São acções que se deviam realizar com mais frequência – os simulacros na escola –, defende o comandante dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital, Emídio Camacho, sustentando que é importante ter “formação adequada para dar respostas rápidas” em casos reais.

“As escolas deveriam executar simulacros

Imagem vazia padrãoOs alunos da Escola do Primeiro Ciclo de Ensino Básico e do Jardim da Infância da cidade de Oliveira do Hospital – cerca de 250 – foram, na passada sexta-feira, evacuados do interior dos edifícios e encaminhados para o exterior, por ter soado o alarme de incêndio. De facto, o fumo saiu por uma das janelas, os bombeiros foram accionados, mas tudo não passou de um simulacro de incêndio em ambiente escolar.

Com direito a resgate de um aluno pela janela de uma sala do primeiro andar da EB1, o exercício – como explicou o comandante Emídio Camacho – teve o objectivo de pôr em prática o Plano de Emergência que deve existir em todas as escolas do concelho. “O ideal é sensibilizar, pegar no plano de emergência e pô-lo em prática”, referiu, acrescentando que “as escolas deveriam executar estes exercícios duas vezes por ano”. Segundo o comandante do Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital, professores e auxiliares de educação devem estar preparados e ter formação adequada para dar respostas rápidas em caso de incêndio real.

No balanço ao exercício, Camacho referiu que “decorreu dentro das expectativas”, embora tenha percebido que “há algumas situações que é preciso colmatar”. “A Escola tem que saber identificar os toques de emergência e os professores e auxiliares têm que estar preparados”, acrescentou, referindo que é sua preocupação sensibilizar as escolas para a realização destes exercícios, quer na área dos incêndios, quer dos sismos e a da segurança rodoviária. Os simulacros não têm sido frequentes no concelho de Oliveira do Hospital, mas Emídio Camacho espera que, daqui para o futuro, se possam realizar com maior periodicidade, revelando estar já a ser preparada a realização de um exercício semelhante na Escola Secundária. Garantiu também não ter memória de qualquer registo de incêndio em edifícios escolares concelhios.

Exposição reúne 720 miniaturas de viaturas de bombeiros

No edifício da Caixa de Crédito de Oliveira do Hospital abriram-se, também na manhã de 11 de Abril, as portas para a exposição que reúne cerca de 720 miniaturas de viaturas de bombeiros. Propriedade de José António Cruz e Vítor Gomes, as peças vão estar expostas até ao dia 30 de Abril, no âmbito de uma iniciativa da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital. Os alunos da EB1 e Jardim-de-infância da cidade foram os primeiros a visitar a exposição que pode ser também visitada por outras escolas do concelho e público em geral.

Presentes na inauguração José António Cruz e Vítor Gomes – bombeiros da corporação do vizinho concelho de Tábua – fizeram as delícias das crianças com algumas demonstrações, fazendo uso de duas miniaturas.

Proprietário de 665 miniaturas, Vítor Gomes revelou ao Correio da Beira Serra que iniciou esta colecção há cerca de 10 anos com o objectivo de incutir nos mais novos o espírito do voluntariado e da actividade de bombeiro. Espera, em breve, atingir as mil miniaturas. José António Cruz começou a sua colecção há cerca de 20 anos, mas fica-se pelas cerca de 50 miniaturas. Revelou, contudo, que tudo começou após o nascimento do filho que costumava presentear com uma viatura de bombeiros em tamanho reduzido.

Esta é a segunda vez que Gomes e Cruz expõem as suas peças. No espólio agora disponível em Oliveira do Hospital estão também cerca de 70 miniaturas de um bombeiro de Oliveira do Hospital.

LEIA TAMBÉM

Caça praticamente proibida no concelho de Oliveira do Hospital até Maio de 2018

A caça está proibida até 31 de Maio de 2018 nas zonas consumidas pelos fogos, …

Capoula Santos apresentou em Oliveira do Hospital novas medidas de apoio aos agricultores afectados pelos fogos

O Ministro da Agricultura apresentou, ontem, em Oliveira do Hospital, as novas medidas de apoio …