ARCIAL angariou fundos para residências e foi brindada com projeto das piscinas

 

“Foi bastante satisfatório”. A avaliação foi feita ao correiodabeiraserra.com por Rosa Carvalho, presidente da direção da Arcial, instituição que, no dia 9 de julho, abriu as suas portas à comunidade para a realização de um jantar solidário.

Participada por “muita gente”, a iniciativa permitiu à Associação de Recuperação de Crianças Inadaptadas angariar fundos destinados a suportar os custos com a construção de duas residências autónomas, com capacidade para 10 utentes.

Num investimento total de 280 mil Euros, com comparticipação assegurada de 70 por cento, a nova resposta social da Arcial deverá entrar em construção no início do outono.

O jantar solidário que contou com a colaboração do tecido empresarial e o “total envolvimento e empenho” dos técnicos e demais funcionários da Arcial ficou, ainda, marcado pelo gesto solidário do arquiteto Carlos Santos que, naquela noite, brindou a associação com projeto para a construção das desejadas piscinas, destinadas a reabilitação e hidroterapia.

“O sonho passou para o papel”, afirmou Rosa Carvalho a este diário digital, que dando conta da sua gratidão pelo considerável gesto, verificou que, com a existência de projeto será mais fácil tornar o sonho em realidade. Segundo contou, após a conclusão do projeto, o mesmo vai ser entregue na Segurança Social e esperar pela abertura de candidaturas destinadas a financiar este tipo de obras.

O projeto contempla a construção de dois tanques, um dos quais, mais pequeno, destinado a pessoas com mobilidade reduzida e, por isso, apoiado por uma plataforma móvel. Um segundo tanque, maior nas suas dimensões, destina-se à prática de hidroterapia e é aberto a utentes da instituição e comunidade em geral.

A Fundação Aurélio Amaro Diniz e a Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla já se afirmaram como parceiros na utilização do complexo.

Segundo Rosa Carvalho, os dois tanques ficarão localizados no terreno onde já se encontram instaladas as restantes valências da Arcial.

“Temos terreno, temos projeto, só precisamos de dinheiro”, sublinhou a responsável, que espera poder continuar a contar com a solidariedade da população para a concretização do novo sonho da instituição.

Rosa Carvalho não está contudo alheada do “momento muito difícil” que afeta o país e as famílias, pelo que tem consciência de que “as coisas se vão fazendo passo-a-passo”.

“Temos os pés bem assentes na terra e primamos pelo bem-estar dos utentes e pelo cumprimento no pagamento dos ordenados aos nossos funcionários”, referiu.

A Arcial presta auxílio a 80 utentes, dos quais 50, ao nível do Centro de Atividades Ocupacionais e 30 na vertente de formação profissional. A empresa de inserção, dedicada à jardinagem e trabalhos domésticos, envolve 11 pessoas.

LEIA TAMBÉM

Oliveira do Hospital fora dos estágios do PEPAL para as regiões afectadas pelos incêndios

O Governo anunciou ontem a abertura, na próxima segunda-feira, das candidaturas para estágios na administração …

MP arquiva queixa da BLC3 contra CBS e PJ continua a investigar participação criminal de António Lopes contra aquela associação

O Ministério Público (MP) determinou o arquivamento (despacho de arquivamento na integra) da queixa apresentada …