Sampaense perde título da Proliga para Illiabum

O Sampaense precisava de duas vitórias para conseguir o quinto jogo em Ílhavo para poder voltar a ser campeão.

Sampaense 68 – 66 Illiabum
Cedo se percebeu que este seria um jogo especial, não só pelo que estava em disputa dentro de campo, como também pela quantidade de adeptos presentes na bancada.

Minutos antes do início da partida a festa nas bancadas mostrava-se memorável. Se de um lado os adeptos de Ílhavo gritavam pela sua equipa esperando resolver no terceiro jogo da eliminatória, do outro lado os adeptos da casa tentavam motivar a sua equipa para uma vitória que adiasse a entrega do título.

O jogo iniciou-se rápido e disputado, com a equipa visitante a ganhar uma ligeira vantagem. Mesmo sem um dos seus elementos mais valiosos, o Sampaense puxou do seu orgulho e equilibrou o marcador fruto de uma excelente prestação defensiva. Após a recuperação a equipa beirã conseguiu terminar o primeiro período a vencer.

No segundo período viu-se o rendimento colectivo de ambas as formações descer um pouco devido a vários “turn-overs” que aumentaram ainda mais a euforia dentro e fora do campo. Mesmo com menor acerto ofensivo foi novamente o Sampaense a levar vantagem no parcial do período e foi para intervalo a vencer por 37-33.

Nas bancadas fazia-se a festa a duas vozes, mas era o basquetebol que estava a ser celebrado da forma mais alegre e cordial possível. São jogos destes que elevam a modalidade e quem esteve no pavilhão comendador Serafim Marques viveu um desses momentos.

O terceiro período foi o mais equilibrado de todos. Não só pelo empate no parcial destes 10 minutos, mas também pelo que as equipas produziram em campo. Os ataques muito perdulários alternavam com posturas defensivas bastante eficazes, o que se traduziu num elevado número de “turn-overs” mas poucos pontos concretizados.

O quarto período foi sem dúvida o mais emotivo uma vez que o Illiabum conseguiu passar á frente no marcador e deixou o Sampaense dependente de uma reacção heróica para vencer o jogo. A equipa visitante apresentou melhores argumentos no seu banco, ao contrário da equipa da casa que acabou por rodar só um dos seus jogadores. O americano Kendell Craig acabou por fragilizar a equipa pela sua ausência, por isso foi pedida maior capacidade de sofrimento aos restantes jogadores.

A reacção que Emanuel Seco pediu aos seus homens acabou por acontecer e, num final intenso, o Sampaense conseguiu uma vitória sofrida mas também merecida devido ao esforço e empenho dos seus jogadores.

O público de ambas as equipas foi exemplar e o espectáculo foi digno de uma transmissão televisiva, pena é ver que esse privilégio está guardado unicamente para outras divisões.

O MVP da partida foi Hélder Carvalho com 12 pontos, 8 ressaltos e 4 assistências. Em igual destaque no Sampaense estiveram Juan Wyatt com 19 pontos e Anastácio Sami com 17 pontos.

No Illiabum evidenciaram-se James Robert com 17 pontos, Francisco Rodrigues com 16 pontos e Miles Daniels com 14 pontos.

Sampaense 79 – 95 Illiabum

Segundo jogo, emoções semelhantes ao primeiro. Ao Sampaense só a vitória importava para ainda ter esperança, para o Illiabum uma vitória dava campeonato.

O pavilhão novamente cheio vibrou desde cedo. Muito público se deslocou para ver mais um jogo emotivo, muitos locais e muitos de Ílhavo.

A maior preocupação residia mesmo em saber quais os níveis de desgaste físico acumulado nas pernas dos jogadores do Sampaense para este jogo, uma vez que houve pouca rotação no dia anterior. Por parte dos visitantes esperava-se por ver como estavam os seus níveis de ansiedade.

O primeiro período iniciou-se de uma forma inesperada, uma vez que alguma apatia da equipa da casa levou a que o Illiabum conseguisse uma vantagem significativa logo nos primeiros minutos. Com o passar do tempo, a equipa da casa reorganizou-se e melhorou os seus níveis atacantes conseguindo reduzir a diferença no marcador para apenas 2 pontos no final dos primeiros 10 minutos.

O segundo período foi decisivo na definição final do resultado. Nesta fase a equipa visitante conseguiu uma boa vantagem fruto do seu jogo exterior muito eficaz, mas ainda assim o Sampaense conseguiu sempre não deixar definitivamente o jogo, conseguindo ir para intervalo com uma desvantagem de 10 pontos.

Nas bancadas fazia-se a festa, mais por parte do público de Ílhavo, mas cabia à equipa do Sampaense tentar dar a volta e recuperar o trilho da vitória.

O terceiro período foi demolidor para as aspirações beirãs. A continuidade do exímio jogo exterior visitante massacrou a defesa da casa. Aquele que é reconhecidamente o ponto forte da equipa de Ílhavo entrou em acção e desconcertou os homens de Emanuel Seco. Tentando reagir, a equipa da casa sempre que conseguia recuperar um pouco deixava em aberto situações contra-ataque para os visitantes aproveitarem.

Nos minutos finais era já muito difícil para um Sampaense desgastado reagir e a vantagem acabou por se dilatar até ao término da partida.

O Illiabum foi justo vencedor de uma final emocionante onde a equipa do Sampaense mesmo reduzido no seu número de unidades disponíveis ainda conseguiu uma vitória conseguindo assim o 3-1 final. 

O MVP da partida foi Juan Wyatt com 25 pontos. Estiveram em igual destaque no Sampaense Jorge Sing com 25 pontos e Anastácio Sami com 15 pontos.

No Illiabum destacaram-se Miles Daniels com 26 pontos, James Robert com 20 pontos e Vasco Estêvão com 16 pontos.

PNV

LEIA TAMBÉM

Gouveia recebe Campeonato Mundial Trial de motos

O Parque da Senhora dos Verdes, em Gouveia, vai receber, entre os dias 23 e …

Luís Mota voltou a vencer as 100 milhas do Oh Meu Deus – Ultra Trail Serra da Estrela

O atleta Luís Mota, do Clube do Benfica de Abrantes, venceu as 100 milhas do …