Armando Vara condenado a cinco anos de prisão

Armando Vara detido no caso José Sócrates

O ex-ministro Armando Vara foi detido para interrogatório no âmbito da Operação Marquês, avança o jornal electrónico Observador. Segundo a Procuradoria Geral da República, refere aquela publicação, por detrás da detenção de Vara “estão em causa factos susceptíveis de integrarem os crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais”.

OObservador adianta ainda que Armando Vara, amigo pessoal de José Sócrates, está detido no Comando Metropolitano da PSP de Lisboa e será presente amanhã ao juiz Carlos Alexandre para interrogatório judicial e respectiva aplicação de medidas de coação. A mesma publicação diz que foram efectuadas buscas em escritórios de pessoas ligadas ao ex-primeiro-ministro José Sócrates, numa altura em que está a ser investigada a compra de 25% do empreendimento turístico de Vale do Lobo, no Algarve, pela Caixa-Geral de Depósitos, com perdas superiores a 100 milhões de euros. A operação financeira data de 2006, altura em que Vara era administrador da Caixa Geral de Depósitos.

O ministro da Administração Interna e Adjunto do Primeiro-Ministro nos Governos liderados por António Guterres esteve também envolvido no processo Face Oculta, tendo sido condenado a cinco anos de prisão efectiva.

LEIA TAMBÉM

Governo lança hoje financiamento de 36 milhões para recuperar floresta das áreas ardidas, sendo 4 milhões para o Pinhal Interior

O Governo lança hoje concursos faseados de apoio à floresta, por região do país, no …

À Boleia Autor: André Duarte Feiteira

O país da Maria, do Manuel, das cunhas e dos tachos! Autor: André Duarte Feiteira

Que bonito é Portugal! Um país à beira mar plantado, com um clima afortunado e …

  • António Lopes

    Esta manhã passei à porta do Campo de Concentração do Tarrafal. Recordando 37 dos melhores filhos deste País,que ali perderam a vida em luta pela liberdade e democracia,não posso deixar de sentir repulsa pela vil tentativa em curso de transformar presos de de direito comum em vitimas políticas.Em política não vale tudo.Um pouco de pudor e respeito por quem lutou e morreu, era capaz de ficar bem .