Alunos da Universidade de Aveiro recuperam brinquedos para oferecer a crianças carenciadas no Natal

Alunos da Universidade de Aveiro (UA) vão reparar dezenas de carros, motas, comboios e aviões de brincar, bem como jogos, instrumentos musicais electrónicos e muitas bonecas e peluches. O objectivo é recuperar estes brinquedos em segunda mão e estragados nas oficinas do Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática (DETI) UA para que na noite de Natal sejam entregues a crianças economicamente desfavorecidas. A iniciativa junta a solidariedade à possibilidade dos futuros engenheiros electrónicos aplicarem os seus conhecimentos em casos reais.

Os brinquedos vão depois ser doados à Pediatria do Hospital Infante D. Pedro, em Aveiro, e à Cáritas Diocesana, também de Aveiro, instituições que vão fazer chegar os presentes às crianças de famílias carenciadas. E, além das reparações, os estudantes estão também a adaptar brinquedos electrónicos para que possam ser utilizados por crianças com necessidades educativas espaciais.

O projecto, que dá pelo nome de Sharetoy, é da responsabilidade dos estudantes do IEEE Student Branch da UA e do Núcleo de Robótica Diversificada (NERD) do DETI que numa primeira fase, apelaram à comunidade académica para doar brinquedos usados ou mesmo que estragados. “Para além de querermos melhorar o Natal de muitas crianças com a entrega dos brinquedos recolhidos, queremos também que esta iniciativa tenha um caráter pedagógico para os estudantes da UA”, apontam os responsáveis pela iniciativa Pedro Magalhães e Miguel Ferreira, respetivamente do IEEE Student Branch da UA e do NERD. Para quem ainda quiser participar, seja com a entrega de brinquedos, seja com uma mãozinha, podem entregar os brinquedos nos pontos de recolha espalhados pelo campus ou ajudar nas oficinas, que abrem as portas todas as quartas feiras.

“Por vezes esquecemo-nos das dificuldades que algumas famílias sentem e o quão difícil é despender algum dinheiro em brinquedos para as crianças”, lembram. Por isso, “o ShareToy pretende dar um sorriso a essas crianças enquanto cultiva a partilha de experiências e de conhecimento entre os estudantes”.

O trabalho de reparação, que envolve várias dezenas de estudantes, sobretudo do Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica e Telecomunicações, está a decorrer desde Novembro naquela que é uma autêntica fábrica de montagem e reparação de brinquedos. No espaço improvisado no DETI há mesmo vários ateliers – entre o de impressão e modelação 3D, o de limpeza e costura, o de adaptação, diagnóstico e o de reparação electrónica – por onde, e dependendo da área de interesse, os estudantes podem escolher dar o seu contributo.

LEIA TAMBÉM

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

idosos

Idoso desaparecido em Trancoso

Os Bombeiros e a GNR estão a procurar um homem de 90 anos que foi …