António Lopes diz que saída de Liliana Lopes se deveu a linha editorial do CBS e acusa “encomendadores de notícias” de lhe deverem mais de 232 mil euros

António Lopes diz que saída de Liliana Lopes se deveu à linha editorial do CBS e acusa “encomendadores de notícias” de lhe deverem mais de 232 mil euros

O empresário António Lopes reconhece que existiram salários em atraso para com a jornalista Liliana Lopes, mas garante que não foi esse o motivo que levou à ruptura com directora do Correio da Beira Serra, como hoje surgiu noticiado, em simultâneo, em dois media locais, sem que a ex-directora do CBS tenha sido ouvida. António Lopes, que se encontra fora do país, refere, como causa da divergência, a linha editorial que estava a ser seguida “nos últimos tempos pelo CBS”. “O dever do bom jornalismo é escrutinar o poder, todo o poder, foi isso que se pediu e pede, a todos quantos trabalharem no CBS”, refere. E acusa os “encomendadores de notícias” de lhe deverem mais de 232 mil euros.

António Lopes garante que, na notícia que agora veio a público, não foi contactado para ter direito ao contraditório, como manda o código deontológico. “Claro que não estamos a falar de órgãos de comunicação Social. Todos sabemos o que são e como sobrevivem”, frisou, adiantando que não é esse o jornalismo que defende. “Escrever à medida das necessidades da barriga, deixamos para outros. Recusamo-nos a ser avençados e ser vozes do dono”, resume. O empresário nem sequer estranha que a notícia tenha saído em simultâneo em órgãos de comunicação locais, como se a antiga directora do CBS tivesse dado uma conferência de imprensa.

Liliana Lopes diz não ter sido ouvida

O Correio da Beira Serra, porém, falou com Liliana Lopes que garantiu não ter sido contactado por qualquer dos elementos que fizeram as notícias. E, sublinha, que em nenhum local das notícias existe qualquer afirmação sua. “Ninguém falou comigo, mas as pessoas é que são responsáveis por aquilo que escrevem”, sublinhou a ex-directora do CBS. “Não quero fazer mais comentários. É verdade que rescindi, mas apesar das nossas divergências, foi tudo muito pacífico com o senhor Lopes. Comprometeu-se a pagar-me tudo o que era devido e acredito plenamente na sua palavra”, explicou, sem querer tocar mais no assunto. “O que quero é viver a minha vida sossegada”, rematou.

Antes da saída da jornalista, houve uma troca intensa de mails entre proprietário e directora, onde se nota a discordância em termos editoriais. Num deles, António Lopes explica que não está “em ‘cruzada’ com ninguém”. “Luto, pelo que luto há 40 anos, com muitos prejuízos pessoais”.

Nesta troca de correspondência, António Lopes salientou que pretendia apenas “liberdade de expressão e um jornalismo independente”. “Mostrei o meu desagrado. Reafirmei que o dever do jornalismo é escrutinar o poder. Todo o poder. Ela não se identificava com a linha tradicional do jornal e eu recusava-me a transformar o CBS numa outra ‘Folha do Centro’”. Liliana Lopes terá, posteriormente, enviado uma carta de despedimento. “Acordámos a indemnização de lei e fizemos um acordo de pagamento que vamos a cumprir, uma vez que só estava dependente de eu poder mobilizar o dinheiro, o que já foi conseguido”, sublinha o proprietário do jornal.

O empresário deixa ainda uma acusação àqueles que “classifica como encomendadores de notícias”. Garante que este grupo, no seu conjunto, lhe deve um total de “232 mil euros mais uns juros”. “Nos dias de Assembleia costumam lá estar, todos, em funções. Se andam tão preocupados, se lhes repugna tanto, paguem. Escusava de andar a passar estas vergonhas de não pagar os salários o que, de facto, me custa muito”, sublinha António Lopes. Reafirma que o CBS deu e dará prejuízo, mas que por formação é contra os despedimentos. “O normal é quando as empresas dão prejuízo encerrá-las. Não o fazemos”, rematou.

 

LEIA TAMBÉM

Capoula Santos apresentou em Oliveira do Hospital novas medidas de apoio aos agricultores afectados pelos fogos

O Ministro da Agricultura apresentou, ontem, em Oliveira do Hospital, as novas medidas de apoio …

O “Ciclone de Fogo” varreu aquela noite que o foi de (quase) todos os medos… Autor: João Dinis, Jano

Naquela noite de (quase) todos os Fogos e de (quase) todos os medos, morreu Gente …

  • Ulveirense

    António Lopes confirma ter havido uma intensa troca de e-mails com a antiga diretora do Beira Serra?
    Continua a haver essa intensa troca com o novo Tele-Director?

    • Ai deixa

      É email para cá, email para lá.
      Deus te livre. Prepara o pêlo.

  • Pritágoras

    Sr António Lopes…
    O que é que o jornalismo tem a ver com dívidas?
    Então, quando emprestou o dinheiro, não sabia(previa) que nunca mais lho entregariam?
    Não conhece o antiquíssimo ditado, de popular sabedoria, que nos instrói dizendo que “se queres perder um amigo, empresta-lhe dinheiro?”
    PIOR, AINDA, QUE O DESENVOLVIMENTO DESSE VELHO DITADO, NOS TEMPOS QUE CORREM, SEJA ADULTERADO PARA: “Parvo foste tu, quando mo emprestaste, e, agora, em vez de salvador, ao tempo, amigo, passas a ser meu inimigo…porque negarei sempre que mo emprestaste, porque agora estás doido e teso?

  • Guerra Junqueiro

    Tal como se previa, encomendaram a noticia aos mídia que deles dependem.
    Vamos ver, se têm a coragem de pedir as devidas desculpas aos leitores e à Liliana Lopes.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • António Lopes

    Há os suficientes e necessários.Num tempo em que os Conselhos de Ministros já são por mail não vislumbro a aversão às novas tecnologias…

  • António Lopes

    O problema do nosso jornalismo é apenas este!!!

    EXISTÊNCIA DE CONTRATO DE PUBLICIDADE COM O JORNAL “AS
    BEIRAS” ———————————————————————————————————–
    ——–O Vereador Mário Alves referiu-se ao jornal “As Beiras”, lembrando que na última reunião
    de executivo o Sr. Presidente da Câmara não respondeu à questão que lhe colocou relativamente à
    existência ou não de contrato com aquele jornal. Pretende assim saber se efetivamente existe ou não
    contrato de publicidade celebrado com o jornal “As Beiras” e bem assim qual o valor do mesmo. —
    ——–Sobre o assunto, o Presidente da Câmara informou que a Câmara Municipal celebrou um
    contrato de publicidade mensal com o jornal “As Beiras” de página e meia/ duas páginas inteiras de
    publicidade alusiva ao concelho pelo montante de 500,00 € (quinhentos euros)/mês.——————-
    ——–O Vereador Mário referiu que “foi uma forma que a Câmara Municipal arranjou para
    «assegurar uma avença para o Sr. Paulo Leitão»”

    • Mamões

      Muito bem vivem estes jornalistazinhos de trazer por casa, a fotoshopar o Sr. presidente da Câmara.

  • Paulo Leitão

    Já lhe disse no facebook da CentroTV, mas digo-lhe também aqui, que a MENTIRA tem perna curta.
    Essa afirmação do ex-vereador Mário Alves, aqui transcrita por si, ex-presidente da assembleia municipal, é uma MENTIRA que será esclarecida nos locais próprios.
    O contrato que existia era entre o Diário As Beiras e a Câmara. Eu nunca recebi qualquer cêntimo desse acordo que existia com o referido, tal como acontece com imensas Câmaras de todo o país.
    Quando receber a indemnização pela calúnia que você e o Mário Alves me levantaram – bem sei que será difícil, porque não tem nada em seu nome, a não ser a reforma e essa alegadamente já estará penhorada – o dinheiro irá para a sua filha, de forma a ajudar a pagar as irresponsabilidades que o pai lhe atirou para cima.

    • Amigo do Tó

      Paulo Leitão.
      Conselho de amigo.
      O que o Lopes disse está fundamentado com documentos que toda a gente pode consultar. Não se encontra em lado algum que ele tenha referido o teu nome.Estás a cair no ridículo, e a dar razão a quem pensa que só sobrevives com o dinheiro da câmara. Mete “a viola no saco”, pois não tens unhas para dedilhar este fado, nem dinheiro para lhe pagares a indemnização caso tivesses a coragem de avançar com o processo que nunca ganharias.
      Agora gostei de ler, essa de dares o dinheiro à filha. Foi ideia do teu amigo Henrique? É que ele recusou essa proposta que o Mário Alves lhe fez, e depois perdeu e o dinheiro em vez de ir para os filhos, deu-o o Mário Alves à ARCIAL.
      Pobre leitão, estavas tão bem em casa sossegadinho.

    • EXparvo

      Afirmação do EX-vereador, transcrita por o EX-presidente, relativa ao EX-jornalista que quer um dinheirito EXtra.

    • Não me esqueço

      Oh Paulinho, em vez de dares o dinheiro à filha porque não acertas contas com o Pai?
      Porque só disseram mentiras na reportagem, vou-te lembrar de uma verdade que é uma vergonha.
      Lembraste do dia um de junho de 2010? Sabes onde estavas? Lembraste do Raul Meireles marcar um golo aos 32 minutos da 1ª parte? Lembraste logo a seguir passado 1 minuto o Samuel Eto-o ser expulso? Lembraste do Raul Meireles voltar a marcar no inicio da 2ª parte, logo aos 46 minutos? E termos sofrido um golo do Webo aos 69 minutos, ainda te lembras? E do golão do Nani, com um “chapéu” perfeito ao guarda-redes Kamen aos 81 minutos, também te lembras?
      Tu, como és jornalista, não te podes esquecer deste jogo particular que foste assistir ao vivo na Covilhã, para a preparação para o Mundial da África do Sul de 2010. O treinador era o prof. Carlos Queiroz, fizeste uma reportagem.

      Lembraste de teres pedido ao Lopes para te comprar 5 bilhetes? Não te lembras, que pena.
      E também te esqueceu de os pagares. Vai lá acertar as contas com o homem, e pede-lhe desculpa pelo atraso.
      Pois é! Pimenta no cu dos outros, para mim é refresco,

  • António Lopes

    Não tenho nada em meu nome..?Porque é que não pede uma certidão às finanças?Vai ver que ainda arranja património que chegue para manter o alcunha que acharam por bem colocar-me..! Só em acções aos bancos são 33 milhões,em meu nnome… .As sentenças, até agora , têm-me sido favoráveis. Fale do que sabe, e deixe a vida dos outros. Eu baseio-me em documento que é publico. Se recebe ou não recebe ou recebeu,para mim nem é essse o problema.O problema é que a Câmara contratou essa publicidade, que nada a justifica, e sempre escondeu isso do presidente da AM. Porquê? Há documentos públicos, actas da AM , onde sempre pugnei por um tratamento igual para todos os órgãos de comunicação. A centro TV tem um contrato com a Câmara e lá anda atrás de toda a gente, nem deixa respirar o pessoal.Não teremos dúvidas que o CBS é o jornal mais lido de Oliveira. Em média sempre recebeu abaixo de mil euros ano, pela publicidade, que deixámos de facturar. É notório o alinhamento e falta de profissionalismo de alguns órgãos locais, que nem o elementar direito ao contraditório me dão.Aos que pensam que por ter deixado de ser presidente da AM, estou impedido ou debilitado na luta pela justiça social e pela boa gestão da coisa pública, esqueçam.Aos que por motivo da conjuntura me dão por falido, acalmem-se .A Exame, não há muito tempo, considerou-me o 14º em Portugal.Creio que erradamente.Daí para cá o património não diminuiu.Está é menos liquído.Depois do esclarecimento que lhe prestei , por escrito, se não percebeu, não vale a pena..! O País está falido e sugar-nos a todos,Os bancos sobrevivem porque nós pagamos.Andam a pensar que me apoucam por causa de dez mil euros? Se os credores quiserem uma garantia real, é só pedirem… Como disse os que andam tão preocupados com as minhas dívidas que me paguem o que me devem que o problema fica logo resolvido. Ainda assim sempre servi o Concelho gratuitamente e nunca andei a passear em carros públicos.Claro que isso incomoda muita gente, que vêm na coisa publica a solução dos seus problemas.Ponha-me lá em tribunal que não vai ser por causa disso que me vou chatear…E quando se tem telhados de vidro, não se atiram pedras…

    António Lopes

  • António Lopes

    Há… esqueci-me de uma coisa.Está convidado para me acompanhar a receber a reforma.Às vezes penhoram-na como fazem a centenas de milhares de Portugueses.Sou só mais um.Mas ainda sobra para o almoço.Eram 2 mil e trocos mas já cortaram uns 600, para os “passeios” do pessoal. E eu é que calunio..? Eu acho piada é pensarem que me chateiam por ser pobre..! Fui muito mais anos pobre que rico.É experiência que não me falta..!

  • António Lopes

    O Problema não e o despedimento da Directora. O problema é a tentativa de descredibilização de quem quer mudar o caciquismo, as clientelas, o amiguismo e a protecção dos “nossos”. Com a Assembleia a funcionar como deve, outras seriam as realidades democráticas e outro seria o rigor de gestão.É disso que eles fogem como o diabo da cruz.Cá estaremos para fazer o que se puder. Dos livros que foram distribuidos, e que espero que os tenham lido, e para que não se evoquem desconhecimentos ou ignorância dois exemplos do que se faz em dois municípios, um deles, Alvito, com 2 700 habitantes. para que não se digam as barbaridades que têm sido ditas.

    …///…MANUAL DOS MEMBROS DAS ASSEMBLEIAS MUNICIPAIS

    Na Assembleia Municipal de Alcobaça, durante o intervalo das sessões da
    Assembleia, funciona uma Comissão Permanente composta pelos membros da
    Mesa, por um numero nº superior a cinco vogais eleitos pelo plenário e pelos
    lideres das forças partidárias com representação na Assembleia ou dos grupos
    municipais formalmente constituídos, ou seus representantes. As reuniões da
    Comissão Permanente são convocadas pelo respectivo presidente, que é o presidente da Mesa. É da competência dessa Comissão Permanente aconselhar o
    presidente sobre todosos assuntos que este lhe apresente, estabelecer e manter
    contactos regulares com os demais órgãos do Município, coadjuvar o presidente
    da Mesa no cumprimento das deliberações da Assembleia e exercer todas as demais competênciasque lhe sejam cometidas pela Assembleia. Em Alvito funciona também uma Comissão Permanente constituída pelos Membros da Mesa da Assembleia Municipal e por um representante de cada grupo politico, assim como Comissões Especializadas Permanentes, criadas por deliberação do plenário, sob proposta do Presidente da Assembleia Municipal,ouvida a “Comissão Permanente da Assembleia Municipal”, não podendo o numero de comissões especializadas ser superior a seis. Estão previstos, por outro lado, contactos externos e visitas que se processam por intermédio da Mesa da Assembleia Municipal.Essas comissões podem realizar visitas de trabalho, as quais devem ser previamente sujeitas a aprovação da “Comissão Permanente da Assembleia Municipal”.Como já referimos, apenas conhecemos uma obra que versa directamente o
    funcionamento de uma assembleia municipal da safra do António Cândido de Oliveira. Ao longo da sua obra, publicada com as verbas que recebia da sua participação na Assembleia Municipal de Vila Nova de Famalicão, de 2002 a 2005, foram avançadas varias sugestões de mudança para garantia de um funcionamento mais eficaz, eficiente
    e condigno. Aqui deixamos algumas delas:
    – Disponibilização de boas instalações e condições de trabalho;
    –Criação de um bomCentro de Documentação;
    – Possuir autonomia suficiente para não estar dependente da boa vontade da câmara;
    – Maior firmeza na conduçãodas reuniões;
    – Maior contenção verbal dos membros da Assembleia, o que se consegue com uma boa preparaçãodas reuniões e criatividade;
    – A Informação do Presidente da CM deve ser completa e rigorosa, podendo fazer a história da acção da Câmara ao longo do mandato;
    – A fastidiosa leitura de expediente, correspondência, convites, publicações recebidas, etc, poderia ser substituída por uma nota escrita distribuida aos deputados e uma breve menção oral sobre ela;
    – Utilização das novas TIC, tais como a projecção de slides ou de um vídeo,a votação electrónica, quadro electrónico para marcação de tempos de intervenção, etc.;

    – Os membros das assembleias municipais devem ter ciente de que a AM não existe apenas quando há sessões ordinárias ou extraordinárias; eles devem estar permanentemente atentos e activos, usando os direitos que a lei e o Regimento lhes
    conferem para cumprir nomeadamente a sua missão de fiscalizar e acompanhar
    a actividade da Câmara Municipal”

    – Nao devem ser permitidas as palmas porque isso poupa tempo, evita crispações e evita ainda a demonstração de força pela força;
    – Deve ser mantido o respeito por quem fala, mesmo quando se discorda;
    – A pontualidade deve ser respeitada para credibilizar a assembleia;
    – O período de Antes da Ordem do Dia não deve ser superior a 45 minutos;
    – Deve existir uma pagina autónoma da AM na internet que nõ deve estar dentro da pagina da Câmara Municipal por uma questão de rigor e de pedagogia democrática;

    – A oposição deve ser bem tratada e devem ser-lhe disponibilizados gabinetes para tratar de assuntos autárquicos e receber munícipes’

    – Criação de comissões permanentes sectoriais para acompanhar a acção do município nas principais áreas;

    – Existência de um corpo de funcionários qualificado que devera incluir um ou dois técnicos superiores para apoio aos seus membros (e não a Mesa);

    – Em democracia é preciso distinguir critica, mesmo contundente, de achincalhamento ou insulto dos detentores de cargos políticos; a critica é legitima e necessária; o
    achincalhamento e o insulto são inadmissíveis;
    A função da oposição é aplaudir o que é de aplaudir e criticar o que é de criticar; uma oposição que critica tudo descredibiliza-se; quando critica, mesmo com razão, corre o risco de não ser lavada a sério e isso não a beneficia;A oposição deve conquistar
    o poder, não porque quem governa governa mal, mas porque tem propostas de melhor governo;Na democracia devem ser observadas duas regras fundamentais: o respeito
    pela verdade (factos são factos) e o respeito pelo adversário;

    Na pagina do Município a Assembleia Municipal deve estar em primeiro lugar;Os membros das assembleias municipais devem prestar regularmente contas a que os elegeu e a sua acção não se deve esgotar nas intervenções durante as sessões;

    A Mesa ou o seu presidente deviam apresentar Programa de Acção e Relatório de Actividades;
    A Assembleia deveria ter uma Comissão Permanente que a representasse fora das sessões plenárias, que reunisse periodicamente e que chamasse …///…

    • O Problema

      O problema Sr. António Lopes?

      O problema foi, questiona-los;
      O problema foi, tentar por a democracia a funcionar;
      O problema foi, gastar para além do possível;
      O problema foi, tirar a máscara ao Presidente;
      O problema foi, servir de bode expiatório;
      O problema foi, fazer sombra ao Presidente;
      O problema foi, ter sido a muleta deles todos;

      O problema Sr. António Lopes, é estarmos entregues a “estas pessoas”.

  • É de Mais..!

    Afinal, chego à conclusão que todos os que andam a chamar falido ao Lopes, já comeram na gamela e esqueceram-se do preço do “milho”,Vai daí há que chamá-lo falido e, dessa maneira, saldar as contas. Há dias encontrei-o e, amargurado, disse:-me : o que eu fiz por este Concelho e, o que valorizam, são as dificuldades que hoje tenho, como se não fosem comuns a toda a gente,.Parece que não vivem, em Portugal.Também parece que as eleições não foram para quem governa melhor mas, para quem é mais rico..!. Foi-me dizendo. O PS ainda não me pagou a campanha de 2009. O presidente, chorou , chorou, fiz-lhe um descomnto de dez mil euros, esqueceu-se de pagar outros dez, no apartamento que me comprou e ainda foi publicar 1900 euros de dívida às finanças.. O meu substituto,(Carlos Mendes) comprei-lhe os galinheiros pelo que ele precisava, já me chamaram doido, também por causa disso, e ainda tive que lhe pagar os impostos que por lá andam.Mais de 20 mil. Pediram-me 20 mil para o Kikas, passaram-me um cheque , por lá anda.O “director de comunicação”, ao todo são mais de cem mil.E o falido sou eu..! E o que é que lhes posso fazer..? Pois é Sr. Lopes..! O Senhor arranjou cá “uma família”! Só não me falou nesta dos bilhetes.Não sei se por ser tão pouco se por se ter esquecido…

  • enverganhado

    Afinal têm andares à custa dos outros..Paguem o que devem é assim que o mais comum mortal faz.Esses senhores Têm outro estatuto? É o estatuto do novo rico que esquecem o que foram e de onde vieram…