ASAE vai fiscalizar autenticidade dos produtos tradicionais colocados no mercado nas áreas afectadas pelos fogos

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) inicia em Março uma operação de fiscalização centrada nos produtos tradicionais nas áreas afectadas pelos incêndios em 2017, como, por exemplo, a sua certificação e a quantidade que vai ser colocada no mercado revelou o inspector-geral Pedro Gaspar em entrevista à Lusa, citada pelo site Noticias ao Minuto.

“Temos de dar um sinal de que estamos atentos aos fenómenos e dar algum acompanhamento. (…) Confesso que ainda não defini o nome da operação. Vamos ter uma operação demorada, que deverá começar em Março e que se prolongará por seis a sete meses”, disse o inspector-geral da ASAE. Pedro Portugal Gaspar explica que os incêndios afectaram a produção de muitos produtos típicos daquelas regiões, o que justifica a actuação da ASAE.

“Houve aqui uma tragédia nacional como é público e notório e, na área económica, há aqui um conjunto de produtos típicos das regiões em causa, seja de queijos, vinho, azeite, fruta e mel que de facto tiveram a sua produção fortemente abalada. (…) Temos de perceber se as quantidades que vão ser colocadas no mercado são as mesmas de antes dos fogos”, disse, adiantando que em cima da mesa vão estar os problemas da autenticidade alimentar, da falta de genuinidade, e da quantidade de produtos que depois da tragédia poderá ser menor. “Temos de saber ler certos fenómenos e orientar a organização [ASAE] para eles, tendo presente o elemento da autenticidade e da fraude alimentar”, sublinhou.

 

LEIA TAMBÉM

Faleceu uma mulher de Oliveira do Hospital vítima dos incêndios que devastaram o concelho

Uma mulher vítima dos incêndios de Outubro de 2017, que estava internada no Centro Hospitalar …

Luís Mota voltou a vencer as 100 milhas do Oh Meu Deus – Ultra Trail Serra da Estrela

O atleta Luís Mota, do Clube do Benfica de Abrantes, venceu as 100 milhas do …