Ancose apreensiva com incumprimento do Estado e dificuldades dos pastores

 

… os atrasos nos pagamentos por parte do Estado e as dificuldades que “afligem” os pastores.

Oliveira do Hospital acolhe este fim de semana a 22ª Festa do Queijo Serra da Estrela e Outros Produtos Locais de Qualidade.

Um acontecimento que tem vindo a crescer em termos de organização e de visitantes que atrai, mas que não desvia as atenções daquilo que são as preocupações em torno do setor. Com quatro mil associados, a Ancose – Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da Estrela está sobretudo preocupada com as dificuldades por que passam os pastores que a “todo o custo” vão resistindo às exigências que o governo impõe.

“Estou muito apreensivo”, confessa o presidente da direção da ANCOSE que começa a a antecipar um crescente abandono da pastorícia pelo facto de muitos pastores não terem forma de fazer face às novas obrigações, como é o caso do tanque de frio para o leite.

“Um pastor com dificuldades financeiras não consegue”, avisa Manuel Marques que, para além de recear pelo abandono da atividadae, verifica um cada vez maior desinteresse dos jovens pela atividade porque “não a vêem rentável, nem com segurança”.

À frente de uma estrutura que presta apoio aos associados produtores de ovinos Serra da Estrela, Manuel Marques assiste a uma redução do número de pastores e de ovelhas, bem como ao crescente desinteresse pelo processo de certificação, com o qual não concorda na totalidade, temendo por isso pelo futuro da ovinicultura e do queijo serra da Estrela. Preocupações que Manuel Marques fará questão de transmitir ao secretário de Estado da Alimentação e Investigação Agroalimentar que, amanhã pelas 15h30, estará de visita à ANCOSE. Em cima da mesa estará também o incumprimento do Estado junto da ANCOSE relativamente aos programas de melhoramento animal e intervenções médico sanitárias.

“O Estado ainda não pagou nada de 2012”, refere Manuel Marques, notando estar em causa uma dívida na ordem de 100 mil Euros. Um montante que, garante o dirigente, “muita falta faz” à Associação que nos últimos meses se tem preocupado em regularizar a situação financeira, tendo já “liquidado uma dívida de 150 mil Euros de subsídios recebidos indevidamente”. “Neste momento seguimos no bom caminho”, assegura o responsável que também se regozija por estar a conseguir regularizar os salários dos cerca de 20 colaboradores da Ancose.

“A arrumar a casa”, a direção da Ancose conta levar por diante e melhorar o apoio prestado aos produtores quer na melhoria animal e intervenção médico sanitária, como também na preparação de novos projetos. A par disso, a Ancose mantém um pequeno rebanho e prossegue na produção de queijo, requeijão, manteiga e queijo creme.

LEIA TAMBÉM

CDU reclama transporte público até Ervedal da Beira e acusa Câmara de se esquecer de obras importantes

Os elementos da CDU representados na União das Freguesias de Ervedal da Beira e Vila Franca …

Tábua inaugurou posto de carregamento de veículos eléctricos

A Câmara Municipal de Tábua inaugurou hoje o Posto de Carregamento de Veículos Eléctricos. O …