António Lopes insiste na necessidade de esclarecer aquisição das lonas para a EXPOH e ajustes directos da BLC3

O deputado António Lopes quer saber os pormenores do contrato de fornecimento de lonas para a EXPOH e solicitou à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital os documentos referentes a essa aquisição. Lopes considera excessivo o valor de 12750 euros pagos pelas lonas, num ajuste directo, e diz ter orçamentos para o mesmo material a rondar metade daquele valor. O deputado, que diz estar apenas estar a exercer o seu direito de fiscalização, solicita igualmente todos os documentos relativos aos ajustes directos dos contratos realizados pela participada BLC3. “Se não ficar satisfeito com as explicações, como espero ficar, o caso segue os devidos tramites legais”, sublinha António Lopes.

“Requer-se resposta escrita aos documentos entregues na Mesa da Assembleia Municipal em 18 do corrente, relativo à compra de um gerador de 40kwa à empresa Kaeser e das lonas compradas à Cobersan, tendo em conta os anormais e disparatados preços pagos pelos mesmos, como se demonstrou com as propostas alternativas” pode-se ler no pedido que enviou à mesa da Assembleia Municipal. António Lopes quer ainda ter conhecimento do processo de licitação, selecção de concorrentes e adjudicação dos ajustes directos promovidos pela Câmara Municipal nos seguintes contratos: Aquisição de serviços para elaboração do PEDU – Publicada na plataforma basegov em 20-08-2015; aquisição de lonas em tela PVC, publicado em 29-07-2015; aluguer montagem e desmontagem de stands e equipamentos afins, publicado em 3-08-2015; aquisição de serviços para a coordenação do gabinete de comunicação publicado em 30-05-2014, com a respectiva descrição dos serviços contratados. Solicita ainda todos os contratos de aquisição de serviços do leito e margens dos rios e ribeiras efectuados em 2014, onde se inclua o processo de licitação, selecção e adjudicação com as necessárias fundamentações e os alvarás das respectivas empresas”.

Da empresa participada BLC3, aquele eleito,  pede “cópia de todos os contratos publicados na plataforma basegov relativos aos anos de 2014, e 2015, “com as respectivas licitações, processo de selecção, justificação e adjudicação, e a legal e obrigatória fundamentação da adjudicação, especialmente a da adjudicação a empresas encubadas, e pertencentes a funcionários da própria BLC3. Exclui-se o contrato da empreitada de remodelação das instalações do novo espaço para centro de logística de Lagares da Beira, por se tratar de Concurso Público”.

António Lopes pretende igualmente saber “a relação de pagamentos efectuados e respectivos montantes, a título de publicidade pontual e ou ao abrigo de Contratos de Promoção e Divulgação ou outro, nos anos de 2011 e seguintes até à presente data, pela Câmara Municipal e empresas participadas, nomeadamente ADI, ADESA, BLC3, Eptoliva e Adeptoliva, a entidades de comunicação Social, nomeadamente: Diário de Coimbra, As Beiras, A Comarca de Arganil, Rádio Boa Nova, Correio da Beira Serra e Folha do Centro.

A terminar o homem que foi eleito para presidir à Assembleia Municipal solicita ainda ao órgão agora presidido por Rodrigues Gonçalves para lhe enviar “fotocópia do processo de licenciamento, eventuais multas ou coimas, localização relativamente ao PDM à data das construções dos seguintes construções e ou estabelecimentos: armazém da Sociedade Irmãos Peres, construído em Outubro de 2009 e eventuais obras posteriores, sito em Aldeia de Nogueira, na Freguesia de Nogueira do Cravo; Restaurante Cristina, incluindo remodelações, ampliações e anexos, em Aldeia Formosa, Freguesia do Seixo da Beira e loteamento do Sr. Joaquim Domingos Guerra, na Freguesia de Oliveira do Hospital”.

LEIA TAMBÉM

Atropelamento mortal em Candosa, concelho de Tábua

Mulher morreu hoje em Oliveira do Hospital vítima de atropelamento na EN17 junto ao Lidl

Uma mulher, com 60 anos, morreu ao final da manhã de hoje na sequência de …

João Paulo Albuquerque acusa PS por não concluir IC6, pelo menos, até 2030

João Paulo Albuquerque considera que o IC6 não é uma prioridade, mas sim uma necessidade …

  • João Paulo albuquerque

    Se responderem caem.
    Teria sido preferível para o PS que a justiça tivesse sido célere e obrigado o executivo a cair nos seis meses que António Lopes vaticinou, agora, sabemos que vão demorar o máximo que poderem, mas está tudo a remar contra a maré, desde as legislativas às presidenciais não se prevêem vitórias socialistas.
    A cabeça de Alexandrino já os socialistas davam em troca de saírem ilesos, mas tal não vai acontecer, pois ele é somente o elo mais fraco, o peão de brega que andou a entreter as massas para que se desviassem dos reais problemas.
    Pode demorar, mas não se livram de cair para além do executivo, a assembleia e as direcções das empresas comparticipadas. No entanto cair era o menos, deve vir a ser bem pior.

    João Paulo Albuquerque

  • há pois é

    tempo perdido .
    o povo quer é musica pimba ,comes e bebes .Amorfo como está , um bocado de sorriso e umas lecas chegam para o comprar .Ora não foi assim que este deputado AL conseguiu a reeleição do seu Alexandrino, Rolo e Graça ? .Agora é tarde . Todos atados a um molhe com combustivel e um fósforo onde estivessem todos e todas as amigalhaços que gravitam por aí no concelho ,para encher o ego e o bolso não chegaria a lage da cidade de oliveira e mesmo assim os que escapassem nenhum se podia aproveitar .
    Isto é pior que uma ditadura. Graças aos herois locais que militam no PS-PSD-CDS-CDU e aos célebres independentes que à conta sumaram em 2008 uns milhares do orçamento do estado .Há pois é .viva o Benfica e o fado