António Lopes renuncia ao mandato na Assembleia Municipal

… de renunciar ao cargo para o qual foi eleito nas autárquicas de 2005 com mais de 800 votos. O pedido de renúncia já seguiu para o presidente da Assembleia Municipal e António Lopes agendou para amanhã, 22 de Novembro, pelas 18h30, uma conferência de imprensa a realizar no Hotel São Paulo, em Oliveira do Hospital.

Contactado há instantes pelo correiodabeiraserra.com, António dos Santos Lopes justificou a decisão de renúncia com a sua “vida profissional e a vontade manifestada pela CDU de rotação dos quadros eleitos”.

Confessando não ser “muito homem para demissões”, Lopes – que deveria retomar o seu lugar na Assembleia Municipal extraordinária do próximo mês de Dezembro – admitiu que para a sua tomada de decisão “pesou bastante a vontade” que lhe foi transmitida pelo partido e que acabou por aceitar pelo facto de não estar “agarrado aos lugares”. “O lugar não é meu, é do partido”, referiu a este diário digital, recusando ser igual aos que “estão agarrados ao poder”.

Convidado pelo correiodabeiraserra.com a avaliar a vontade manifestada pelo partido pelo qual foi eleito em 2005, António Lopes disse não ter “mal” a dizer sobre a CDU, sem deixar no entanto de referir que “as ambiguidades não existem só na casa dos outros”. “Nas nossas também as há”, sustentou, considerando que se fosse ele a decidir “não fazia as coisas de determinada maneira”.

No lugar de António Lopes, está desde Dezembro de 2007, o eleito pela CDU Luís Almeida, a quem o deputado demissionário reconhece qualidades. “Acho que os eleitos da CDU são, em princípio, de alguma qualidade”, frisou a este diário digital, entendendo como uma “mais valia” a rotação dos eleitos, até porque no seu caso concreto – como disse – está “normalmente ausente do concelho”.

Recorde-se que foi a 22 de Dezembro, em reunião extraordinária da Assembleia Municipal, que António Lopes solicitou a suspensão de mandato daquele órgão. No mesmo dia, renunciou ao mandato de presidente da Assembleia de Freguesia de Vila Franca da Beira. “Não escondo algum desencanto com a actividade política no concelho, onde não se respeitam os princípios básicos da democracia”, afirmou na ocasião António Lopes a este diário digital, sem deixar de considerar “um bocado «sui-géneris» que o partido que detém o poder, seja um dos principais opositores ao poder autárquico e continue a não retirar a confiança política ao presidente da Câmara”.

LEIA TAMBÉM

SONAE (Ai – Ai …) Ou em como o “ouro” de uns é o nosso prejuízo!

CDU vê aprovado na Assembleia da União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira voto de protesto contra falta de apoio das autoridades às vítimas dos incêndios

O eleito da CDU na Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Ervedal e …

Nova liderança da JSD de Oliveira do Hospital quer colocar problemas dos jovens na agenda política local

Virgílio Salvador, de 26 anos, foi eleito no domingo presidente da Juventude Social Democrata de …