Alunos foram “empreendedores por um dia” na feira de Oliveira do Hospital

Vender pequenos sacos pretos e vermelhos recheados com gomas e acompanhados por uma doce mensagem foi a ideia de negócio que Daniel Marques e os colegas decidiram apresentar, esta manhã, na feira de Oliveira do Hospital.

Os jovens que deixaram o tradicional cesto de lado e decidiram recorrer a um tacho para transportar o doce produto queriam assim escoar, a 50 cêntimos cada saco, o stock, recorrendo para isso à abordagem direta junto dos potenciais clientes, deslocando-se por todo o recinto da feira.

Alunos do curso de Instalações Elétricas da EPTOLIVA, Daniel Marques e os amigos, foram apenas alguns dos jovens que, hoje, rumaram à feira de Oliveira do hospital para abraçar a iniciativa “Empreendedor por um dia”, lançada pela Câmara Municipal de Oliveira do Hospital no âmbito do projeto “Empreendedorismo de Base Local”, desenvolvido pelos 14 municípios da Comunidade Intermunicipal do Pinhal Interior Norte (CIMPIN).

Foi o que também fez João Brás e outros colegas do curso técnico de Turismo da Escola Secundária de Oliveira do Hospital que apresentaram uma ideia de negócio, na área do lazer, do Tiro ao Alvo, com direito a bónus.

À frente de uma banca onde era possível consumir produtos caseiros, como crepes e outras iguarias, Adriano Silva, do curso técnico de Turismo da EPTOLIVA não esconde a vontade de ter o próprio negócio. “Gostava de abrir um café se tiver condições para isso”, referiu o jovem que se apresenta como “especialista a fazer crepes”.

Menos ambicioso mostrou-se Diogo Fonseca que apesar de apresentar um negócio de venda de vestuário e acessórios em segunda mão, por 2 Euros cada peça, referiu não ser esse o sonho da sua vida. “Ainda é muito cedo para pensar nisso”, referiu o jovem de 17 anos que estuda Turismo na EPTOLIVA , mas que não tem perspetivas quanto ao futuro profissional.

Bolas anti-stress e porta chaves foram alguns dos produtos que, esta manhã, também serviram de base a ideias de negócio. Uma iniciativa abrilhantada por uma sonante ideia que juntou dois alunos na banda “o Tó e o Bicho” e convidava os apreciadores a contribuir com uma moeda.

De entre a gastronomia, destaque também para os salgados do grupo da aluna Rita Pinto, do curso de restauração e bar da Escola Secundária de Oliveira do Hospital.

A área da Saúde também não escapou às ideais de negócio, com três jovens empreendedoras a liderarem um potencial negócio de mediação de valores como o peso, índice de massa corporal e tensão arterial.

Uma iniciativa que para feirantes e clientes foi diferente e que é entendida pelos professores que acompanham os alunos como sendo “extremamente importante”. “Permite mostrar aos alunos que a vida não é fácil e que muitas ideias se podem converter em negócio”, referiu o professor Nuno Nunes da EPTOLIVA, que elogiou a proatividade dos alunos que ao se depararem com a reduzida clientela, deixaram a banca e passaram a circular com o produto pelo recinto da feira. “Eles viram que os clientes não vêm ter connosco e que é preciso arranjar formas de divulgação”.

“Empreendedor por um dia” é apenas uma iniciativa do projeto de base intermunicipal que permitirá também a participação dos alunos num concurso de ideias de negócio que abrange os 14 municípios da CIMPIN.

LEIA TAMBÉM

Jovens cientistas da EPTOLIVA de Tábua desenvolvem Compósito Antisséptico e conquistam segundo lugar na XI Mostra Nacional de Ciência

Jovens estudantes da Eptoliva, na Tábua, no distrito de Coimbra, desenvolveram uma solução desinfectante a …

A escola ou a escolinha (?). Autor: António Ferro.

Durante várias décadas, fui assistindo às mudanças (algumas drásticas e escusadas) no sistema de ensino …