Lisboa e no Porto”.

E, na hora de sonhar, o presidente oliveirense desvendou ainda outro dos seus objectivos, que é o de reunir condições para que todos os municípios produtores de Queijo Serra da Estrela se unam na realização da “maior acção de marketing” e que consiste em levar “mil ovelhas” até à Avenida da Liberdade.

“Garanto-vos que não haveria nada mais poderoso em termos de marketing”, continuou Alexandrino, contando que é também sua intenção avançar para criação de um museu do Queijo que seja “vivo” e onde “as crianças e jovens vejam como se faz o queijo e como se ordenham as ovelhas”.

Conhecedor das preocupações dos produtores locais de Queijo Serra da Estrela, Alexandrino cumpriu com o prometido e alertou o secretário de Estado das Florestas para os “elevados custos” inerentes ao processo de certificação e, para o “conjunto rígido de regras” associado ao licenciamento das queijarias.

Questionando o governante sobre a possibilidade de a própria ANCOSE assumir um processo de certificação que seja “barato” e que dê a garantia de que nas grandes superfícies comerciais “as pessoas não compram gato por lebre”, o edil alertou Rui Barreiro para a necessidade de novos incentivos aos produtores, para que as suas unidades “sejam competitivas” e “os jovens se fixem aqui”.

Olhando para a Festa do Queijo como “um exemplo do valor acrescentado dos produtores”, Rui Barreiro encorajou o sonho desvendado por Alexandrino relativamente à organização de uma feira conjunta.

“A minha mensagem é de coragem relativamente à capacidade de entendimento dos autarcas, para que este produto possa ter uma feira de dimensão nacional e, se transforme num produto internacionalmente conhecido”, referiu o governante assumindo semelhante postura, quanto à ideia do desfile de mil ovelhas pela Avenida da Liberdade. “É uma ideia que deve acarinhar”, referiu.

Para que os custos inerentes à certificação do produto recompensem e não prejudiquem o produtor, Rui Barreiro considerou que é preciso que o governo faça um trabalho de “diferenciação entre o queijo certificado e o não certificado”.

Plataforma de Desenvolvimento conta com o apoio do ministério da Agricultura

Para além do Queijo Serra da Estrela e dos outros produtos locais de qualidade, também a nova Plataforma de Desenvolvimento da Região Centro Interior marcou pontos numa sessão realizada ao final da manhã no Salão Nobre do Município.

“Aquilo parece-me um sonho”, chegou a referir o presidente da Câmara Municipal momentos após a apresentação pormenorizada da nova aposta do município, em parceria com várias entidades como o Instituto Politécnico de Coimbra e o Núcleo de Desenvolvimento Empresarial do Interior e Beiras, oficialmente apresentados como fundadores da plataforma.

Em causa está um projecto que visa “alavancar a actividade económica, melhorar a qualidade de vida e promover o uso sustentável do espaço territorial”. Para o efeito, a plataforma incidirá a sua acção em cinco grandes áreas, nomeadamente a floresta e agricultura, energias renováveis, actividade empresarial, turismo e sociedade”.

“A grande preocupação é o aumento do emprego e a diminuição dos fogos florestais”, explicou Paulo Serra Silva, responsável pela coordenação da plataforma, elencando um conjunto de acções que deverá ser colocado em marcha, no âmbito de um protocolo tripartido entre o ministério da Agricultura, Câmara Municipal e Plataforma de Desenvolvimento.

Embora confiante na boa prossecução das propostas em cima da mesa, o presidente da Câmara não deixa de verificar que a capacidade de concretização das mesmas “vai depender de muita gente e de muitos apoios”.

Satisfeito pelo “primeiro apoio” manifestado pela presença do secretário de Estado, Alexandrino lembrou que o desafio da plataforma é de “transformar o concelho que é hoje um concelho deprimido”.

Convencido de que “o país só é justo e equilibrado se houver capacidade de todo ele se desenvolver”, Rui Barreiro garantiu o seu “empenhamento pessoal” no novo projecto que, assegurou, “também será corroborado” com o do ministro da Agricultura.

LEIA TAMBÉM

EM OLIVEIRA DO HOSPITAL APROVEITAMENTOS ELEITORALISTAS DO PS E SEUS PRINCIPAIS AUTARCAS-CANDIDATOS MANCHAM JÁ A DEMOCRATICIDADE DO PRÓXIMO ACTO ELEITORAL A 1 DE OUTUBRO ! Autor: João Dinis, Jano

Estamos a assistir a um frenesim eleitoralista por parte de “facção” do PS local envolvida …

CDU apresenta queixa na CNE contra executivo e autarcas do PS oliveirenses por aproveitamento “eleitoralista, ilegítimos e antidemocráticos”

Depois do PSD, a CDU de Oliveira do Hospital enviou também uma queixa à Comissão …