“António Lopes não estava a fazer parte de uma solução, mas antes de um problema”

Entrevistado pelo correiodabeiraserra.com, o presidente da Comissão Política Concelhia do PS explica o que conduziu à destituição de António Lopes de presidente da Mesa da Assembleia Municipal, ocorrida sete meses após a arrebatadora vitória eleitoral autárquica. A garantir que o PS “nunca desejou este desfecho”, Carlos Maia fala de uma mudança de comportamento por parte de António Lopes que nos últimos meses “não estava a fazer parte de uma solução, mas antes de um problema”.

Correio da Beira Serra– Esperava que a maioria absolutíssima conseguida em setembro passado tivesse como primeiro reflexo este rompimento do partido e do executivo municipal com o Sr. António Lopes?
Carlos Maia – Não, obviamente que nada fazia indicar um desfecho destes. Penso que nem por parte do PS, nem por parte do próprio presidente da Câmara, executivo municipal e penso que no geral por parte também de todos os autarcas e todas as pessoas que estiveram envolvidas na última campanha eleitoral, em que o partido socialista foi realmente o grande vencedor no concelho por uma margem que ultrapassou as nossas expectativas. Portanto, estavam criadas as condições, no meu entender e no entender de muita gente, para que se partisse para um mandato sereno, em que os autarcas eleitos se focassem fundamentalmente naquilo que são os problemas do concelho.

CBS– Mas decorridos oito meses, verificamos que não foi isso que aconteceu…
CM – Pois não. Passou-se qualquer coisa que eu sinceramente não entendo muito bem porquê. O sr. António Lopes começou a levantar diversas questões e insinuações, até mais com o presidente da câmara e o próprio executivo, que não entendemos muito bem porquê, até porque algumas dessas questões já tinham sido objeto de conversas por forma a esclarecer as coisas. Mas, obviamente que há opções que são claramente do executivo municipal e do próprio presidente da câmara.

CBS – Quer dizer que houve tentativa por parte do presidente da AM de se intrometer nas competências do presidente da Câmara?
CM – A análise que fizemos, foi que havia ali situações em que o sr. António Lopes deve ter entendido que deveria influenciar o presidente da Câmara para decidir desta ou daquela maneira.

CBS – Mas já em anteriores reuniões da Assembleia Municipal, o próprio presidente da Câmara dizia que António Lopes era o principal opositor e crítico da sua maneira de governar…
CM – Mas não acontecia da forma como ultimamente aconteceu. Obviamente que toda a gente sabe ,e é publico, que nos últimos quatro anos havia uma certa ligação entre os dois, mesmo a nível de amizade. Por isso é que não entendemos muito bem estas tomadas de posição do sr. Presidente da Assembleia e insinuações que são de alguma gravidade, e que eu vejo como uma cruzada contra o presidente da Câmara. Não entendia o porquê disso, quando estão duas pessoas à vontade e se conhecem bem e estão criadas todas as condições para que as coisas corram bem e haja um bom entendimento. Mais estranhámos porque o presidente da Câmara entendeu que havia determinadas questões que eram da sua responsabilidade… toda a Assembleia Municipal tem direito de fiscalizar a ação da Câmara, é para isso que os deputados lá estão. Mas daí a querer influenciar decisões e comportamentos dentro da Câmara, já não será um campo em que o sr. António Lopes se deveria imiscuir.

CBS – Começou a haver desconfiança mútua?
CM – Sim. Houve ali uma situação, em determinada momento, que teve grande importância, em que o sr. António Lopes aproveita uma não estada do presidente da Câmara, que estaria em Lisboa, e anda junto dos gabinetes da Câmara e dos funcionários a pedir elementos, papéis e o que entender pedir para se munir, não sei se de que argumentos… não entendi e nem o presidente da Câmara entendeu muito bem. São dois altos responsáveis do concelho, um é presidente da Câmara e o outro da Assembleia, eram duas pessoas que vinham de um passado de ligação. Não se entendeu porque é que o presidente da Assembleia tomou uma atitude dessas e o presidente da Câmara também não viu isso bem.

CBS – Foi apanhado de surpresa quando António Lopes foi à Assembleia Municipal de dezembro desvincular-se do partido?
CM – Tinha passado muito pouco tempo desde o dia das eleições em que tivemos a vitória que tivemos. Durante a campanha eleitoral, o próprio presidente da Assembleia se muniu de elementos que pediu à Câmara e publicitou o que foi o mandato dos quatro anos, apresentou números e uma série de elementos para dizer que foi um bom mandato. Apresentou uma série de razões e de argumentos para que as pessoas votassem no PS para a Câmara, Assembleia e Juntas de Freguesia. Andou a sobressair o que foi a boa governação da Câmara. Não se compreende em tão pouco tempo esta mudança. Quando ele se desvincula do projeto do PS, nós não entendemos o porquê disso. Foi incompreensível a atitude do Sr. António Lopes.

CBS – Houve lugar a uma espécie de tréguas ou suposto consenso que acabou por não ser duradouro…
CM – O PS não desejou, em nenhum momento, nada disto e tudo fez para que o desfecho não fosse o que foi. O PS fez a ponte. Em janeiro sentou-se com o sr. Presidente da Assembleia, fez os possíveis para se chegar a um entendimento entre os dois presidentes. Penso que nessa conversa terão sido esclarecidos alguns pontos que o sr. António Lopes andaria a esgrimir. Mas o Sr. António Lopes continuou.

CBS – Chegou a assinar-se um documento.?
CM – Penso que sim. Eu não estive presente nessa reunião, esteve alguém do PS. Penso que houve um documento, mas eu não o vi.

CBS – Nunca chegou a falar com o Sr. António Lopes sobre esse problema?
CM – Falei em determinada altura, porque naquele momento foi dito pelo próprio presidente da Assembleia e isso foi público que as coisas estavam ultrapassadas e limadas. Se é que havia problema. Porque da nossa parte não havia problema nenhum e penso que da parte do presidente da Câmara também não haveria.
Numa primeira fase percebemos o problema era entre os dois presidentes, mas depois não. A partir de fevereiro, o senhor António Lopes parece que desviou as baterias do presidente da Câmara para o PS, com a questão do regimento.

CBS – Acha que o regimento foi a “gota de água”?
CM – Sim foi. Veio antecipar a rutura. Em janeiro as coisas estavam ultrapassadas. Tem-se a Assembleia Municipal em fevereiro e, toda a gente sabe que o regimento não foi aprovado em dezembro para dar tempo para as pessoas poderem apresentar propostas, para ser colocado à votação em fevereiro. Houve dois meses para as pessoas estudarem regimento.
O regimento é da responsabilidade da mesa da Assembleia e do seu presidente. O sr. António Lopes sabia disso. O trabalho foi feito a nível da mesa da Assembleia e ficámos estupefactos quando se vai entrar na discussão daquele ponto e António Lopes elogia o regimento e o trabalho feito por Rodrigues Gonçalves e o coloca a votação e depois toma a atitude que toma. Para nós aquele regimento era pacífico. O Sr. António Lopes é uma pessoa inteligente e sabe tão bem como nós que o regimento é retirado da lei e nenhum regimento se pode sobrepor à lei. No regimento coloca-se uma síntese da lei e isso vai a aprovação da Assembleia Municipal.
A oposição teve dois meses para apresentar propostas para melhorar o regimento e não houve nenhuma proposta até àquela Assembleia. Qual é o nosso espanto quando o PSD vem a levantar uma ou duas situações sobre o regimento e o sr. António Lopes de uma forma desrespeitosa para com o maior grupo da Assembleia Municipal, o PS, se compromete com a Drª Luísa Vales a rever o regimento, criar um grupo de trabalho e até a fazer uma Assembleia extraordinária para votar o regimento. Não podíamos aceitar isso, porque António Lopes fez nitidamente o jogo da oposição e não fez o que lhe competia, que era de aprovar o regimento tal qual ele estava.

CBS –O presidente da Assembleia não participou na elaboração do regimento?
CM – Claro que terá participado. É da sua responsabilidade e da própria mesa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACBS – Não era do seu conhecimento a retirada dos três aspetos que invocou, entre os quais o da possibilidade de apresentação de moção de censura à Câmara Municipal?
CM – Não sei se falou ou não com Dr. Rodrigues Gonçalves que foi o responsável pela elaboração do regimento dentro daquilo que a lei prevê. O sr. António Lopes fez um grande cavalo de batalha sobre a questão regimento dizendo que foi feito golpe de estado e cometido um erro grave. Mas em nada disso o sr. António Lopes tem razão, porque ele sabe que qualquer regimento é retirado da lei e que qualquer presidente da Assembleia não deixa de exercer os seus poderes pelo facto de o regimento não ter a moção de censura ou outra coisa qualquer. Desde que esteja na lei, qualquer presidente da Assembleia Municipal pode exercer os seus poderes alegando a lei. A lei é que efetivamente manda. O sr. António Lopes sabe isso muito bem e, foi ele próprio que em diversas Assembleias anteriores defendeu algumas regras na questão da intervenção público. Esse aspeto foi melhorado. Mas, o sr. António Lopes pelo facto de a Drª Luísa Vales entender que não poderia ficar assim – o público deve fazer inscrição com cinco dias de antecedência e o sr. António Lopes sempre foi de acordo com isto – dá ali um volte face e vem comprometer-se com a oposição de melhorar o regimento. Isso é fazer a vontade à oposição.

CBS – Mas se o objetivo era melhorar a intervenção do público, como é que o Dr. Rodrigues Gonçalves explica a retirada da moção de censura?
CM – O Dr. Rodrigues Gonçalves pôs no regimento os pontos necessários e fundamentais ao normal funcionamento de uma Assembleia Municipal.. Há coisas na lei que não são prática do dia a dia de uma Assembleia e que não tem grande peso para estar dentro de um regimento.
Para além disso, a moção de censura não tem eficácia nenhuma. Para já, o PS tem a maioria na Assembleia e à partida nunca iria ser aprovada uma moção de censura à Câmara. Mas se pudesse ter aprovação, não tinha eficácia nenhuma,. A Câmara não cai por causa disso e não vejo qual é o problema do senhor António Lopes.

CBS – Mas podem-se daí retirar ilações, como chegou a sugerir ao presidente da Assembleia aquando do chumbo, pelo PS, da moção de confiança que foi apresentada pelo PSD e CDS/PP…
CM – Exatamente. Mas quando a oposição anuncia a dita moção de confiança, achámos estranho. Isso é nitidamente para desviar atenções, fragilizar o PS, o executivo e o presidente da Câmara. Foi apenas para criar um facto político. Foi um diversão política. Mas abriu caminho ao PS para poder dizer ao sr. Presidente da Assembleia para tirar ilações do que se passou. Não quis tirar e não se demitiu.

“O Sr. António Lopes não gostou de ser destituído”

CBS – Como encara a capacidade de resistência de António Lopes naquela Assembleia Municipal?
CM – O Sr. António Lopes não gostou de ser destituído. O PS entende que os autarcas têm que estar focados nos problemas do concelho e das pessoas e não temos que andar focados, durante meses e meses, com os problemas pessoais do sr. António Lopes. Por isso seguimos o caminho da destituição. O Sr. António Lopes não estava a fazer parte de uma solução, mas antes de um problema. O que se passou em dezembro, em fevereiro e em abril… andou aqui uma série de pessoas envolvidos com um problema do sr. António Lopes. Mas, não podemos andar a gastar energia, meses e meses, com isto.

CBS – Não tem dúvidas de que aquela Assembleia foi um momento negro da história do concelho…
CM- É verdade. Foram levantadas suspeições muito graves e não sei o que é que isso vai dar. Foram duas pessoas a acusarem-se mutuamente com situações muito graves.

CBS – Falou-se de uma reunião do secretariado onde António Lopes terá feito duras críticas à governação de José Carlos Alexandrino, entre as quais o pagamento de refeições e hotel a visitantes da Feira do Queijo. Foi daí que saiu a polémica em torno dos hotéis de luxo?
CM – Não. No secretariado não foi. Eu soube disso porque foi o próprio presidente da Câmara que comentou comigo que o sr. António Lopes teria afirmado uma coisa dessas. Na reunião, o sr. António Lopes fez referência aos grupos que vieram à Feira do Queijo, mas não falou nada acerca das noites em hotéis de luxo. Não sei se o presidente da Câmara terá ouvido esse comentário a alguém com quem António Lopes tivesse falado. Eu até desconhecia isso. O presidente da Câmara disse-me e eu até me ri. Perguntei-lhe se era verdade e ele disse-me que era uma pura mentira.

“A lei diz que qualquer membro da mesa ou a mesa no seu total, em qualquer momento, pode ser destituído pela Assembleia Municipal”

CBS – Já entrou no Ministério Público o pedido de impugnação dessa Assembleia. Na opinião de António Lopes, a Assembleia padece de ilegalidades. Como é que comenta?
CM – O sr. António Lopes é livre de tomar as atitudes que entender e entendeu impugnar a Assembleia Municipal.
É entendimento do sr. António Lopes que há ilegalidade. O nosso não é esse. Não fizemos as coisas de ânimo leve. Viu-se aquilo que se ia fazer, estudou-se a lei de trás para frente e a lei é muito clara. A lei diz que qualquer membro da mesa ou a mesa no seu total, em qualquer momento, pode ser destituído pela Assembleia Municipal. A Assembleia é soberana, porque foi essa mesma Assembleia que elegeu a mesa. A lei é muito clara e não fala na obrigatoriedade dos 2/3.

CBS – Na última Assembleia, o presidente da Câmara acusou António Lopes de estar agarrado à cadeira. Encara o pedido de impugnação como prova disso mesmo?
CM – Sim. De certa forma é a leitura que nós fazemos. Isto é uma situação que não nos agrada de todo. É a primeira vez na história da democracia de Oliveira que aconteceu uma situação destas. O PS por duas ou três vezes esteve, como disse António Lopes, calmo e sereno. Tentámos sempre que as coisas fossem ultrapassadas. Não nos move nada contra o sr. António Lopes, mas aquilo que andou a fazer nos últimos tempos não foi a postura mais correta. Não sei se ele hoje se arrepende ou não, ele lá saberá.
No fundo, o sr. António Lopes foi trazido e aproximou-se para dentro do PS pelo próprio presidente da Câmara, o professor José Carlos Alexandrino. Foi assim que as coisas se passaram.

CBS – Mas segundo o Sr. António Lopes, ele foi o primeiro a ser convidado pelo partido para ser candidato à presidência da Câmara…
CM – Não, isso não é assim. Sei muito bem como é que as coisas se passaram. Não é verdade. Eu sempre disse que a pessoa com melhores condições para ser convidada pelo PS, era o professor Alexandrino. Alguns responsáveis do partido sabem que foi assim.
O nome do Sr. António Lopes nunca esteve em cima da mesa. Obviamente que não. Isso não é verdade.

“Obviamente que o presidente da Câmara sabe que tem e vai continuar a ter o apoio incondicional do PS”

CBS – O partido reitera total apoio a José Carlos Alexandrino e literalmente “corre” com António Lopes da Assembleia Municipal. Não deveria o PS tentar fazer tudo por tudo para o consenso?
CM – O PS, e eu particularmente que conheço José Carlos Alexandrino há muitos anos, sabemos que tipo de pessoa é que ele é e o empenhamento que tem no desempenho do cargo que tem. Sabemos isso no dia a dia. Obviamente que o presidente da Câmara sabe que tem e vai continuar a ter o apoio incondicional do PS. Nós sabemos do desempenho do professor José Carlos nos últimos quatro anos, extensivo aos vereadores. Está à vista. O PS tem feito uma análise destas situações e sabe o quanto o professor Alexandrino está empenhado em que Oliveira do Hospital e o concelho seja defendido nos seus interesses. Ele vai continuar a merecer a nossa confiança.

CBS – António Lopes era visto como um entrave à governação municipal?
CM – António Lopes não estava a fazer parte de uma solução, mas antes de um problema. Aguentamos este tempo para vermos se ele seguia outro caminho. Entendeu que não e perante isto o PS tinha que tomar uma atitude. Nem podia ser de outra forma.

CBS – Mas não é um contra senso atendendo a que em fase de preparação das autárquicas, José Carlos Alexandrino disse que não negociava as listas com o PS?
CM – Isso são desabafos que saem em determinado momento. Acabou por não ser assim. Nós sabemos que o professor José Carlos Alexandrino é um bocadinho impetuoso. Conhecemo-lo bem. Daí não resultou problema nenhum e nem nós levantámos qualquer problema ao prof. Alexandrino na feitura das listas. Tudo correu de forma normal. Havia nomes que eram perfeitamente normais.

CBS – Mas houve militantes que ficaram de fora em nome do suprapartidarismo…
CM – Eu sempre disse ao prof José Carlos que na composição das listas para a Câmara devia ter nomes o mais possível abrangentes em todo o concelho. Ele entendeu isto perfeitamente e fez isso na composição da lista para a Câmara e para as freguesias. Acho que o PS fez umas ótimas listas no concelho e o resultado esteve à vista.

CBS – Como é que se explica aos oliveirenses esta rutura com António Lopes depois de há bem pouco tempo terem andado todos juntos de bandeira erguida?
CM – Quando nos questionam só há uma forma de responder: não foi o presidente da Câmara, nem o PS que mudaram. Alguém mudou, mas não fomos nós seguramente.

CBS – Também acha que o destituído presidente da Assembleia Municipal sofre de doença do foro psiquiátrico?
CM – Não. E não quero entrar por aí obviamente. Houve uma mudança de postura. Isso foi um excesso de linguagem do presidente da Câmara e penso que lá no fundo ele também não pensa isso.

CBS – São totalmente infundadas as críticas do sr. António Lopes à governação municipal?
CM – Entendo que sim. Porque o PS continua com um objetivo tal como o presidente da Câmara, que é o desenvolvimento do concelho e preocupar-nos com os problemas das pessoas até onde for possível, porque atravessamos um período que não é bom. A porta da Câmara tem estado aberta aos problemas do concelho, seja de empresas, entidades, associações e das próprias pessoas. Uma das coisas que ouvi dizer a António Lopes era que admirava essa disponibilidade do presidente da Câmara, contrariamente ao que se passava no tempo de Mário Alves, em que era uma Câmara de porta fechada. Esta passou a ser uma Câmara de portas escancaradas e toda a gente sabe disso. Ele enaltecia isso. Sabemos que o presidente da Câmara dá o máximo todos os dias, aos fins de semana, para estar em todo o lado e acompanhar a vida do concelho.

CBS – Existem ou não favorecimentos políticos na Câmara Municipal, situação que o PS anteriormente criticava?
CM – Não considero isso. O sr. António Lopes numa reunião nesta sala em finais de março, inicio de abril, veio novamente com argumentos que vinha a fazer há meses sobre essa situação. Ele disse que era questionado na rua por pessoas sobre a sua posição, já que no tempo de Mário Alves, criticava essa situação. Eu disse-lhe para ele responder que no tempo de Mário Alves arranjavam-se empregos na Câmara e muitas pessoas foram metidas. Agora não. O Sr. António Lopes faz aqui uma confusão muito grande e vai buscar a questão da ADESA, POCs e estágios. Faz aqui uma confusão com isso tudo, mas não tem nada a ver com empregos na Câmara Municipal e toda a gente sabe disso. São coisas que duram um ano. Isso foi tudo explicado, não sei quantas vezes.

CBS – Mas não são os estagiários selecionados a dedo?
CM – Não. E o próprio presidente da Câmara pode esclarecer isso. Não acredito que o senhor presidente da Câmara vá perguntar – se calhar como era feito antes, possivelmente – a um jovem se é do PS, PSD, CDU ou de que partido for como condição para fazer estágio. Não acredito nisso, porque José Carlos Alexandrino não é pessoa para o fazer.

CBS – Acha que o partido fez mal em voltar a apostar em António Lopes para cabeça de lista à Assembleia Municipal. Sabemos que houve um período em que António Lopes enjeitou a recandidatura e que terá sido José Carlos Alexandrino a convencê-lo com o conhecido argumento do “entrámos juntos, saímos juntos”…
CM – Apesar das dificuldades que existiram, nós vínhamos de um bom mandato tanto da parte da Câmara e executivo, como da Assembleia apesar de estarmos em minoria. As coisas correram bem e não havia motivos para não não contarmos com António Lopes, que já se tinha integrado no nosso projeto juntamente com José Carlos Alexandrino. Não havia motivo para o afastar e não nos movia nada contra ele. Havia algumas divergências, mas isso é normal. Estávamos longe de imaginar este desfecho e que, consideramos, escusado.

CBS – Não sai o partido fragilizado desta “trapalhada” como lhe chama a oposição? Não teme pela resposta dos oliveirenses? Há quem fale em ingratidão do partido para com António Lopes.
CM – Não considero isto uma trapalhada e também não tem a ver com ingratidão. Independentemente de António Lopes ter dado a cara por este projeto, foi apenas um rosto. Houve muitos rostos a dar a cara por este projeto. Nós contamos com todos desde que estejam de boa fé.
Percebo que a oposição queira transformar isto numa trapalhada. Mas não há trapalhada. O PS continua unido e o sr. Presidente da Câmara sabe que pode continuar a contar com o PS. Tudo está a correr normal, serenamente. O que aconteceu foi que António Lopes foi destituído e o presidente da Assembleia passará a ser outro. Isto é um ato absolutamente normal em democracia. O que não é normal em democracia é o presidente da Assembleia não respeitar, e isso foi muito mau, uma deliberação da Assembleia sobre o regimento votado por larga maioria. Ele fez uma coisa grave e, essa sim ilegal, na reunião de Abril à revelia da restante mesa colocou novamente a questão do regimento em cima da mesa. Tinha que ser a mesa e não ele. Isso é que é uma ilegalidade.

CBS – Como perspetiva as próximas Assembleias?
CM – Conheço o sr. António Lopes do tempo do professor Mário Alves. O Sr. António Lopes tem as suas questões a colocar e é livre de as colocar à Câmara. A Assembleia é um órgão democrático e com certeza que o sr. Presidente da Câmara vai responder às questões que António Lopes lhe irá por.
O que é certo é que as coisas atingiram um caminho que era perfeitamente evitável. Por questões toda a gente pode por. Mas colocar questões que roçam o afrontar mais a nível pessoal já são coisas completamente diferentes. Peço a António Lopes que não entre por caminhos desses. Que use os argumentos normais em democracia. Vamos ver qual vai ser a postura de AL.

CBS – Vão seguir a indicação dada por António Lopes para presidente da Mesa da Assembleia Municipal e propor o nome de Raul Dinis?
CM – Poderá ser um dos nomes. Temos bons nomes para desempenhar esse cargo.

CBS – O executivo municipal ressentiu-se deste momento político?
CM – Não. O executivo continua a trabalhar e a fazer o melhor pelo concelho. O pres. da Câmara continua a ir para a Lisboa e a lutar. As pessoas continuam a ser recebidas na Câmara. Estamos expectantes quanto ao novo quadro comunitário de apoio e aos investimentos que podem ser canalizados para Oliveira do Hospital por via da CIM da Região de Coimbra, onde o professor José Carlos Alexandrino é vice-presidente. Isso é que nos tem que preocupar.
O presidente da Câmara e o executivo têm toda a disponibilidade para trabalhar. Temos que nos concentrar no fundamental que é arranjar condições para as pessoas e não andar aqui com folhetins políticos. Faz-nos gastar energias que podem ser aproveitadas para outras coisas bem mais importantes.

LEIA TAMBÉM

CDS/PP pede ao Governo conclusão do IC6 até Oliveira do Hospital e construção do IC7 e IC37

O grupo parlamentar do CDS-PP recomendou ontem ao Governo a conclusão do Itinerário Complementar 6 …

Piloto Mário Patrão teve alta e já regressou a casa

Mário Patrão já teve alta hospitalar e regressou a casa. O piloto encontrava-se internado, no …

  • Pritágoras

    “Cá se fazem, cá se pagam!”- é este o espírito do acerto de contas que, questões religiosas à parte, no mundo terreno acontecem…
    Finalmente, parece que há algum espírito crítico ( e não auto-crítico!), que faltava ao mínimo esclarecimento das principais preocupações dos eleitores do concelho de OH em domínio autárquico.
    Faltava uma posição, agora aqui divulgada, por parte da CP do PS de OH.
    Portanto, até aqui, o “problema” não tinha todos os seus dados em “equação”:faltavam, de facto, – o novo desacordo ortográfico não me serve – os “dados” agora expostos, apresentados, divulgados…
    Mas, de todo, o problema continua a colocar-se no domínio mais geral do concelho e não no do mero individualismo, seja ela a pessoa que for: o mais importante, de facto, de direito e de democracia, é o concelho: as suas gentes, as suas instituições, os seus representantes eleitos por voto secreto, etc,etc.
    “Pessoalizar” os problemas – como quem diz, “É aquele!”, “Não é aquele!”, “Aquele só tem 3/4 de responsabilidade!”, “O outro só tem 3/5 de responsabilidade”… é recuar, na História, muito tempo. E, a esse tempo, quem detinha as “medidas”, era a Inquisição.
    Ou seja: quem resolvia “os problemas terrenos”, era a Inquisição.
    Bem avaliada a questão, há muito que o senhor AL deveria ter aprendido a lição:em assuntos do social, ou político,”Nunca se pessoalizam os problemas”!

  • António Lopes

    O que se está a passar com o Secretário Geral do partido,é sintomático dos conceitos de democracia instalados no PS.Se fazem o que fazem ao próprio Secretário Geral, penso ficámos esclarecidos.O Senhor presidente da Concelhia, ouviu, na mesma, perante quem me convidou que fui eu que recusei e indiquei o actual presidente.O convite foi feito pelo Eng.António Campos e Dr.Francisco Rolo no restaurante Vale dos Amores, nos Fiais.Já foi dito na AM e ninguém negou.Agora vem esta novidade.Leia lá melhor as atribuições da mesa e assimile os sinónimos de elaborar.Para ajudar:Fazer, cometer,compor, confecionar, construir,edificar,executar, fabricar,forjar,manufacturar obrar,proceder,produzir, realizar,trabalhar,afeiçoar,conceber, constituir cultivar. Diz alei que a mesa ELABORA E DISTRIBUI.(Redige, agrafa e distribui) Também diz que o presidente estabelece a ordem do dia. Sinónimos de estabelecer: Instalar,criar,pôr em vigor,fundar, estabelecer em uso,mandar, ordenar determinar..O trabalho do administrador não é bem igual ao dos técnicos.Um decide ou outros executam.Mas pronto. Os empregos são por um ano que depois rodam dos POCs para a ADESA,que depois rodam para a BLC que depois voltam aos POCS enfim .Não foi pedida uma auditoria? Já foi? Depois se vêm as regularidades todas…No caso, para saber como é, nem precisa sair de casa..! O que não deixou de pesar, muito, no mal estar…

    • Não me digam

      É verdade Sr. António Lopes, com quem estamos metidos. Então o presidente de junta, presidente da CPC do PS e membro da Assembleia Municipal, não conhece a lei?
      Depois de tudo o quanto foi explicado, este Sr. ainda não viu que o único que agiu em conformidade com a lei foi AL? Acho que tem que lhe voltar a dar o livrinho.
      É lógico que Carlos Maia está a mentir. Mente quando diz que AL não foi convidado para a presidência da câmara, mente quando diz que o regimento está de acordo com a lei (em nenhum País do mundo, um deficiente faz leis, e este é cego e maneta), mente quando diz que não foram empregados passeadores da bandeira (a namorada já esteve na BLC3 e agora é directora de comunicação da ESTGOH). Está claro como a água, É MENTIROSO.
      Sr. António Lopes, esta gente quanto mais fala mais se enterra, esquecem-se de falar no mais grave, e que o Sr. não se cansa de alertar, AS FINANÇAS. Nem uma palavra. Queremos saber a profundidade do BURACO.

    • Vilaça

      Sr. António Lopes, parece que o fenómeno “katty” anda a fritar o cérebro do injinhero Maia, com tanta comunicação a entrar-lhe pelas orelhas.
      Evocando Eça tendo em conta que o “amor a Maria Eduarda levou Carlos Maia à desgraça”, não perspectivando o mesmo para o homónimo, embora este “ramalhete” (não me refiro à casa da Obra em questão, nem ao painel de azulejos com o ramo de girassóis que lhe deu o nome, nem tão pouco a pessoas recém chegadas e já com altos cargos políticos concelhios) que se arranjou nada abone a pessoa em questão. Acho por bem colocar a informação que o Sr. gentilmente nos mostrou, para que se pudesse avaliar a actuação e o desempenho que é exigido à Câmara e à Assembleia.
      Com o devido respeito, aqui vai.
      http://correiodabeiraserra.com/wp-content/uploads/2014/05/Candido-Oliveira-2.pdf

  • P.inóquio.S

    Quem está a fazer parte da solução é o António Costa. Parece que, no PS, dão-se mal com a vontade expressa nas urnas, até dentro do próprio Partido. Dizia a Ana Gomes: “E se depois o António Costa ganhar e outros membros do Partido pedem um congresso? Andamos sempre nisto? As pessoas vão dizer que se fazemos isto no partido também o fazemos com a Constituição”… Alberto Martins , disse mais ou menos o mesmo…Ora se fazem…

    • HRa-os

      Ontem, os Sindicatos do Municípios de Lisboa decidiram convocar uma greve para o dia 12 e Junho devido à “situação insustentável das condições de trabalho” com que actualmente se deparam os funcionários do município e o “definhamento dos serviços públicos municipais, resultante das políticas seguidas pelos sucessivos executivos da autarquia. O objectivo destas paralisações é “levar o executivo [de maioria PS] a assumir compromissos”, já que os trabalhadores estão “fartos de promessas”.
      Curiosa a situação dos socialistas quando são executivo (neste caso camarário) e quando estão na oposição. Agora ainda mais quando António Costa, presidente da CML, é oposição à oposição de Seguro. Os próximos tempos vão ser animados e até já se pede a antecipação de eleições não para a AR mas sim para a CML. De facto, em tempos de crise é muito difícil estimar o que acontece no dia seguinte!

      Costa tem a Câmara por fios, tal como está a nossa. A solução era a troca de governo, para que chegassem alguns milhões para tapar os buracos que eles socialistas criam. Como não aconteceu, há que fazer politica, porque governar não sabem. GASTAR SIM, É O FORTE DESTES SOCIALISTAS. ALDRABÕES QUE DÃO CABO DO PAÍS.

    • HRa-os

      A zaragata socialista é das mais divertidas desde o triste fim de Tulius Detritus, que ficou apenas com a taça. Uma das coisas mais surpreendentes a que tenho assistido é o respeito socialista pelas regras (provavelmente uma consequência da sua superioridade moral). Eles votam e aprovam animadamente uns estatutos blindados, cujo objectivo evidente era a perpetuação no poder. E, na primeira esquina, pretendem mandar às malvas o que eles próprios aprovaram. Como é que se consegue compreender uma coisa destas sem ser no gozo?!?

      Qualquer semelhança com o que se passou na nossa assembleia municipal, é pura coincidência. Mas convém lembrar que o PS está acima de tudo e todos, só vem para baixo quando o nosso dinheiro e o que os bancos lhes emprestam pagando o munícipe ACABAR.

  • HRa-os e P.inóquio.S,

    Cá para mim vocês são mais da filosofia de colar o rabo à cadeira…

    Assim pensaram também Fidel Castro, Nicolae Ceausescu, Joseph Stalin, entre outros.

    Em Democracia também deve haver bom senso, pois se em qualquer momento não houver a confiança da maioria dos eleitores, a única solução é demitirem-se – Só pensa de maneira diferente quem está demasiado viciado no poder.

    Acresce o facto de os “indignados” referirem que não respeitam os resultados nas urnas, serem os primeiros a quererem ver incluído no regimento a “bomba atómica”, que por força de lei poderá ser utilizada a qualquer momento – que falta de coerência!

    • Padre de Covas

      Mas quem ficou com lugar de destaque nas linhas da história, foram personagens como Salvador Allende e João Goulart, que foram expulsos dos seus governos tirando-lhes a vida.
      Para já tentaram expulsar Lopes da sua chefia. Já o pronunciaram, falido e louco, espero que não lhe passem uma certidão de óbito.

    • Padre de Covas

      Desculpe lá. João Brandão, mas a sua retórica está viciada. Afinal, votou-se para quê?
      Para as legislativas?
      Para as presidenciais?
      Para o Arroz da Cristina?
      Embora nunca tenha lido nos seus comentários nada a respeito do parlamento europeu, acho que foi qualquer coisa a esse respeito que nos levou às urnas.

  • P.inóquio.S

    Sendo assim, e tendo o PS 31,45% que representam 12% da população naional está na hora de o PS fechar a porta.Está muito longe da maioria.Depois disto duvido que alguma vez mais a venha a ter.A “bomba atómica”,serve para isso mesmo.Não se percebe é o medo dela. Levas com ela já na próxima. É melhor acabar de colocar as bandeirinhas, se ainda houver dinheiro para lhes pagar, o mais rápidamente possível.Bom senso pelos vistos, é assalto ao poder…O Costa não tinha as quotas em dia no último congresso? Não concorreu porquê? Olha que o líder da tua federação acusou o Costa de “Alta traição”.Não fui eu…

  • António Lopes

    Seria interessante o Sr Presidente da Comissão Política do PS dizer quais foram os funcionários e os gabinetes a quem foram pedidos documentos.Quem tem que recolher a informação são os funcionários da Assembleia MMunicipal que o Sr.presidente da Câmara, ilegalmente, artº26-nº2 da lei 75/2013, se recusa a ceder. Os documentos foram pedidos ao Director de departamento, principal responsável da Câmara,que tem competências delegadas, aprovadas na Assembleia de Dezembro de 2012 e publicadas no D.Republica em 11 de janeiro de 2013,que prevêem no ponto 0.8- 1.1.3- “preparar o expediente e as informações necessárias para as deliberações dos orgãos do Municipio” , que declinou para o Vice presidente, a quem foram pedidos. O Sr.Presidente é que marcou para as 15 horas.Se não apreceu,não ia ficar lá sentado.Enviei ao Sr.Presidente do PS em 6 de Março o entendimento de um professor universitário e especialista autárquico, que já foi publicado neste jornal, onde se explica a forma de obter a informação.Se o não leu e não sabe o que determina a lei, eu não o posso ajudar.No que podia já ajudei..Mandei-lhe o documento e mandei oferecer um livro.Nas funções que tem, tem obrigação de conhecer a lei.O problema é que não a querem conhecer.Não convém.Pelos vistos também não conhecem os próprios estatutos partidários.A única lei que conhecem é a do vale tudo…

    • Padre de Covas

      É uma vergonha com um “ramalhete” composto por dois distintos advogados cá do burgo, ter que ser o Sr. António Lopes a explicar a jurisprudência das Leis envolvidas na Assembleia Municipal.
      Muito tem que fazer o presidente, para mostrar o que não lhes apetece, nem querem ver. XUPISTAS.

  • P.inóquio.S,

    Muito bem visto, ora se o PS com 31,45% “deve fechar a porta” o que sugere que aconteça à CDU? Sugiro que como militante virtual se candidate a Secretário-geral, pois daqui a uns anos lá estava tudo de pantanas como tem feito até aos dias de hoje.

    Em relação à “bomba atómica” é tão legítima como a sua destituição (António Lopes), porém, por lei, a bomba atómica poderá não trazer consequência nenhuma enquanto a sua destituição o faz obrigatoriamente mudar de cadeira.

    Também não percebo por que razão insiste em dizer que foi convidado para ser Presidente de Câmara, está arrependido de alguma coisa?

    • Padre de Covas

      Mas o Homem, não mudou logo de cadeira?
      Acha que se deve assentar numa cadeira, onde pela Lei não pode estar?
      Tem que se sentar na cadeira que a LEI MANDA. O que é que ainda não viu, ou não quer ver??? Diga.
      O tribunal responderá e tirará todas as suas duvidas.

  • P.inóquio.S

    JB.Deixe-se de ser parvo. A interpretação é sua.Não é o senhor que fala na confiança “da maioria dos eleitores”? Alguma vez o PS a teve? 50%+1? Na CDU, que se saiba, não há lutas de galos, pelo poder. Há lutas pelo interesse do Povo. Mas eu, não tenho procuração da CDU. A avaliar pela atitude de António Costa, não é sede de poder. “É amor à Patria”. ..O João Soares é que esteve bem.Mandou-o tapar os buracos.Acho que é o que o senhor e o seu mandador devem ir fazer também.

    • Padre de Covas

      Não conseguem tapar os buracos. esta gente veio ao mundo para criar e aumentar buracos.

  • “Mas o P.inóquio.S não mudou logo de cadeira?”
    Não, não mudou, primeiro fez birra!
    O chumbo da moção de confiança evidenciou que os que o elegeram não estão ao lado dele, logo ele próprio deveria ter tomado a iniciativa lógica e ponderada demitindo-se do cargo para que foi eleito pelos Deputados.
    Pode e deve manter-se no lugar para que foi eleito diretamente para a Assembleia Municipal.
    O Tribunal pode eventualmente adiar uma deliberação que será inevitável. Uma coisa é certa o Padre de Covas não vai aquecer a cadeira mais alta do Salão Nobre.
    Álvaro Cunhal é que se manteve durante 30 anos como Secretário do PCP e, nem por isso é que conseguiu passar a mensagem aos cidadãos portugueses – temos pena, mas a Democracia tem destas coisas – nada é eterno, nem mesmo os comunistas!

    • Padre de Covas

      Desculpe, devo dirigir-me a si como Viriato, ou como João Brandão? É que tem tantos heterónimos que até se esquece. Ou vai obrigar-me a responder-lhe como “Caio Vetílio”.
      A Democracia é balizada por regras que chamamos LEI. Esta deve ser cumprida, muitas vezes tem que ser imposta, quando se abusa dEla envergonhando a Democracia.
      Tendo sido esta a situação que aconteceu na Assembleia Municipal, local onde tal nem devia ser pensado, quanto mais executado. Foi um delito/crime de lesa-moralidade democrática, perpetuado em frente de juristas com responsabilidades e dos deputados democraticamente eleitos.
      A maior vergonha, é saberem que estavam a cometer uma ilegalidade e continuam a defender tal opção. Quem conhece a historia, sabe que muita gente já foi encarcerada por muito menos.
      O povo e elegeu, deve ser o mesmo povo a decidir democraticamente o que pretende.
      Na realidade, o Viriato/João Brandão já afirma que o Tribunal vai decidir favoravelmente à queixa de AL. Se tal como você têm a consciência que agiram conta a LEI, porque não pedem desculpa a AL, e travam este episódio que causaram e que tanto vai envergonhar os Oliveirenses assim como vai retirar qualquer possibilidade de sucesso futuro ao PS?
      Volto-lhe a afirmar, que nada tenho haver com António Lopes. Não quero saber de cadeiras para nada, tenho medo das eléctricas porque dão choques fatais, das altas porque tenho vertigens e daquelas por a cabeça abaixo porque deixam mossas.
      Relativamente ao PCP de Álvaro Cunhal, juntamente com MPT de Marinho Pinto foram os únicos vencedores das eleições – temos pena, mas a Democracia tem destas coisas – 40 anos já é algum tempo, mas nada é eterno, nem mesmo os comunistas!

  • P.inóquio.S

    Muito mal vai a democracia quando 24, ilegalmente, se põem a decidir por 8 000…Contudo, depois de ver António Costa e os argumentos contra o que não tem argumentação, a única coisa que posso dizer é: “Perdoai-lhes, Senhor! Não sabem o que fazem”, nem o que dizem..! Explicam-hes, citam-lhes as leis, regras democráticas. Pois sim.Empreguito, passar por cima de tudo e de todos e lei, é a nossa (deles) vontade…Neste contexto e depois da herança de Sócrates, dos lixos da Cova da beira, dos Freeports, das Faces ocultas e das PPPs o Seguro consegui este resultado.Não estão satisfeitos.Querem ir acabar com o resto.O Povo, vai pagando…E arrogam-se da verdade e da razão…Já levaram um cheirinho no Domingo.Nas próximas vão para onde andaram antes do Lopes os sentar lá…

  • P.inóquio.S,
    Explique lá qual é a Lei que refere que o Presidente da Assembleia é eleito diretamente através dos 8000 votos que refere.
    A mesa foi eleita pelos Deputados Municipais e são estes que têm a legitimidade de a destituir.
    Os empreguitos que refere devem ser aqueles que são promovidos pelo Comité do PCP em toda a sua pesada estrutura, nos sindicatos, nas Câmaras Comunistas (…) – pagos com dinheiros públicos!
    Podemos também refletir sobre os resultados eleitorais dos últimos 40 anos – o PCP não foi, não é e nunca será Governo. Por que será?
    Temos pena, mas a mama da Madeira já acabou, e as tetas nacionais não dão para o governar à grande e à francesa como gostaria.

    • Pritágoras

      Olhe que há diferenças …não arme, deliberadamente, confusão…Deve saber que há gente honesta que se dedica aos outros, aos problemas sociais, às questões políticas e ao exercício de cargos políticos sem disso pretender retirar quaisquer benefícios pessoais, aliás, como manda a Constituição.
      O mais certo é que, nalguns sectores, tenha que andar com uma lupa, a ver se os encontra…

      • Padre de Covas

        Segundo consta, havia um que saía a custo zero. Chama-se António Lopes.

    • Pritágoras

      Acaso tenha paciência, e não tenha assistido ao programa, faça o favor:

      https://www.youtube.com/watch?v=HCUqo-zrZzs

  • P.inóquio.S

    Queres conversa ” Maria”? E qual é a lei que obrigava o PS a dizer que o Presidente da Assembleia era o AL? Sabes o que quer dizer compromissos? Não foi isso que disseram ao Concelho? Com tantos e tão bons militantes indicaram-no a ele porquê? E sabes porque é que o presidente da AM não é eleito directamente? É porque pode acontecer que nenhum partido tenha maioria absoluta. Como as leis têm que ser aprovadas por maioria , para dar suporte às decisões da Câmara, que pode ser minoritária, é por isso que o presidente da AM não é eleito directamente. Percebes?Pode ser necessário negociar o lugar com um partido mais pequeno para fazer maioria. Entendido? Por isso é que a Câmara depende da Assembleia.Por muito que custe a certos “democratas”. A Câmara, em princípio, faz ou devia fazer o que a Assembleia delibera. Por isso é que pode ser minoritária. É uma mera executora. Art.5º da lei 75/2013, 239.nº1 da constituição e nº 3 da carta europeia de autonomia local.”Os órgãos do Município são uma assembleia deliberativa e um executivo colegial perante ela responsável”. Percebido? Ou é preciso um desenho.O Lopes não deixou aí uns livrinhos? Nos últimos tempos isso tem aqui sido muito debatido. És de fora “Maria”? Não me digas que andas aos moçoilos? Vais ler e escusas de armar em parva. Tá?

    • Padre de Covas

      Se nem os advogados da Assembleia Municipal percebem, quer que esta Maria, agora de Fontearcada e Oliveira perceba?
      Esta Maria percebe é de deitar uns whiskys abaixo, de preferência à conta doutrem.

  • Ouvido na barbearia

    – Então parece que segundo alguns iluminados socialistas,os estatutos são secundários em relação à “vontade política”?

    – Parece que sim. Não viste o que passou na Assembleia Municipal? A vontade política dos socialistas não se sobrepôs à LEI?
    – É verdade, puseram o António Lopes na rua ilegalmente.
    – Tal e qual o que querem fazer ao Seguro. Neste concelho, tal como no País, o PS parece estar acima da lei.
    – Imagina que o Passos aplica a mesma receita relativamente ao Tribunal Constitucional, sobrepondo a vontade politica à constituição.
    – Isso caía o Carmo e a Trindade. Já não era governo para os socialistas, as leis tem que ser de modo a eles se poderem governar.

  • Desalinhado

    Para quem tinha dúvidas, elas foram tiradas, muito fraco este ps. então com um governo a levar malha, porrada de tudo e todos e só conseguem este resultado? quanto a ps oliveira , simplesmente comprova aquilo que eu e muitos pensam, fraco, poucas ideias e neste momento vive na sombra de José Carlos Alexandrino, está e a verdade. Quanto aos empregos, ou poc’s , uma questão, porque a colocação de determinadas pessoas, com determinadas ligações a determinadas pessoas de um determinado partido na BLC, por exemplo!!!!!??????

  • P.inóquio.S

    Cada dia gozo mais com isto.Então não é que o António Costa estava ali,na quadratura do círculo, a dizer que tem que haver alianças com o PCP..? E o PCP alia-se com toda a gente? Andam aqui uns papagaios a mandar bocas à CDU qualquer dia é só Camarada isto, camarada aquilo… hehehehe. Pelo poder fazem tudo…

  • Analfabruto

    “António Lopes não estava a fazer parte de uma solução, mas antes de um problema”,diz Carlos Maia.
    Depois de ler a entrevista, alguém me pode explicar, qual foi o problema do qual fazia parte António Lopes? E qual a solução da qual ele não fazia parte?
    Fiquei na mesma. Esta entrevista compara-se aquele individuo que vai receber uma divida, e pagam-lhe com um cheque sem cobertura. Vem satisfeito sem saber que arranjou um problema maior.

  • P.inóquio.S

    “No secretariado não foi”…Até aí o Alexandrino dizia que tinha entrado junto e saía junto.A partir daí, e quando soube que o Lopes não abdicava da mudança de rumo, foi ele a impôr a rotura…! O “inginheiro” sequer leu o documento que o Lopes lhe mandou e que aqui foi publicado como: ” A loucura de Lopes”? A quem nós estamos entregues…

  • Beirao

    O Engº Maia tem cá uma paciência…pela frente piam fininho, aqui são uns heróis, mas é com o rabinho sentado atrás de um teclado…

    • Pai Natal

      É assim tão mau?
      Então foi por isso que de prenda de Natal recebeu um “olho à belenenses”.
      Vai dormir que o teu mal é sono.

      • J.Coelho

        Quantas vezes tenho que dizer “Quem se meter com o PS, leva”.

    • Analfabruto

      Quer dizer, como não têm respostas, partem para os maus tratos e falta de educação. Típico de quem não tem razão, já se tornou um habito. Nada de novo.
      Expliquem-me se faz favor, qual é o problema e qual é a solução. Isso é o que o povo quer saber.
      O Sr. Carlos Maia deve saber que em Fiais da Beira, na sua Freguesia, na escola antiga, que por sinal está a cair, existia uma placa que dizia “O POVO QUER SER ESCLARECIDO”.
      Como vê, as questões são sempre as mesmas. Escusa de ficar a espumar.

  • Oliveirense

    Oh Sr. António Lopes após este tempo todo o meu caro amigo ainda não percebeu que os eleitores votaram no Professor José Carlos Alexandrino e no PS?
    Será que o Sr ainda não percebeu que o Prof José Carlos Alexandrino ganharia as eleições quer o Sr fosse o candidato à Assembleia Municipal, ou quer fosse outra pessoa?
    Perceba que os eleitores Votaram José Carlos Alexandrino. O Sr ia na lista , mas se fosse outro, o Professor ganhava na mesma.
    Elementar meu caro Lopes!

    • Analfabruto

      Sim. Com o Carlinhos Mendes ainda ganhavam por mais.

  • P.inóquio.S

    Mas como é que votaram no José Carlos Alexandrino e no PS se ele disse que não negociava a lista com o PS e dizia e que era uma candidatura suprapartidária? Super elementar meu barato! Olhe o que eu sei é que o Mário Alves foi.E este também vai.Se calahar, não leva 6 meses. Vamos esperar para ver. Parece que deu uma entrevista cheia de mentiras e onde acabou de se matar.

  • P.inóquio.S

    Alfredo Barroso, fundador do PS, epipetou o presidente da “distrital” de
    Coimbra, Pedro Coimbra de “badameco”. “Este Alfredo Barroso é incapaz de
    guardar um segredo”! Diz Sérgio Ferreira Borges-PS Coimbra

  • Pritágoras
  • Imaginem

    Sr. Engº Carlos Maia,
    então o Sr. diz que António Lopes não estava a fazer parte de uma solução, mas
    antes de um problema, e agora como em baixo pode ler, o Sr. Presidente da
    Câmara, diz que o problema é não fazerem as vontades ao Presidente da
    Assembleia.

    Ora, por o que tenho lido, a vontade do
    Presidente da Assembleia foi fazer cumprir a LEI.

    Pode-me explicar esse GRAVE PROBLEMA, i.e, o Sr.
    Presidente da Câmara, vem confirmar que forçou a saída de António Lopes porque
    não queria fazer-lhe a vontade, NÃO QUERIA CUMPRIR A LEI.

    Muito fraca entrevista, como se pode ler. Não
    está ao nível de um Presidente de Câmara, mas sim ao nível do presidente do
    mercado da Ribeira, desculpem a redundância.

    Parece-me que José Carlos Alexandrino está de
    cabeça perdida, pois sei de fonte segura que a pretensa lista com Paulo Rocha é
    pura mentira, assim como a de AL querer ser Presidente da Câmara, pois teve
    vários pedidos para tal e recusou sempre. Alias toda a gente se lembra de se
    ter afirmado nos jornais que AL não queria participar em nada nas últimas autárquicas.

    Deve dar-se a possibilidade do contraditório,
    gostaria se possível ler um comentário a tais afirmações por parte do Sr.
    António Lopes.

  • Antonio Lopes

    Não pensava merecer tanta importância ou preocupação da parte do Senhor Presidente da Câmara.Penso que está na função errada.Da entrevista e pela capacidade de invençâo, devia estar de bolseiro num qualquer centro de estudos.Chego à conclusão que o amor Concelho deve considerar-se amor ao Senhor presidente. Da que gostei mesmo é que quero ser presidente de Câmara..! E quem é que faz o meu trabalho? Já que conhece tanto da minha vida podia dizer quando e onde, fora das minhas empresas tive funções executivas, Também seria interessante saber quem são esses “amigos de Oliveira” que me estão a ajudar.Será que alguém anda a ser ajudado em meu nome?Aqui não chegou nada.Melhor chegaram três cartas devolvidas que não foram levantadas, de uns amigos a quem emprestei dinheiro, andam a denegrir o meu nome e nem as cartas levantara.Pelos vistos, sabiam o que elas tratavam.Recebi 2 avisos de recepção mas, só isso.Até agora..Já agora dizer que três deles se sentam no salão nobre, na mesa comprida, virada para os membros da Assembleia e para o Público.E falam assim, grosso..! Terão estes senhores a noção mínima dos cargos que representam? De facto, nas feiras do queijo já foram gastos mais de dois carros, não de alta cilindrada mas com a dignidade para representar o Concelho , como ele merece.Ao menos que copie pelos colegas.Está provado que não dá para mais. Sobre o art.239 da Constituição,o art.5º e 44 da lei 75/2013, Sobre o Concelho Muncicipal de Segurança, sobre o estatuto do direito de oposição, sobre o noemal e regular funcionamento da Assembleia, sobre o servir e não se servir,como de costume,nada. Sobre o resto, no local próprio se dirá quem é que queria candidatura independente e porquê. Aliás nunca ninguem me ouviu dizer que não negociava a lista com o PS.Isso, é mais para as pessoas de palavra..! Quando o Senhor presidente me sugeriu que eu devia fazer o mesmo disse que era convidado, não era eu que tinha que decidir listas.Na próxima Assembleia, como estão lá todos os que não me largavam a porta, questionarei um a um, para ver a coragem e o carater.Quero pensar que vão corrobrar o que eu disser. Uma tristeza. Doi, ajudar instituições e pessoas com mais de um milhão de euros, servir gratuitamente durante 13 anos para ouvir dizer que é uma farsa.Depois, não querem 67% de abstenção e que sobre para a política a qualidade a que assistimos.Faça outro tanto, senhor presidente.Quando declinei o convite para ser o presidente de Câmara, o senhor era conhecido na Cordinha e em Touriz. Aqui, por causa da bola..! Mais uma vez, as minhas desculpas aos Oliveirenses.Sabe muito bem a resposta do Vitor Baptista quando, em 2005, lhe falaram no seu nome…não sabe? Fica feio morder na mão…Razão tem o Dr.Zorrinho:”isto virou a casa dos segredos”.Nem de propósito.Parece que o mal se pegou.O que não se faz por um lugarzinho…

  • Zeca Diabo

    Como membro do PS e com responsabilidades acompanho este triste episódio com preocupação.Isto acompanhado com o que se passa ao nível nacional, envergonha qualquer socialista.
    Esta entrevista ao Folha do Centro, a publicação de correio pessoal cedido pela Câmara são intoleráveis em democracia.
    Todos sabemos que o PS deve o estar na Câmara ao Senhor António Lopes.
    Vir com ataques pessoais e com a vida pessoal é baixo e é de quem não tem mais para dizer.

    Conheço o episódio do Centro de dia de Alvoco.O que me foi dito é que eram 10 ou 12 pessoas numa sala de 12 m2 e que essas pessoas falavam tanto, propositadamente, que não se ouvia nem o presidente do lar nem o presidente da Câmara a discursar..O presidente se soubesse ocupar o seu lugar, nem devia ter falado, naquelas condições.Mas como foi lá na caça ao voto teve que se aguentar.
    Confirmo que Vitor Baptista presidente da distrital, quando lhe falaram no nome do Alexandrino, em 2005, não o aceitou dizendo que ele era um “burgesso rural”..
    Penso que não se enganou, tem demonstrado isso mesmo.

    • Não me esqueço

      Eu estive no jantar de apoio a JCA na primeira candidatura, foi em Nogueira do Cravo. Chovia a potes eu tinha comprado dois bilhetes por 6€ cada um, gastei 12€ e fiquei com eles no bolso. Foi pena porque ainda há pouco tempo os deitei fora, pois ninguém os pediu à entrada, devido a ter-se pensado que iria ter pouca afluência, o que era uma realidade, pois não houve quase procura nenhuma por os bilhetes, então o Sr. António Lopes custeou todas as despesas e pagou o jantar a todos. Foi casa cheia, dentro e fora. Tiveram que improvisar uns toldos para por as pessoas a comer cá fora. Foi mais uma grande festa e mais um grande sucesso de JCA e do PS, mas com o dinheiro do Sr. António Lopes. Eu acabei por ajudar, pois paguei dois jantares, acabei por ir sozinho, ajudei com 12€.
      Nesse jantar, ouvi o Sr. Victor Baptista também ele um burgesso que se babava a falar, perguntar quem era este homem JCA? Que tinha conseguido movimentar tanta gente, como nunca se tinha visto em Oliveira do Hospital?
      JCA respondeu-lhe, que era um homem que vinha do povo.
      Pois foi, se não fosse o Sr. António Lopes a chegar-se a frente e a tornar JCA conhecido, ainda hoje era um homem do povo, e disso não tinha passado.
      É pena que muito se esqueçam, e não prestem a devida vénia.

  • Prós e Contras

    Depois de cuidadosamente analisar, esquecendo o cheiro e a visão da
    merda que se apostila após terem tirado “a tampa do esgoto”.
    Esquecendo todos aqueles que politicamente gravitam em torno do salário
    fácil e certo, fruto de empregos politicamente arranjados. Esquecendo todas as
    tramas e enredos que levou o PS a esta maioria concelhia. Esquecendo também
    todos aqueles que sofreram represálias para que obtivesse esta maioria. Esquecendo
    ainda o clima político, empresarial e social que o concelho atravessa. Esquecendo
    acima de tudo a nula evolução ou mesmo a degradação de quase todos os sectores de
    desenvolvimento concelhio, predominantemente o turístico. Enfim, esquecendo uma
    panóplia de adversidades que todos constatamos e sentimos, temos que reconhecer
    o seguinte:

    a) António Lopes é um idóneo e calejado empresário.
    Como tal está habituado a saber de onde vem e para onde vai o dinheiro com que
    lida, criando mais-valias que no seu caso se traduzem em lucros, tal implica
    saber interpretar e lidar com as leis por que se tem que reger.

    É um homem que está habituado a liderar e a
    reger, não lhe cabe seguir, mas a ser seguido. Estes atributos do seu
    curriculum foram ainda burilados e aprimorados por os cursos intensivos do PCP,
    que fazem dele um ser interessante, um andrógino social e político, um indivíduo
    com capacidade de visão proletariado-capitalista. Um indivíduo a considerar e a
    ter em alta conta devido a este seu curriculum tão peculiar, de experiência
    deveras complexa.

    b) José Carlos Alexandrino foi professor, diretor
    de uma escola e treinador de futebol. Nunca se preocupou em saber o que custava
    arranjar o dinheiro para pagar aos seus subalternos, pois na escola bastava
    pedir ao Estado, e no futebol ao presidente do clube. As leis com que lidava
    eram as escolares e as futebolísticas.

    É um homem que não lidera, rege pessoas que já
    têm as suas funções definidas, e presta contas aos órgãos superiores. Nunca
    conheceu um patrão. Desempenhou bem as suas funções de “elo intermédio na
    cadeia de educação”. Como treinador de futebol, foi bom nas equipas por onde
    passou, nunca tendo atingido patamares como o benfiquista “Eça-Jorge Jesus”.

    Estas duas criaturas tinham os currículos e o apoio para poderem levar a
    “bom-porto” mandatos de excelência. A JCA, como Presidente da Câmara, cabia a
    capacidade de com a sua equipa delinear e apresentar propostas que António
    Lopes e a restante Assembleia Municipal deliberassem, e que depois de por estes
    avalisadas fossem executadas pelo executivo, ao mesmo tempo que o processo era
    fiscalizado sob a tutela da assembleia.

    Até aqui tudo muito simples, bastava regerem-se por esta tão simples
    cartilha. Então, o que correu mal? O que levou a esta cisão de contornos fratricida
    que culminou com a expulsão da A.L. do lugar de Presidente da Assembleia (que
    até agora não se sabe se legal)?

    Depois de ler as entrevistas de António Lopes e de José Carlos
    Alexandrino, fico esclarecido, bastando para isso reparar que A.L. substancia as
    suas decisões recorrendo à Lei, a livros temáticos escritos pelos suprassumos
    na matéria, à falta de respostas concretas, a perguntas concretas sem entrar em
    maledicências, difamações ou calúnias, mantendo uma postura de elevação perante
    as situações e as pessoas. Enquanto J.C.A. ficou-se pelo “diz que disse”, não
    recorreu a situações do fórum camarário, apontando para as situações de falência
    financeira de A.L. e aspetos políticos que só ao PS dizem respeito. Não
    conseguiu atribuir uma única não-conformidade à atuação de A.L., enfim não
    conseguiu manter o estatuto de Presidente de Câmara optando por “peixeiradas”
    próprias do “mercado do Bolhão”.

    José Carlos Alexandrino ficou réu e comprometido às promessas feitas por
    cima e por debaixo da mesa na campanha eleitoral, não se conseguindo soltar,
    enquanto António Lopes, que nada prometeu, é agora vítima daqueles que usufruem
    das promessas.

    Não tenho dúvidas que este tsunami político vai causar muitas vítimas. Os
    Oliveirenses serão os primeiros pois vão continuar no marasmo em que viviam.
    Quanto aos políticos, não sei. Cabe aos Oliveirenses o seu julgamento.

  • Adjunto de Ordens

    Já li e reli esta “espectacular” entrevista. Muito desespero deve andar na cabeça do presidente da Câmara. Nunca vi coisa assim a este nível. O que me intriga, porque não consigo atingir é esta frase: “Para ele tudo tem um preço, mas eu não me vendo por dinheiro” .Alguém me dá uma ajuda? Para mim, também tudo tem um preço.Ninguém me dá nada dado.”Eu não me vendo por dinheiro”… Mas o que é que o presidente tem para vender? Não consigo chegar lá…Do que vou sabendo as freguesias estão à espera das transferências já desde o ano passado. As associações também. As obras foram suspensas. O presidente “adormece-nos” a tentar diminuir o Lopes. Fraquinho… muito fraquinho…

    • zanziba

      Curiosamente este tipo que dá a entrevista, eleito presidente dos xuxalistas e arruaceiro mor do concelho, pessoa sem principios democraticos alguns, que fugiu do psd porque iria conseguir taxo no ps esqueceu de nesta entrevista enunciar que,
      ele proprio, exigiu que arranjassem um taxo para a companheira (sem habilitaçoes profissionais especificas ou conhecidas a não ser manicure por curto prazo)
      depois de muitas insistencias lá conseguiu que colocacassem a cachopa na blc3 nicho dos taxo em vez de empresas
      finalmente depois de eleito presidente do ps conseguiu exigir mais para a cachopa e pelo que se consta já tem um taxo lá pros lados da Camara ou de Estgoh???
      vergonhosa forma de servir de cargos politicos/publicos

  • P.inóquio.S

    “Não me esqueço”. O problema é que os bilhetes vendidos,o dinheiro nunca se soube dele..! De facto o Vitor Batista disse isso. Ouvi ao meu lado: “este filho de p..ta,dizia há 4 anos que o JCA era um “burgesso rural” Como viu a casa a abarrotar já pergunta “onde andava este homem que só agora chega à política”

    • Não me esqueço

      O que fizeram ao dinheiro dos bilhetes vendidos não faço a mais pálida ideia. O que lhe posso dizer é que tinha pago anteriormente. Comigo foram vários familiares e amigos que também pagaram, só ali estariam perto de 100€ todos trouxemos os bilhetes de volta, ninguém os pediu ou rasgou.
      Possivelmente entregaram o dinheiro ao Sr. António Lopes, como seria lógico.
      Já fui a vários jantares de carácter politico popular e posso-lhe dizer que nunca vi nenhum tão cheio, estava tudo a abarrotar. À borla aparece sempre mais um.
      As palavras que Victor Baptista usou relativamente a José Carlos Alexandrino foram textualmente essas “onde andava este homem que só agora chega à política”, babava-se quando discursava, e estava realmente incrédulo com a enchente conseguida. O Homem ficou deslumbrado.

      Hoje, dizem que AL está louco e falido. Realmente quando os déspotas tomam conta da democracia, o feio passa a ser bonito, o baixo passa a ser alto, o bom passa a mau, o claro a escuro, e o falso a verdadeiro.
      Não se esqueçam é que o azeite não se mistura com a água, e vem sempre ao cimo.

  • P.inóquio.S

    Ao senhor António Lopes? Sim,sim. Desde essa altura que anda a tentar cobrar 24 000 euros que lhe pediram em cheque para cumprir a lei do financiamento dos partidos. Ficaram-lhe com o que tinha dado e ficaram-lhe com esse também. Parece que foi para o mesmo sitio do dos bilhetes do jantar…Há para lá uns “buracos” que parece não terem fundo…

    • Les Uns et les Autres

      Então não sabe que os socialistas são peritos a distribuir e gastar o dinheiro dos “outros”.
      O António Lopes está mais do que provado, que faz parte dos “outros”.
      Acabou-se o dinheiro, companhia desfeita. Lopes, vai lá ganhar mais dinheiro para darmos seguimento a este Bolero.
      Todos os animais são iguais, mas uns são mais iguais do que “outros”.

  • Adjunto de Ordens

    Assim, quem é que não é popular? Está explicada a febre do Sr.Paulo Leitão com a sua Centro TV…Ao que nós chegámos

    EXISTÊNCIA DE CONTRATO DE PUBLICIDADE COM O JORNAL “AS
    BEIRAS” ———————————————————————————————————–
    ——–O Vereador Mário Alves referiu-se ao jornal “As Beiras”, lembrando que na última reunião
    de executivo o Sr. Presidente da Câmara não respondeu à questão que lhe colocou relativamente à
    existência ou não de contrato com aquele jornal. Pretende assim saber se efetivamente existe ou não
    contrato de publicidade celebrado com o jornal “As Beiras” e bem assim qual o valor do mesmo. —
    ——–Sobre o assunto, o Presidente da Câmara informou que a Câmara Municipal celebrou um
    contrato de publicidade mensal com o jornal “As Beiras” de página e meia/ duas páginas inteiras de
    publicidade alusiva ao concelho pelo montante de 500,00 € (quinhentos euros)/mês.——————-
    ——–O Vereador Mário referiu que “foi uma forma que a Câmara Municipal arranjou para
    «assegurar uma avença para o Sr. Paulo Leitão»”

    Editar

    Responder

    Partilhar ›

    • Candidato a caembra boy

      500€ por mês mais pagamentos à peça. Que rico negocio.
      Como é que ele não tem que dizer mal do António Lopes, pagam-lhe para isso.
      Que rico jornalismo. Assim, também quero ser jornalista.
      Isto nem é um câmara man, nem tão pouco um camera man. Para lá de caembra man, é um verdadeiro caembra boy.

  • Adjunto de Ordens

    Dinheiro há.Não é é para todos…

    Senhor “João Garra”: Pode comentar? Pense o que diz porque que tem muito mais…

    2.1.2 – VALORES PAGOS AO SENHOR HENRIQUE BARRETO ————————-
    ——–O Vereador Paulo Rocha acusou a recepção da informação que o Sr. Presidente da Câmara
    lhe fez chegar acerca dos honorários pagos ao Sr. Henrique Barreto, no âmbito dos serviços
    prestados ao Município de Oliveira do Hospital aquando da XX edição da Festa do Queijo,
    sublinhando que “isto é uma questão que eu tinha colocado em reuniões anteriores, mas, de acordo
    com a documentação que ontem me foi entregue, cópia da ordem de pagamento, do recibo e do
    cabimento da requisição desta despesa, sendo que em relação à instalação de outdoors, e
    desconhecendo se as estruturas são propriedade da autarquia, ou se são arrendadas, mas não deve
    ter
    sido da compra das estruturas porque me parece ser bom de mais, não me
    vou pronunciar porqueos preços de mercado, pelo que tenho conhecimento,
    são mais ou menos estes. Agora, pagar 750, 00
    € (setecentos e cinquenta euros) para a criação de dinamização de um facebook, específico da Feira
    do Queijo, sinceramente Sr. Presidente, acho isto um exagero, e acham certamente todas as pessoas
    que tenham criado facebook ou que utilizem este tipo de rede social, porque bastam dez minutos
    para se criar uma rede deste género, a sua gestão também é claramente acessível. Pagar 750, 00 €
    (setecentos e cinquenta euros) para a criação de um facebook, específico da Feira do Queijo é um
    exagero e, a meu ver, configurará com uma situação de «alguma ajuda» a este senhor e,
    sinceramente, a função da autarquia não é ajudar ninguém em especifico mas sim trabalhar para o
    desenvolvimento do concelho”. Prosseguiu esclarecendo que “quando questionei o Sr. Presidente da
    Câmara já tinha percebido tudo isto, porque, do que vi, o facebook tinha apenas um cartaz da festa
    do queijo e convidava todos os membros dessa rede social a aderir a isto”. ——————————
    ——–Sobre o assunto, o Presidente da Câmara deu ainda conhecimento que, dos orçamentos que
    forma apresentados para o efeito, o preço mais barato foi precisamente indicado pelo Sr. Henrique
    Barreto. Esclareceu ainda que o valor pago pela criação do facebook inclui também alguns serviços
    prestados na elaboração da revista. —————————————————————————–

    • Candidato a caembra boy

      Outro caembra boy. Este muito bem pago!
      Fazendo as continhas, são somente 792000€ por mês. Dasssssse, agora percebo quando ele diz no seu facebook ( que nesta base, deve valer uma grande fortuna) relativamente ao ordenado do Durão Barroso, “é por isso que eu não me identifico com este País”, comparado com o dele, o ordenado do Presidente da Comissão Europeia mais parece o de um pobre pedinte.

  • Ólha o Bobo

    O corpo do bobo da corte caracteriza-se pela deformidade e pelo exagero, sendo o excesso uma de suas principais características.

  • Vigaro cá, vigaro lá

    Falso profeta, também chamado de pseudoprofeta,1 2 é a rotulação dada a uma pessoa que ilegitimamente se proclama detentora de dons do Espírito Santo. Tal rotulação pode tanto decorrer de um falso dom carismático, como do uso do mesmo para fins demagógicos ou demoníacos.3

    O mais famoso dos falsos profetas do Novo Testamento é o “Falso Profeta” do livro de Apocalipse, cujo nome é repetido por três vezes. Este Falso Profeta seria um aliado do Anticristo e da Besta. A figura do Falso Profeta é um dos maiores mistérios da escatologia.

  • Zeca Diabo

    “Respeitinho aos bobos da corte”.
    Eram os que a sabiam levar direita.Um bobo jamais faria uma entrevista destas.
    De bobos, lendo estes estratos das actas, andam a fazer de nós todos..

    • Zé do Stand

      O quê? Isto é que é câmara.
      Ó Diabo, diga-me lá você, qual é a câmara, ou qualquer outra entidade empregadora, que se pode gabar de pagar 729 mil euros por mês a funcionários?
      Ah pois é. Em Oliveira não se brinca. Prefere-se pagar bem aos funcionários, do que comprar carro decente para o presidente.

  • Amigo de Oliveira

    “Sobre isso poderia contar muitas coisas… não o faço por uma questão de
    princípio pois tem a ver com a vida particular do senhor António Lopes e
    esta apenas lhe diz respeito a ele e não a mim. Mas é público e notório
    que a sua vida financeira atravessa um período difícil e se não fossem
    alguns amigos de Oliveira do Hospital muito pior estava”. Doutas palavras de José Carlos Alexandrino.

  • Amigo de Oliveira

    Já agora ó Lopes já pagaste os ordenados em atraso na Fiper ou este mês é mais um para mandar para o teto?

    • Empregado da Fiper

      Estamos à espera que os que lhe devem se cheguem à frente para recebermos o nosso.
      Já lhe pagaram?

  • P.inóquio.S

    Já vi, em qualquer lado o Sr.Lopes a perguntar quem eram esses amigos. Parece que ele não sabe quem são…podia partilhar connosco quem são os amigos que estão a ajudar? Era só para a gente saber! Não mediga que quer saber dos ordenados para os amigos ajudarem? Os que falam se pagassem o que lhe devem faziam melhor.Parece é que nem as cartas levantaram.Confirama-se o “patrão” já deu as dicas..! Hehehehe

  • Carteiro Oliveirense

    Sr. Lopes, ando farto de andar com as cartas para lá e para cá. Eles já se escondem para eu não os ver. Nem à força as levantam. Não sei o que fazer?
    Porque não lhas entrega em mão na próxima assembleia? Estão lá tantos, uns por direito e outros na assistência. Tirava-me um peso de cima dos ombros. Pense nisso.

  • Adjunto de Ordens

    …injecção de dinheiro vivo na instituição. Segundo, sensibilizaram um cidadão benemérito deste concelho para injectar dinheiro vivo, capital naquela instituição para ajudar a resolver problemas de emergência. Esse cidadão chama-se António dos Santos Lopes e foi com o trabalho do Presidente da Câmara e do executivo em permanência de sensibilizar que aquele senhor injectou dinheirona quela instituição. Terceiro, relativamente aos acordos da Segurança Social, a Câmara pode propor
    a atribuição de um subsídio, que enquanto órgão colegial os sete vereadores apreciam, agora,
    Câmara não manda naquilo que é seu e que são os acordos da Segurança Social. Os acordos, desde sempre, foram da Segurança Social e estavam afectos ao Município de Oliveira do Hospital, que por motivos legais cessaram, e o Presidente da Câmara defendendo o interesse do concelho, para evitar que os acordos, ou seja o dinheiro deixasse de entrar no concelho, foram atribuídos, antes que
    os acordos fossem perdidos para o concelho a uma instituição que tinha condições legais para os receber. Infelizmente em 31 ou 28 de Agosto de 2010 a Instituição Particular de SolidariedadeSocial “O KIKAS” não tinha condições legais para celebrar esses acordos uma vez que tinha dívidas à Segurança Social. E portanto, aquilo que dependia da Câmara, a Câmara assumiu, aquilo que não depende deste órgão, e que são os acordos, ou seja, prestações sociais que dependem
    exclusivamente da Segurança Social, a Câmara não podia propor isso em sede de reunião deCâmara.

    Vai ler esta acta.É de 15 de Março de 2011.Diz-se lá que se o presidente não resolveu este problema foi porque não quis.O benemérito,sabe-se, emprestou o dinheiro e o presidente entregou-lhe um cheque que está no “tecto”.Traz lá a resposta..Pessoalmente, agradeço.

    • A educação fica bem

      Tenho vergonha de ver assim tratar o benemérito, que para além de ter ajudado nesta situação, foi o maior mecenas do concelho.

  • Zeca Diabo

    ´”Amigo de Oliveira”: É assim que os Oliveirenses costumam tratar os beneméritos? Sabia de muitas ajudas do senhor. Desta, não sabia. Tenham vergonha na cara…

  • Guerra Junqueiro

    “Para ele [António Lopes] tudo tem um preço mas eu não me vendo por dinheiro” (JCA)

    Tenho-me questionado sobre o real sentido desta frase professada por José Carlos Alexandrino.
    A Bíblia diz-nos que “Todo o Homem tem seu preço”, para Oscar Wilde “Um cínico é um homem que sabe o preço de tudo, mas o valor de nada”, Millôr Fernandes é peremptório ao afirmar que “Depois de bem ajustado o preço, a gente deve sempre trabalhar por amor à arte”, não deixando de contrapor que “O preço da fidelidade é a
    eterna vigilância”, no entanto, o prudente Jacques Bossuet peremptoriamente afirmou
    que “A honra é como a pedra preciosa: com um pequeno defeito, tem o preço
    enormemente reduzido”.
    Continuando a ler a peça tendo estas filosofias em mente, chegamos ao busílis da questão: Então se ele [António Lopes] está falido e louco, como pode comprar JCA que não se vende por dinheiro? Será António Lopes um nubívago voador que não pretende descer das nuvens? Ou será José Carlos Alexandrino um nefelibata que ao pensar que atingiu o zénite se recusa a assentar os pés na terra?
    A resposta parece-me simples, António Lopes quis comprar Alexandrino com “Cartas de Favor” avalizadas pelas “Virtudes Cardeais – Prudência, Temperança, Justiça e Fortaleza”. Não vejo outro modo de credibilizar esta entrevista.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

    • Carteiro de Oliveira

      Ó Guerra, o Lopes bem lhe mandou as cartas, mas não as levantou.
      Com moderado equilíbrio, prudentemente fugiu à força da justiça.

  • P.inóquio.S

    Blogue costista comparou Seguro a Hitler
    Autor do post já retirou o texto. Foi “um momento infeliz”, justifica.

    A direção do PS nem queria acreditar no que lia a meio
    da tarde desta segunda-feira: no blogue informal de apoio à candidatura
    de António Costa à liderança do PS – antonio.blogs.sapo.pt, de que que
    fazem parte o próprio Costa e apoiantes como Isabel Moreira, Pedro
    Delgado Alves ou João Galamba -, alguém comparava António José Seguro a
    Adolf Hitler.

    “Se Hitler ameaçava levar o mundo todo com ele para o
    abismo caso a Alemanha tombasse, assim parece agir António José Seguro
    do seu ninho de águia”, lia-se.

    “Isto é de uma enorme gravidade”, logo se qualificou no Largo do Rato.

    Qualquer semelhança com o que se passa em Oliveira do Hospital. é “pura coincidência”.
    Acabou-se a vergonha, o respeito, os princípios.

    • Sombra

      Espera pelo próximo numero da “caras” e vai ver a reportagem sobre Adolf António Hitler S. Lopes e a cadeira do poder.
      Só que ali o ninho não é de águia, é de vespas.

    • Muito atento

      Aqui estão os dois grandes “José Borges”, familiares, maçónicos e oriundos do Gerês. O mais novo (jotinha, presidente da JS de Lisboa) escrevia aquelas lindas peças, que fizeram com que o blog que era público passasse a privado. O outro “jovem” agricultor de cinquenta e tais aninhos era o principal comentador. Dois asquerosos socráticos que querem mamar num governo idêntico ao pior de sempre, pois todos lá do blog são mandados pelo ALDRABÃO- SÓCRATES.

  • P.inóquio.S

    Ó “Carteiro de Oliveira”: Fico baralhado.Então o Lopes mandou as cartas e não as levantou? Explica lá melhor? Tens razão.Há sempre maneira de resolver o problema.Para pessoas de bem nem cartas seriam preciso…

    • Carteiro de Oliveira

      As cartas foram bem endereçadas, iam com os destinatários certos com aviso de recepção e todas as conformidades como manda a lei. O remetente não falhou.
      O que falhou foi a verticalidade dos destinatários, que ao verem quem era remetente, já sabiam que não era nenhuma “carta de favor” que ali estava, sabiam bem que era o pedido de “pagamentos de favores” em divida. Como são pessoas de boas contas, não as levantaram. Dizem que o remetente está falido, e que falido por falido, então que fique mais falido.
      São os xuxalistas que temos a governar o burgo.

  • va mos la pensar….

    Só pretendo levantar uma questão ?…. Digam me lá:
    Já algum de vós apoiou Financeiramente os Bombeiros ou algum clube de Futebol no Concelho , com o vosso próprio dinheiro?! O Sr. António Lopes já.. O Sr. António Lopes pode não ser um Santo… mas não se têm andado a servir como fazem os Socialistas com empregos e serviços de contratos 15 16 dias pagos a cima da Média… Assim vai a Nossa Câmara Municipal com prejuízos elevados e para o ano vai ser pior….

  • P.inóquio.S

    “Sombra”: Como o enhor presidente não é de tricas nem de se metar na vida pessoal,como se viu na recente entrevista ao Folha do Centro,não creio em tal coisa. De resto era o que faltava,um boletim Municipal dedicar-se a tricas…Sendo que já nada me espanta…

    • Sombra

      Possivelmente estarei enganado.
      Não será efectivamente um “ninho de vespas”, é um “ninho de víboras”.
      O Sr. Presidente da Câmara anda de cabeça perdida. Eu estou cá, bem vejo.

  • Alberto Caeiro

    Ora com tantos heterónimos, este pretenso diálogo não é mais do que um monólogo!
    P.inóquio.S, Sombra, Carteiro de Oliveira, Erasmo de Roterdão, Zeca Diabo, entre muitos outros, a vossa prosa é um caso de estudo, não só na vertente literária, como na vertente médica (psiquiatria).
    Ora então faz perguntas, escreve as respostas, comenta os próprios comentários – que desilusão!
    Com tanta autopromoção pensei que fosse mais inteligente e que houvesse mais honestidade política da sua parte (António Lopes).
    É esta a sua forma de ser e de se afirmar na sociedade – os líderes comunistas são assim, gostam de ser os protagonistas, gostam de ser considerados o centro das atenções. Porém há alguns que o fazem discretamente, outros preferem impor-se pensando que desta forma conseguem o respeito de outras pessoas. Começo a dar razão aqueles que dizem que os comunistas são o “bicho papão”.

    • Isto está um Desassossego

      “Sê tolerante porque não tens a certeza de nada.” [Fernando Pessoa]
      Sou essa gente toda? Tens medo do “bicho papão”?
      O que dizer? Nada para além de parafrasear novamente Fernando Pessoa.

    • Carteiro de Oliveira

      Este pastor, tem medo do “bicho papão” comunista.
      O pastor Zé Borges, tem medo da “águias” nazistas.
      A verdade, é que todos têm medo de mim, do carteiro, pois não consigo entregar as cartas. Fogem de mim.
      Ó Berto, porque não vens buscar a tua?

  • Antonio Lopes

    Devo concluir que, eu, não sou eu..?

    • Carteiro de Oliveira

      Sr. António. Calma, não tire conclusões precipitadas.
      Não vê que esta malta já não sabe quem é.
      O presidente já disse “não tenham medo de ter medo”, mas ainda não conseguiram interiorizar. Quando presentem o carteiro, entram em pânico, deixam de raciocinar, confundem as pessoas, enfim, começam a ver o António Lopes em todo o lado.
      Um fenómeno deveras curioso. Não sei se terá cura

  • Antonio Lopes

    Já agora, não serei também o João Brandão, o Alberto Caeiro, o João Garra, o Oliveirense e tantos mais.Pois, fique sabendo:sei quem são, e quem lhe dá as dicas…

    • Pritágoras

      Não, senhor AL:
      De facto – e de direito, já que o “jornal é seu!”- o senhor escreve, em demasia, por aqui.
      Esta, mesmo sendo o seu último reduto de opinião, já que NÃO É O ACTUAL PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DO CONCELHO DE OLIVEIRA DO HOSPITAL – como o sr. cavaco é para o país, a

      • Pritágoras

        primeira figura nacional, o PR da A M de OH é a primeira figura do concelho, ou seja, quem o representa – perdoe-me a comparação!- interessar-me-ia, em primeiro lugar, que o senhor, aqui, sem restrições de qualquer tipo, nos informasse – sabe, informação, aquilo que é objectivo, indo/dedutivo, e vice-versa, sobre as grandes questões – que o sr., enquanto candidato à primeira vitória, e à segunda, andou em todas essas andanças – não diga que foi enganado, porque não foi – deveria ser mais claro, objectivo, não em dívidas….MAS EM OBRAS QUE DEIXOU, SIGNIFICATIVAS, ao invés daqueles que – só agora? Já se esqueceu de que quando era autarca da SIMPLES freguesia de Vila Franca da Beira, entrou em rotas de colisão? – não me passa pela cabeça que, mesmo depois de ter perdido a “magnífica campanha que fez, em Vila Franca, para ganhar o PS – com ” a criança que pariu em Vila Franca? Já se esqueceu, depois disso, que os seus actuais adversários, na altura, lhe disseram que “toda a gente só lhe dava ouvidos porque o sr. tinha muito dinheiro?…Não entendeu o apelo?E, esses mesmos, foram aqueles que o sr, numa de revanche contra o sr Mário Alves,o acolheram como amigo e “peão”? E que agora o acusam de ser contra a vontade expressa dos eleitores da CDU, na penúltima eleição e de, através do seu reviralho, procurar, junto do Presidente,,tentar boicotar as iniciativas da freguesia que o senhor ajudou a reformar e a desenvolver? E a quem obrigou, a muitos eleitores, muito antigos, firmes, a mudar o voto?
        O sr. que tanto “acredita na História”, acredita que alguma vez lhe serão cantados cânticos de louvor?
        – Só se for o Jano, que o sr. acha que, com o seu dinheiro, “comprou” a Junta. – nunca um democrata faria, no mínimo, tal insinuação…e ,agora, o autarca das duas freguesias, do PS,o” expulsou” da presidência da ASS Municipal?
        O sr, que respeito, quis , sempre, deixar um cheirinho a dinheiro…por onde passou ….recordo-lhe que, mesmo depois de muitos anos após do 25 de abril, muitos daqueles que o chamaram para a ribalta, como sabiam que o sr “cagava milhões”…eram os mesmos que, anos atrás, penduravam os comunistas nos postes de iluminação….e lhe vieram, depois, em primeiro lugar, pedir dinheiro para o futebol…e o sr deu
        Queixa-se de quê, sr. António Lopes?
        De traições? – foi avisado.
        De oportunismo? – agora é isso que lhe chamam, oportunista.
        De demagogo? – não, “falso profeta”…ahahahaha
        O sr, como de seu apanágio, a partir da altura em que se considerou “deus financeiro”, conseguiu fazer milagres,: acredite. conseguiu partir uma laranja em gomos que nunca mais deu uma laranja…, sequer sumo;;mas fez, erradamente, alianças. E queimou-se. E gastou muito dinheiro. Comprou o que não devia comprar, vendeu o que não devia vender…e emprestou dinheiro a quem não devia ter emprestado.
        Ou seja:
        De mecenas, por erosão do seu centro ,do seu próprio umbigo, passou a maldito:
        – O sr António Lopes foi avisado. (Curiosamente, escolheu o caminho contrário. Aguente-se.)
        Para o concelho, tudo isto é uma farsa. E o sr. quer queira, ou não queira, está metido nela..
        Desenrasque-se!

        • Sombra

          Confirmando aquilo que escreveu, e que sem duvida tem razão, já deu para perceber que António Lopes, apostou no “Cavalo Errado”. No entanto foi o primeiro a vir a terreiro pedir desculpas. Desculpas, que efectivamente já por várias vezes pediu, inclusive na Assembleia Municipal.
          Pessoalmente, acho que António Lopes vale muito mais que o seu dinheiro, e perdoo-lhe ter sido por aí que se mostrou e publicitou, pois era a maneira mais rápida de se dar ao conhecimento, tendo sido real que destroçou o PSD e levou o PS a vitórias impensáveis.
          Saudosismo neste momento não leva a lado nenhum.
          vamos ver como o homem se vai desenrascar.

      • Sombra

        Retirei isto do site da CMOH, se António Lopes já não é o Presidente da Assembleia, então que actualizem o site.
        O problema do PS e JCA, é que ele ainda é.

        Deputados Municipais
        Membros eleitos para a Assembleia Municipal

        António dos Santos LopesPresidente da AssembleiaCarlos Manuel Vieira Mendes1º Secretário da Mesa da AssembleiaAntónio José Rodrigues Gonçalves2º Secretário da Mesa da AssembleiaAldina Henriques Lopes da Cunha Neves
        André Duarte Pereira
        António Raúl Dinis Costa
        Carlos Augusto Inácio da Fonseca
        Carlos Jorge Mamede de Carvalheira Almeida
        Élia Sofia Duarte Feiteira
        Fátima Patrícia Amaral Figueiredo
        Francisco Borges Garcia
        Francisco José Marques Borges Garcia
        José Ferreira da Cruz Loureiro
        Luís Manuel Mendes Correia
        Luís Miguel Ruivo Lagos
        Maria Cristina Marques Carvalho de Sousa
        Maria Luísa Pinto Soares Vales
        Nuno Jorge Brito da Cunha Caetano
        Nuno Miguel Saraiva Vilafanha
        Patrícia Andreia Saraiva Moreirinhas
        Rafael Sousa Costa

        Membros por inerência do cargo de Presidente de Junta de Freguesia

        Agostinho de Jesus Marques
        Américo Marques Figueiredo
        Aníbal José Abrantes Correia
        António Afonso Jorge
        António Manuel Nunes Soares
        Carlos Alberto Baptista Costa Borges
        Carlos Artur Simões Esteves Maia
        Carlos Manuel Mendes Castanheira
        José António Gomes Guilherme
        Licínio Manuel Silveira das Neves
        Luciano Marques Correia
        Luís Filipe Nina Mendes
        Nuno Filipe da Cruz Marques Rodrigues de Oliveira
        Olga Maria Filipe Bandeira
        Rui Jorge Campos Coelho
        Vasco Marques Brantuas Ribeiro

        • Sombra

          Agora já retiraram o Homem da presidência

          Carlos Manuel Vieira Mendes Presidente da Assembleia (em substituição)
          António José Rodrigues Gonçalves 1º Secretário da Mesa da Assembleia (em substituição)
          Aldina Henriques Lopes da Cunha Neves2º Secretário da Mesa da Assembleia (em cooptação)

          André Duarte Pereira
          António dos Santos Lopes
          António Raúl Dinis Costa
          Carlos Augusto Inácio da Fonseca
          Carlos Jorge Mamede de Carvalheira Almeida
          Élia Sofia Duarte Feiteira
          Fátima Patrícia Amaral Figueiredo
          Francisco Borges Garcia
          Francisco José Marques Borges Garcia
          José Ferreira da Cruz Loureiro
          Luís Manuel Mendes Correia
          Luís Miguel Ruivo Lagos
          Maria Cristina Marques Carvalho de Sousa
          Maria Luísa Pinto Soares Vales
          Nuno Jorge Brito da Cunha Caetano
          Nuno Miguel Saraiva Vilafanha
          Patrícia Andreia Saraiva Moreirinhas
          Rafael Sousa Costa

          Membros por inerência do cargo de Presidente de Junta de Freguesia

          Agostinho de Jesus Marques
          Américo Marques Figueiredo
          Aníbal José Abrantes Correia
          António Afonso Jorge
          António Manuel Nunes Soares
          Carlos Alberto Baptista Costa Borges
          Carlos Artur Simões Esteves Maia
          Carlos Manuel Mendes Castanheira
          José António Gomes Guilherme
          Licínio Manuel Silveira das Neves
          Luciano Marques Correia
          Luís Filipe Nina Mendes
          Nuno Filipe da Cruz Marques Rodrigues de Oliveira
          Olga Maria Filipe Bandeira
          Rui Jorge Campos Coelho
          Vasco Marques Brantuas Ribeiro

          .

  • P.inóquio.S

    O “Pitágoras” escapou ao arrolamento. Pela escrita vê-se que não pertence ao grupo que escreve às ordens do Alex. Poderá ser que o Sr.´AL escreva muito. A verdade é que assina. Nos outros jornais é o que se vê. Não vejo cá ninguém que escreva mais frontal e directo. Com a vantagem que se identifica. Não vejo porque haveria de recorrer a outros heterónimos. “Pitágoras”: é capaz de ter alguma razão no que escreve, abaixo. Talvez propositadamente esqueceu-se que, ainda o AL por aqui não andava e já o CBS escrevia “Acorrentados” com caricaturas de Mário Alves e João Abreu, envoltos em correntes. Era célebre o “Mário Abreu” e o João Alves”… Esqueceu que o desautorizaram em plena AM a favor de Mário Alves? Então como agora, tomou a mesma atitude. Será que não merecemos um Concelho sem ditames a “Bandeirinhas”? É no poder local que se afirmam ideais políticos..? Podem ter-se posturas. O que goza de mais prestígio, a CDU, como atrás dito, foi o que se viu… E acha que a “mãozinha” vai ficar com os dedos todos? Não creio…

    • Pritágoras

      Prezado…
      Em primeiro lugar, PRITÁGORAS….(Já tentei modificar…coisas de tamanho de letra…para Prrrrrrrrrrrrriiiiiiiiiiiii!….tágoras.-como quem diz: chega!
      Agradeço as recomendações…arrolamentos são coisas para tribunais….deixe-se disso.
      Depois, deixe lá a régua e o esquadro – e a SUA bússola…também parece sofrer de atracções identificadas.
      Alinhamentos?- não seja tolo….
      O Beira Serra, desde que “apareceu à luz”, segundo creio, não foi para fazer História….
      No mínimo, terá interesse, para quem quiser, daqui por vinte, ou trinta anos, para consultar alguma coisa, o consulte – ao jornal, não a si.
      Insinua que há pessoas que escrevem, por aqui, às ordens do Alex….(deixo-lhe, a si, como inquiridor- mor do que aqui se escreve, tais conclusões.
      O meu propósito, como SIMPLES MUNÍCIPE do concelho de OH, residente, é conhecer aquilo que é objectivo: situação financeira da câmara – também votei e não estou na Assembleia Municipal – documentos significativos para a gestão – desculpe lá incluir, aqui, o conceito DEMOCRÁTICA – da autarquia de OH…
      Para finalizar, não vá lá a sua (des)bússola apontar para o lado errado:
      -Muito antes de “doutas sabedorias”, “aventais maculados”, “imbecis deputados”, ou outra coisa qualquer, chamaram ao Alex de “parvónio”, já outros o tinham identificado como natural candidato…esses outros, nada tinham de “aventais”…
      Muito menos de “falsos profetas”!

      • Pritágoras

        E tenho que acrescentar que, a esse tempo, nenhum dos actuais “satélites” do Alex – o Alex não é nenhuma estrela! – NENHUM deles, saíu em sua defesa.

        • Sombra

          Caro Pritágoras;

          Para quem está 12 dias a preparar esta resposta, deixe que lhe diga, esperava algo de mais concreto. É que fiquei na mesma. Podia pelo menos concluir alguma coisa.
          É que mais parece algum conhecido do AL, com respostas que só ele entende. Os outros ficam aqui a olhar para o sete estrelo.
          É que assim dá ideia que teme a sã discussão com qualquer leitor.
          Faz-me lembrar aqueles jogadores de futebol que temem o contacto, que têm medo de sujar o equipamento.
          Faça-se ao jogo, e a jogada sem medo. Diga-nos o que lhe vai na alma, ou só o Sr. Lopes é que o entende?

          • Pritágoras

            Nada disso…
            Quem é que é que obrigado a andar, – a chafurdar! – por aqui, todos os dias?
            As suas insinuações futebolísticas, são o que são:meras insinuações.
            Guarde lá a metralha , o telescópio – e a bolinha de cristal – ,, a chuteira e o apito para melhores futebóis…
            E jogue no seu campeonato….que não é o meu.
            Apenas reafirmo que o que me interessa é o conhecimento, em concreto, da situação actual da CMOH.
            O resto, como bem reporta, não sendo futebol, é folclore.

          • Sombra

            Se quer saber da situação actual e concreta da CMOH, tem que perguntar a quem de direito.
            Aqui comentam-se noticias e informações que chegam.
            Por isso acerte lá a biqueira, que assim é só golos falhados.

          • Pritágoras

            Guarde lá a bolinha de cristal , a chuteira e os “futebóis” para si.
            Sabe que, disso,(CMOH) não há informação consistente e, muito menos, por aqui.
            Diria um conterrâneo meu que, de tais sentenças, se deduz que quem as profere são pessoas que “Têm uma certeza no….que nem erram o chão”!- ainda no tempo em que não havia casas de banho…

  • Cidadão Oliveirense

    Concidadãos

    Muito por aqui se escreve, pouco se diz e muito se diz mal.
    Estamos a meio do ano de 2014, e cerca de 9 meses de governação camarária e como cidadão Oliveirese não consigo encontrar quer neste meio de informação que dos outros ao nível concelhio e distrital qualquer menção a investimentos a sério em OHP bem como criação de postos de trabalho, mediadas contra o abandono dos jovens activos para outros pontos do país.
    Agradava ver o que foi feito para o real desenvolvimento do nosso concelho.

    O sr. AL na posição que ocupou como PAMOHP tem o conhecimento bem como tem os meios necessários para essa divulgação, caso exista.!!

    Assim sejamos mais inteligentes a exigir o que não é dado aos Oliveirenses em vez de este tipo discurso que apenas alimenta egos a uns e denigre de forma leviana outros.

    Uma coisa é certa este executivo é um bluff e escusam de vir agressões verbais pois se querem provar o contrário apresentem com seriedade os 9 meses camaráios sem preconceito.

    Cumprimentos,

  • Guerra Junqueiro

    O preço da democracia.

    Depois de ler a entrevista de JCA, onde refere que para AL tudo tem um preço, questiono-me qual o preço da nossa democracia?
    Hoje, dia seis de junho do ano de dois mil e catorze, comemoramos os setenta anos do início da derrocada decisiva da agressão nazi na Europa, o celebre “dia D”. Particularmente nesse dia 6 de junho de 1944 milhares de soldados sucumbiram em defesa da democracia. Preço alto para alguns, baixo para outros, mas o necessário para a democracia de então.
    Hoje, porque descredibilizamos a democracia, contemplamos o aparecimento de partidos autocráticos por toda a Europa que nos podem obrigar a “desembarcar por muitas Normandias”. Que preço teremos que pagar pela democracia no futuro que pode ser próximo, caso se perca? O que é natural, pois do modo que a cuidamos a tal pode levar. Muito a temos desbaratado e maltratado.
    Democracia, não é só votar, eleger e referendar. Democracia é também criar leis justas, honra-las e fazer cumpri-las. Sendo neste ponto que mais se tem falhado, pois disfarçados de democratas cometem-se crimes a toda a hora, tendo as maiorias, cometido os maiores agravos, pois acham-se muito protegidos, quase intocáveis.
    Tal como a atrocidade bíblica, onde a maioria berrando, libertou Barrabás e condenou Cristo. Esquecendo a lei, lavou daí as mãos Pilatos. Assim aconteceu na AM. Os juristas presentes ofuscaram a lei, e ilegalmente condenaram AL ouvindo a bancada mais numerosa e que mais berrava.
    Quanto teremos que pagar por este calvário? Quanto teremos que pagar por esta falta de democracia? Não sei. O que sei, é que não vejo ninguém a reclamá-la. Não vejo nenhum politico democraticamente eleito vir a terreiro reivindica-la, nem tão pouco as forças politicas. E o pior de tudo. Vejo uma comunicação social, mais preocupada com mexericos, em vez de mostrar a verdade. Reportando e noticiando com cabeça, tronco e membros.
    Porque me custa ver a Democracia tão mal tratada e tão desvalorizada no nosso concelho, que vos vou deixar aqui a prova, que felizmente não é assim em todo o lado. Parabéns Estremoz, saber respeitar é saber valorizar.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

    https://pdfzen.com/8f2a6fa928700ca2#

    • Guerra Junqueiro

      Pag.14

  • P.inóquio.S

    ——– 2.3.2 – PESSOAL CONTRATADO PELA ADESA

    O vereador Mário Alves disse continuar à espera que lhe seja dada uma cópia da listagem do pessoal contratado pela ADESA, sublinhando que “já vou na quarta petição relativamente a esta matéria”.

  • P.inóquio.S

    1.2.2 – PROTETORADOS DO MUNICÍPIO

    O vereador Mário Alves referiu que “na última reunião disse que a Câmara Municipal tinha
    dois protetorados, afinal enganei-me, porque são três protetorados, além da BLC3 e da ADESA a EPTOLIVA é outro protetorado”. ——————————————————————————-

  • P.inóquio.S

    Sobre o assunto, o Vereador Mário Alves questionou o Presidente da Câmara sobre como éque toma posições pelo executivo, dizendo que isenta, quando essa é uma competência da CâmaraMunicipal? Prosseguiu referindo discordar com tal atitude, protestando “pela forma como isto feito, como foi apresentado, e terem passado já duas reuniões da Câmara Municipal depois da Festa do Queijo e só agora vir este despacho a reunião da Câmara”, declarando votar contra a isenção do pagamento das referidas rendas. E diz o “ALex” que não se comporta como “Dono da C”amara.

  • zanziba

    Curiosamente este tipo que dá a entrevista, eleito presidente dos xuxalistas e arruaceiro mor do concelho, pessoa sem principios democraticos alguns, que fugiu do psd porque iria conseguir taxo no ps esqueceu de nesta entrevista enunciar que,
    ele proprio, exigiu que arranjassem um taxo para a companheira (sem habilitaçoes profissionais especificas ou conhecidas a não ser manicure por curto prazo)
    depois de muitas insistencias lá conseguiu que colocacassem a cachopa na blc3 nicho dos taxo em vez de empresas
    finalmente depois de eleito presidente do ps conseguiu exigir mais para a cachopa e pelo que se consta já tem um taxo lá pros lados da Camara ou de Estgoh???
    vergonhosa forma de servir de cargos politicos/publicos

  • zanziba

    MAçONARIA DE COIMBRA E ARREDORES (Com a devida Vénia)

    Loja «Fraternidade e Justiça» – Coimbra
    ……………
    ……..

    Carlos Artur Simões Esteves Maia
    …………..
    ………..
    José Francisco Tavares Rolo
    …………
    ………….
    …………

    Loja «A Revolta» – Coimbra

    ….

    ….

    Arménio Alberto Tavares da Silva

    ………..

    …………

    • olhometro

      Isto foi extraído da listagem da maçonaria mesmo?!
      estou estupefacto!

    • Sombra

      Para que conste;

      A loja “Fraternidade e Justiça” embora seja a oriente de Coimbra, tem o seu espaço físico em Côja. Foi o Dr. Fernando Valle que lhe levantou as colunas.

      Essa lista que existe é anterior a 2004, portanto já tem mais de 10 anos, faço ideia dos membros que hoje a compõem.

      Loja «Fraternidade e Justiça» – Coimbra (Côja)

      Alfredo Carlos Barroco Esperança
      Alipio Mendes de Melo
      António Almeida Santos
      António Augusto Cerveira Cardoso
      António Carlos Ribeiro Campos
      António da Conceição Gonçalves Dias
      António José Gonçalves Castanheira Jorge
      António José Rodrigues Gonçalves
      António José Santinho Pacheco
      Benigno Brito Gomes
      Carlos Alberto Carvalho Castanheira
      Carlos Alberto Gonçalves da Costa
      Carlos Alberto Maia Marques Teixeira
      Carlos Alberto Nunes Dias
      Carlos Alberto Pereira dos Ramos
      Carlos Alberto Raposo Santana Maia
      Carlos Artur Simões Esteves Maia
      Carlos Augusto Inácio da Fonseca
      Carlos Bessa Ferreira
      Eugénio Borges Gonçalves
      Eugénio Tavares Fróis
      Fernando José Duarte Ventura Gomes
      Fernando Manuel Carvalho Castanheira
      Francisco Borges Garcia
      Francisco José Marques Borges Garcia
      Horácio André Antunes
      João da Cruz Marques
      Joaquim António Almeida Martins dos Santos
      Jorge Manuel Gomes Paiva
      José Domingos da Ascenção Cabeças
      José Francisco Tavares Rolo
      José Jorge Abrantes Passos Gonçalves
      José Júlio Matias da Cunha e Sá
      José Mário da Fonseca Monteiro
      Manuel Casimiro Santos Nogueira
      Manuel Cenrada Guinapo
      Manuel Francisco da Costa
      Mário Manuel Guedes Teixeira Ruivo
      Pedro Ricardo Cavaco Castanheira Jorge
      Ramiro José da Silva Jorge
      Ricardo Remédio da Cruz Marques
      Rodrigo Tiago Correia Teixeira Maia

  • Adjunto de Ordens

    O Populismo começaa ruir.Tribunal dá razão a empresário das Caldase confere direito a ficar com as pedras da calçada.Câmara vai ser chamada a pagar prejuizos…

    • Olho vivo e pé ligeiro

      Era mais do que lógico. Então um caminho publico para ir dar a uma fonte privada, no meio do terreno a que pertence a fonte.
      Pergunto, quem pagou aos advogados com o nosso dinheiro? Quem é o culpado por tamanho atraso?
      É o Sr. Presidente da Câmara porque fez costas com o José Carlos Mendes, que lhe prometeu votos.
      Andamos aqui feitos parvos, a pagar a imagem destes palhaços.

  • Não pára

    Prof. Francisco senão quiser a pedra da calçada mande entregar na minha quinta que eu tenho como lhe dar uso….
    Este executivo é derrotas atrás de derrotas, só gastar dinheiro do povo e para quê ?? alimentar egos, o mandato com mais festas de sempre em OHP

    • Eu

      Mas ó cromo esta obra não foi mandada construir pelo Executivo do Mário Alves?
      Na tua quinta não são necessárias mais pedra, pois calhaus já lá há que chegue!

      • Pedreiro

        Também lá estás?
        Maior calhau do que tu, não há.

      • Não pára

        Antes demais cromo foi quem te fez orelhas…
        Pouco me interessa quem fez a calçada, que a pedra dava geito na minha quinta dava.
        Podes fazer de asno e carregá-la…

  • ILVICO

    Esta CM dá-se mal com pessoas sérias. Parece que estorvam…. E a cambada de crominhos e jotinhas presentes em todas as iniciativas?

  • Fenómenos

    O CBS devia entrevistar o ilustre jurista Ramalhete, para ele vir dizer como foi possível cobrar um parecer contrário á decisão do Tribunal, sabendo ele que os documentos de prova eram favoráveis ao proprietário. Esse rapazito não pode andar a brincar á politica em assuntos sérios, mas como agora é vereador coisa que não era á data do parecer por si elaborado.

    Ramalhete
    Quid Juris

  • Guerra Junqueiro

    CARA OU COROA

    Embora seja considerada a ciência que estuda o futuro, a Futurologia não indica o que vai acontecer, mas sim o que possivelmente acontecerá, o que provavelmente poderá acontecer.
    Ainda que se afirme que as áreas de aplicação da Futurologia situam-se sobretudo a nível político e de alta gestão, os resultados dos futurólogos assim como as bases estatísticas que muitas vezes os suportam, negam solenemente tal propósito. O que se passa na banca assim como na politica nacional são a prova disso, pois têm como resultado, o oposto ao que “futurologaram” no passado. O que está mal, não sei, mas acredito que mais se deva à rectidão e honestidade dos envolvidos, que “futurologam” de maneira a tirarem partido imediato dos resultados previstos das suas “futurologações”, mesmo sabendo que os resultados reais serão o oposto aos que alegremente mostram enganando o povo que gosta mais de contar com o “ovo no cu da galinha” acreditando constantemente nestes “adivinhos” de mangas-de-alpaca, do que
    negar-lhes o poder com as ferramentas que têm ao seu dispor, quando a escolher
    são chamados.
    A verdade é que têm sido estes haríolos da felicidade, que com estas políticas têm levado a água ao seu moinho, secando completamente os restantes terrenos que poderiam ser extremamente férteis. Constroem-se maravilhosos moinhos que trabalham em roda livre, pois falta-lhes o essencial, os cereais, que não se criam em terrenos dessecados. Olhem à vossa volta e vejam a quantidade de atafonas que nada produzem e que servem somente para colorir a paisagem fruto de uma “Política
    de licenciamentos urbanos e industriais” lesada de compadrios ambíguos e
    duvidosos, levando-nos a crer que figuradamente, por mais que se mude de moleiro, não se muda de ladrão.
    Mas o que tem isto a ver com o “cara ou coroa” perguntam vocês?
    Têm razão, para já nada. No entanto se determinássemos as nossas decisões atirando a moeda ao ar, tínhamos 50% de hipóteses de acertar na melhor opção, o que me parece muito mais atraente e convidativo do que acreditar nos resultados dos nossos futurólogos que raramente, para não dizer nunca, acertam na melhor opção, ficando muito aquém das possibilidades garantidas pelo sim ou não da “moeda ao ar”.
    Aproveitei esta pequena dissertação para introduzir e encaixar o tema que me inquieta, e que deve preocupar todos os Oliveirenses, que é a próxima reunião do órgão máximo do concelho, i.e., da Assembleia Municipal.
    Como parece ser consensual, o “desterro” a que condenaram o Presidente António Lopes está eivado das mais notórias e evidentes irregularidades, obrigando na melhor das hipóteses a novas votações, pois caso seja considerado o sufrágio anterior, não tendo sido conseguido os necessários 2/3 dos elementos que compõem a Assembleia Municipal como manda o artigo 18, nº4 do regimento, não podem destituir AL do cargo de Presidente como fizeram. Acreditando que na próxima Assembleia Municipal, vamos ter AL a dirigir os trabalhos ou pelo menos a iniciá-los, a votação que se seguirá para a sua destituição vai ter tanto de engraçado como de ridículo. Pois é agora que chegamos ao “cara ou coroa”, senão vejamos;
    Acreditando que os seis deputados do PSD e do CDS votem pela permanência de AL, restam 31 votos que são mais do que os vinte e cinco necessários. Realço 25 necessários, porque não estou a ver a inclusão na ordem de trabalhos desta votação para a próxima reunião, pois caso o fizessem, o PS estava a negar tudo aquilo que
    defendeu até aqui. O que na realidade, e pelo que em cima referi, já não me ciladearia.
    Admitindo que o presidente de junta da CDU esteja mais próximo ideologicamente de AL do que do PS, competir-lhe-á votar ao lado do seu sequaz, remetendo para 30 o
    número dos decisores. Não me custando a crer que a independência de Travanca de
    Lagos pese também para o lado de AL, pois apesar destes últimos esforços feitos pela CMOH, levando o Sr. Presidente a dizer, que a Liga dos Amigos é a menina dos seus olhos, a remodelação da sua sede, mais não é do que a compra do voto contra AL. Recordando ainda o que JCA evocou relativamente “às valias da vendade indivíduos”, não acredito que seja esse o “preço” da independência, que se bitola e pauta “por outros valores, bem mais altos”, como a honestidade, honra e seriedade.
    Fazendo jus a esta ideia, tem o Partido Socialista 29 votos favoráveis dos 25 necessários. Resta ao PS ter a certeza e confiança nos presidentes de junta que arregimentou ao seu projecto sob a égide do “suprapartidarismo” e do “tudo pelas pessoas”. Não nos podemos esquecer, que freguesias como Seixo da Beira, Lagos e Lageosa, Oliveira do Hospital e São Paio, Penalva e São Sebastião, São Gião, Aldeia das Dez, Avô e Lourosa têm presidentes de junta que não comungam do espirito socialista, tendo estas equipas alinhado, porque acreditaram na dupla JCA/AL. Dupla essa agora desfeita, o que deixa em aberto o resultado do escrutínio que se adivinha, assim como quem será a pessoa que se vai sentar na cadeira do presidente da assembleia? Será António Lopes, ou um vereador PS? Será Cara ou será uma Coroa deste “reinado socialista”?
    Sendo verdade que o pior resultado possível do PS seria 21 votos a seu favor, contando somente com os socialistas devotos, que custe o que custar votam contra AL, nem que custe mais. Acredito que facilmente chegue aos vinte e cinco, pois nesta altura já muitas condutas foram direccionadas para moinhos visíveis e invisíveis, que mais uma vez vão custar caro aos Oliveirenses, que sabem que águas passadas não movem moinhos. Sendo certo que muita água vai correr debaixo da ponte, e que AL foi marinheiro acostumado a navegar em águas atribuladas, tenho para mim que o melhor é não “futuralogar” e optar por uma decisão fifty/fifty com moeda ao ar de “Cara ou Coroa”, pois ninguém sabe o que aí vem, e “o futuro a Deus pertence”.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • P.inóquio.S

    “Guerra”: Por aí não acredito que a coisa muide muito. É consabido que o Povoléu fala mas gosta de estar perto do poder e gosta de ver satisfeitas as cunhazitas que mete. Quaisquer vinte mil euros ano, que saõ do erário e deviam lá ir ter por direito e não por favor, chegam para moldar as vontades.O problema vai resolver-se mas é pelo lado do “mar revolto”..O malagueiro já está “grosso”. Enjôo já tem que chegue. Basta ver aquela pobre entrevista do Alex. O homem não sabe o que diz nem diz o que sabe. Abalroamentos e naufrágios vêm a seguir…Por outro lado o clamor das Juntas e associações à espera do que nunca mais chega as obras que pararam e que se deculpa com tudo menos com a verdade, falta de “guito” a continuidade do emprego dos afilhadotes e (as) é que já anda a gerar muito desencanto. Prometer foi fácil. Cumprir é que é um problema. Pior que tudo é que se abusam cortam-lhe o dinheiro na fonte. E também já aconteceu duas vezes..Logo poisam…

  • registos

    MAçONARIA DE COIMBRA E ARREDORES (Com a devida Vénia)

    Loja «Fraternidade e Justiça» – Coimbra
    ……………
    ……..

    Carlos Artur Simões Esteves Maia
    …………..
    ………..
    José Francisco Tavares Rolo
    …………
    ………….
    …………

    Loja «A Revolta» – Coimbra

    ….

    ….

    Arménio Alberto Tavares da Silva

    ………..

  • P.inóquio.S

    “Pitágoras” : às vezes dá-lhe para o descuidado. Actualmente e fruto do empenho de alguém, tem as actas das Assembleias Municipais publicadas , logo que aprovadas. As da Câmara, actualmente e depois de muita discussão, num espaço de tempo reduzido. O que se decide está lá.O que se “cozinha” é um pouco mais difícil… vai-se sabendo…Por exemplo dizem que não pagam dormidas mas levaram a reunião de camara para aprovar 150 para os participantes no raly…

  • António Lopes

    E de que maneira..! Agora é que vamos tratar da solução… Dos geradores, desculpa esfarrapada, mas já vieram a terreiro.E das lonas? Sempre tinham o tal fio de ouro à volta? Ninguém diz nada..! Mas eu, tenho para dizer.E muito, e bonito…Para o PS admito que não fizesse parte da solução.Mas, para o Concelho, com tempo, farei por justificar e merecer, o que me pagam..! E é com as melhores soluções para o Concelho que eu estou preocupado…