Assembleia Municipal pretende ratificar destituição António Lopes que considera este acto mais uma ilegalidade

António Lopes quer documentos sobre a água dentro dos prazos legalmente estabelecidos ou que seja eliminado o ponto seis da ordem de trabalhos da AM

O agendamento da demonstração do resultado das receitas e despesas da água e saneamento do ano de 2014 por comparação com 2012/13 para a próxima Assembleia Municipal do Município de Oliveira do Hospital (agendada para a próxima sexta-feira) sem facultar aos deputados municipais os respectivos documentos de suporte não agradou a António Lopes. O deputado não aceita que os mesmos sejam entregues apenas no início da AM e pediu já hoje ao presidente da Assembleia Municipal em exercício que lhe sejam facultados os documentos dentro dos prazos legalmente estabelecidos. António Lopes, que foi o primeiro eleito à Assembleia Municipal, na missiva dirigida a Rodrigues Gonçalves, explica, que para estar em condições de discutir aquele tema terá de ter tempo para estudar os documentos. Se os mesmos não lhe forem facultados, este deputado sugere a eliminação daquele ponto. Caso contrário, ameaça impugnar a reunião por incumprimento das formalidades e prazos previstos no regimento daquele órgão.

“Se há mesmo interesse em discutir o assunto, agradeço uma listagem nominal de todos os consumidores nos anos que se pretende discutir, entregue atempadamente, bem como cópia das facturas da Águas do Zêzere e Côa nos anos citados para se poder fazer auditoria aleatória aos consumidores e fornecedor, de forma a aferir a fiabilidade dos números apresentados. De outra forma, estando os números apenas no domínio da Câmara Municipal, poderá a mesma manipula-los dentro das leituras mais convenientes, fazendo dos desejos realidade”, escreve António Lopes que não entende a pressa de se agendar aquele ponto sem fornecer os respectivos documentos aos deputados municipais. “Não tendo a iniciativa carácter obrigatório, também não se alcança o objectivo de tal agendamento! Será problema de má consciência, quanto aos aumentos verificados? Será necessidade de propaganda e justificação do injustificável?”, questiona.

António Lopes não entende a pressa de se marcar esta reunião se não existem documentos disponíveis para fornecer aos deputados. “Acabamos de receber a convocatória da Assembleia Municipal para o próximo dia 13 de Fevereiro de 2015. Nela se diz que a documentação relativa ao ponto VI,’Demonstração do Resultado das receitas/despesas da Água e Saneamento do ano de 2014, por comparação como ano de 2012/2013’, será apresentada antes do inicio da Assembleia! Regista-se e aplaude-se a iniciativa da Câmara Municipal de, finalmente, achar conveniente ir dando contas da sua actividade à Assembleia Municipal. Contudo, estando a Assembleia Municipal marcada para o dia 13 e podendo, nos termos legais, ser marcada até ao dia 28, ‘não conseguimos alcançar’, qual o objectivo da marcação da Assembleia para aquela data sem que a respectiva documentação seja distribuída, em tempo útil para análise e estudo pelos membros da Assembleia. Qual é a pressa?”, interroga-se.

LEIA TAMBÉM

Feridos nos fogos que afectaram Oliveira do Hospital estão isentos de taxas moderadoras e têm medicamentos gratuitos

As vítimas dos incêndios de Junho e de Outubro do ano passado, que afectaram, entre …

Oliveirense Paulo Campos entre ex-governantes de Sócrates sob escuta e pode vir a ser constituído arguido

O processo que investiga Parcerias Público-Privadas Rodoviárias, ao fim de sete anos, está na recta final …

  • abacate

    Mais uma pura perda de tempo .Preocupa-os mais a festança do queijo e da abóbora que assuntos sérios .Tambem com gente com esta capacidade e seriedade democrática e que se diz do poder ou da oposição mas que nada faz ou estuda dos dossie do concelho não se pode esperar mais . Essa gente precisa lá de se afirmarem pelo mérito ou trabalho? Precisam e de comer a conta e resolver os seus egos. Homem ou poe este jornal a funcionar em formato de papel nem que seja numa simples folha e em ‘informal’ uma vez por mes ou anda a chover no molhado.Escrever aqui começa a ser repetitivo e sem quaisquer frutos visíveis, porque essa gente do poder e oposição não sabem o que e serviço publico e convém alimentar retórica, enquanto o concelho definha e os amigalhaços se vao sacando .Acho eu !

    • Politicalex

      Os jornais em papel quantos leitores têm, ou, se quiser, quantos são vendidos..? Máximo 200.Sabe quantas pessoas lêem este jornal? Tenho informação que, diariamente,mais de 2500.O Futuro da imprensa não é o papel..Ando por aí e sei bem o que o pessoal pensa. Força CBS.Veja quanto tempo levaram a reparar o autoclismo..! Nem duas horas..!

      • Quem sabe, sabe

        O jornal em papel só se for para limpar o “ferreira gomes”, e a sair uma ou duas vezes por mês, anda tudo doido. As noticias são ao minuto. Actualizem-se. Eu vejo aqui noticias, que em algumas horas têm centenas de leituras. qual jornal em papel…como digo, só para limpar o cu. Até compram telemóveis para seguir o CBS ao segundo, qual papel.

      • Assurancetourix Das Beiras

        Aqui o Bardo, que é adepto da discordância sã, tem (para variar) de concordar com ambas as perspectivas. O on-line é, sem dúvida, imprescindível, até pela interactividade que permite aos utilizadores. Mas não esqueçamos que estamos num Concelho onde muitos, por desconhecimento ou impossibilidade, não acedem frequentemente à internet. Muitas vezes, vindo de fora, sei as notícias do burgo, porque as vejo on-line. Mas reparo que muitos dos que cá estão, por não terem hábitos de consulta na internet, não fazem ideia do que se passa. E na hora do voto, tanto vale o do informado como o de quem não faz a mínima ideia do que se passa ou, pior, pensa que o que se passa é o que vem retratado nos “jornais” e “tv” do regime.

        O jornal, mesmo vendendo pouco, vai informando… no barbeiro, no cabeleireiro, na associação, no café, na sala de espera do advogado, do médico, do contabilista… Havendo essa possibilidade, seria concerteza proveitosa. Uma coisa não descarta a outra como, de resto, já tive oportunidade de dizer pessoalmente a um dos colaboradores do CBS.

        Cumprimentos.

        • António Lopes

          Caro “Assurancetourix”: Já alguém disse que, contra factos, não há argumentos. Contudo as edições em papel, se não forem só para captar publicidade e justificar uns subsídios a troco de umas “larachas e améns”, têm um custo relativamente elevado.Bem sei que a liberdade e os princípios nunca foram baratos mas, nos tempos que correm, não se faz o que se quer..! Faz-se o que se pode..! Por certo tem estado atento ao gáudio que “alguns”, que foram dos mais aboletados,se deleitam apelidando-me de falido.Efectivamente as tesourarias, sejam elas quais forem , já conheceram melhores dias. Contudo temos fortes esperanças que, num futuro muito próximo, esta “vida ruin” acabará por terminar.Como diria o Alfageme de Santarém, faremos então, o que por ora sugeris e o Concelho merece..! Depois, o on-line, que não é incompatível com a publicação em papel tem , de facto, grandes vantagens,O autoclismo foi reparado duas horas depois da notícia..! Se fora em papel, teria-mos mais duas semanas de água a correr para os esgotos, pagando uma e outros.Fique certo que a sugestão está pensada e vai ser executada…Obrigado pela crítica construtiva.

  • Que artista

    Ai o Alex queria apresentar as contas, sem que ninguém as pode-se verificar, era assim, despe-te e deita-te? Já na reunião de câmara não as mostrou porque eram para apresentar na Assembleia Municipal. É que me saiu cá um artista, deve lá haver pouca m**da deve. E tantos a comer às custas da água e saneamentos.
    Chegue-lhes Sr Lopes, o País precisa de se ver livre deste tipo de parasitas.

  • Contador de “Histórias”

    Eu espero é que o Senhor Presidente da Câmara leve as contas bem feitas de quanto se perde por mês com os autoclismos e outros “ismos”em água…Também seria interessante que levasse a lista de quantas contas já mandou mudar aos que vão lá perguntar-lhe que pouca vergonha é esta e acabam a discutir os jogos de bola, (o forte do presidente)enquanto alguém corrige as facturas…Um dia destes parece que era um bem constituído a dizer-lhe se andava tudo doido…e lá veio alguém(até podia dizer o nome)com a factura mais pequena…O que vale é que tudo se sabe…

  • Contador de “Histórias”

    Quem é que me consegue explicar este documento..???A Direcção da SRE consegue? Disseram-me que não!!!

  • Contador de “Histórias”

    Quem é que me consegue explicar este documento..???A Direcção da SRE consegue? Disseram-me que não!!!

  • Contador de “Histórias”

    Quem é que me consegue explicar este documento..???A Direcção da SRE consegue? Disseram-me que não!!!

    • João Paulo Allbuquerque

      EXCLARECIMENTO

      Sei que há gente na posse de documentos que fazem parte da acta da última
      reunião da CMOH referente ao mês de Janeiro de 2015, sendo portanto públicos.
      Várias pessoas me questionaram sobre estas situações que pensavam estar
      resolvidas, às quais respondi que não eram da responsabilidade da Sociedade
      Recreativa Ervedalense (SRE) e que esta não se quer envolver em qualquer
      polémica.
      Tal como o presidente, a restante equipa da Direcção da SRE nada teve a ver com estas decisões tomadas pela autarquia, a qual adiou um mês a entrega deste subsídio, que já há muito estava datado. Recentemente, recebemos as justificações da “vogal” em questão, que actuou somente em benefício da SRE e que, dentro das suas possibilidades, trabalha para que os processos não emperrem. Faltou-lhe, porém, tal como à autarquia informar de imediato a SRE das decisões que tomaram ou pretendiam tomar, pois conhecem todos os nossos contactos que estão disponíveis 24 horas por dia.
      Quanto à legalidade, ou falta desta, não me cabe ajuizar. No que à Direcção da SRE diz respeito cá estamos para dar todas as justificações do que fizemos, no devido local: em Reunião da Assembleia na sede da SRE.

      João Paulo Pombo de Albuquerque
      Presidente da Direcção da SRE

      • Transparência

        Enfim, mais uma avaria dos senhores da Casa Branca… Muito bem.

      • António Lopes

        Embora conhecedor do assunto, há vários dias,”não quero” acreditar no que os meus olhos vêem…Quando pessoas responsáveis, a este nível,transformam diferendos pessoais em ilegalidades grosseiras e decidem, em dinheiro público, como se fossem os donos do mesmo e das instituições, algo vai mal.Diria mesmo, muito mal..! Com a agravante que, a vogal em questão é, também, a secretária do Senhor Presidente da Câmara, que, por lealdade que não devia ser exigida, se pode ver envolvida em problemas, onde, manda o bom senso, não devia estar envolvida..!
        Se os vogais das instituições começam a decidir pelas direcções e se a Câmara começa a distribuir dinheiro ao primeiro que lho pede, e sem poderes para o acto,vamos ter austeridade por muito e muitos anos..!
        Começa a ser claro quem é que gosta de decidir, em todo o lado e por toda a gente…Começa a ser um imperativo de consciência que não decidam por muito tempo…

      • Sócio

        Mas afinal quem é que manda na SRE? Pelos vistos é o Sr Presidente da Câmara, ou é a sua secretária?

        • Também sócio

          Parece que não lês-te, vai à assembleia.

      • Liberdade

        Guerra Junqueiro,
        Que andas a fazer rapazito, mas tu não tomas da tua casa. Só visto, então os assuntos do tua Sociedade são tratados e local próprio, mas tu os assuntos dos outros quer vir aqui opinar, mudades João para Guerra.
        Isto é caso para o MP sondar, pois começa a surgir um chorilho de ilegalidades.

        • Também sócio

          O MP e a IGF, mas não é com emplástros como tu e do teu tipo, que isto lá vai.
          Eu bem vejo quem é que vai fazendo e mostrando alguma coisa.

    • Observador

      Então isto já se faz assim? Ai como anda esta Câmara… Eu mando e tu fazes…cuidado com isto…vejam o exemplo do Sócrates… Ai. Ai. Metem-no na grelha que é mais saboroso…..

    • Observador

      Tenho pena que as coisas sejam assim,pois estimo e admiro a Dra.Liliane,,, pena que a levem a isto…

  • Politicalex

    Ao que isto chegou..! E a “Excelentíssima Câmara” aprovou sem pestanejar..? Anda tudo louco..? Se isto agora é assim escusa de se subir ao primeiro andar. Fala-se com os contínuos, cá em baixo, e fica resolvido. Eles também podem decidir..! Não gostar da direcção da Sociedade Recreativa Ervedalense é uma coisa. Mandar a secretária da Câmara e vogal da SRE fazer o pedido e assinar pela direcção, é outra bem diferente. A Instituição e os seus órgãos eleitos não merecem outro respeito?

  • Como?

    Esta é uma inovação do executivo da CM de Oliveira do Hospital. Nem quero acreditar. isto é de loucos. Se as instituições funcionarem, quer-me parecer que alguém vai dançar.

  • Guest

    Sr. Contador de Histórias, dou-lhe os meus parabéns, pois não é qualquer um que consegue um documento tão valioso, é pena não ser entregue no local certo, mas estou convencido que acaba por lá chegar! Meu Deus, eu não acredito. Ao ponto que isto chegou! Sr António Lopes, questioune sff na Assembleia Municipal.Isto tem que parar. Quem é que nos acode?

    • Contador de “Histórias”

      Então acha que um “docesinho” destes ia ficar a endurecer..? Tem mais umas peripécias muito interessantes…Lá para 4ª Feira devem estar numa instituição chamada Inspecção Geral de Finanças…! Esta gente perdeu a noção do que é o serviço publico e as regras básicas das instituições…

  • Inocêncio 15

    Eis o resultado da incompetência , arranjismo , falta de carácter e prepotência feita à medida com tunicas de democratas pretensamente bem falantes, espalhando soldaditos pelas diversas frentes do concelho, desde Associações a escolas . Um autêntico caos para um concelho perdido com partidos que promoveram e promovem os medíocres às almoçaradas pagas com boas senhas e boletins itinerários.
    Pois claro , foram 4 anos de engano e já vai para mais 2 de incapacidade que somam a outros 6 anteriores de destruição, que estes rapazotes estão a copiar.Que bem gasto que foi e é o dinheiro de todos os parvalhões que votam nesta gente
    Imagina-se o que aconteceu naquela casa e está a acontecer .
    Claro, para alguns isto é ser profeta da desgraça. Convém .
    Inocêncio 15,Bem público, ou caso de policia?

  • MEDITEM

    A Pró-actividade de António Lopes contrasta com a Reactividade de Alexandrino.
    Leiam e Meditem:

    “Comparação: Pro-activos e Reactivos

    As pessoas reactivas são aquelas que pensam e actuam dentro de padrões de causa e efeito. Pessoas pró-activas influenciam o meio, garantem harmonia, direccionam boas energias, iluminam tudo e a todos ao seu redor. Nunca se sentem vítimas das circunstancias. Escolhem com sabedoria as coisas que podem influir para uma mudança significativa que atenda a muitos.

    Vejamos como cada um se comporta em diferentes situações:

    1) Se um Pro-activo comete um erro, diz: “Enganei-me“, e aprende a lição. Se um Reactivo comete um erro, diz: “A culpa não foi minha“, e responsabiliza terceiros.

    2) O Pro-activo sabe que a adversidade é o melhor dos mestres. O Reactivo sente-se vítima perante uma adversidade.

    3) O Pro-activo sabe que o resultado das coisas depende de si. O Reactivo acha-se perseguido pelo azar.

    4) O Pro-activo trabalha muito e arranja sempre tempo para si próprio. O Reactivo está sempre muito ocupado e não tem tempo sequer para os seus.

    5) O Pro-activo enfrenta os desafios um a um. O Reactivo contorna os desafios e nem se atreve a enfrentá-los.

    6) O Pro-activo compromete-se, dá a sua palavra e cumpre. O Reactivo faz promessas e quando falha só se sabe justificar.

    7) O Pro-activo diz: Sou bom, mas vou ser melhor ainda. O Reactivo diz: Não sou tão mau assim; há muitos piores que eu.

    8) O Pro-activo ouve, compreende e responde. O Reactivo não espera que chegue a sua vez de falar.

    9) O Pro-activo respeita os que sabem mais e procura aprender algo com eles. O Reactivo resiste a todos os que sabem mais e apenas se fixa nos seus defeitos.

    10) O Pro-activo sente-se responsável por algo mais que o seu trabalho. O Reactivo não se compromete nunca e diz sempre: “Faço o meu trabalho e é quanto basta”.

    11) O Pro-activo diz: “Deve haver uma melhor forma de fazer”. O Reactivo diz: “ Sempre fizemos assim. Não há outra maneira.”

    12) O Pro-activo é PARTE DA SOLUÇÃO. O Reactivo é PARTE DO PROBLEMA.

    13) O Pro-activo consegue ver a parede na sua totalidade. O Reactivo fixa-se no azulejo que lhe cabe colocar.”

  • António Lopes

    Sou a informar todos os Munícipes que os documentos para o Ponto VI me foram enviados hoje, dentro dos prazos mínimos que a lei prevê.. Leva tempo, resistem, resistem , mas começam a entender que, afinal, há leis..!