Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital reúne este sábado em sessão ordinária

Está marcada para as 09h00 de amanhã a sessão ordinária da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital que compreende 11 pontos na ordem de trabalhos. Carlos Mendes dirige a reunião que sucede àquela em que António Lopes foi destituído de presidente da Mesa da Assembleia.

Atendendo ao atual momento político concelhio marcado pela rutura entre os dois grandes vencedores das últimas eleições autárquicas – o destituído presidente da Assembleia Municipal, António Lopes e o presidente da Câmara Municipal, José Carlos Alexandrino – as atenções centram-se por esta altura na próxima reunião da Assembleia Municipal, marcada para as 09h00 deste sábado, 28 de junho.

Tal acontece por, pela primeira vez, desde as autárquicas de 2009, os trabalhos não serem iniciados pelo presidente da Assembleia Municipal vencedor em sufrágio e eleito pelo grupo de deputados, mas antes pelo presidente provisório. Uma situação que decorre do sucedido na Assembleia Municipal de 26 de abril, em que António Lopes foi destituído de presidente da mesa daquele órgão por proposta do partido pelo qual foi a votos nas duas últimas eleições autárquicas. Recorde-se até que António Lopes passou para o “lado” dos deputados ainda antes da entrada na ordem de trabalho. Um lugar que António Lopes – aguarda pelo resultado do pedido de impugnação àquela reunião – deverá continuar a ocupar na reunião deste sábado, durante a qual deverá dar conta do seu descontentamento pelo facto de lhe ter sido negado o pedido de agendamento de um ponto na ordem de trabalhos, entre outras matérias.

Da ordem de trabalhos fazem parte 11 pontos, entre os quais a versão final de proposta do Plano da 1ª revisão do PDM e propostas de regulamentos. Destaque também para informação acerca da situação financeira do município (ponto I) que tomando por base a data de 31 de maio de 2014 aponta para uma redução da dívida total do município – passou de 5. 517. 225,75 Euros em março para 5.432.573,64 Euros em maio – com aumento da dívida a fornecedores /empreitadas (passou de 568.017,86 para 677.618,81 Euros) e redução nas empreitadas (passou de 315.484,01 Euros para 221.834,96 Euros). Em matéria de subsídios verifica-se um aumento, passando a dívida de 99.133,82 Euros em 31 de março para 138.415,16 Euros em 31 de maio.

No que respeita às disponibilidades, a informação municipal dá conta de um aumento considerável que aponta para mais do dobro verificado em março deste ano. A 31 de maio, as disponibilidades perfazem um total de 1.437.944,67 Euros contra os 679.974,75 Euros verificados em março deste anos, com reflexo proporcional nas disponibilidades em banco que passaram de 674.111,92 Euros em março, para 1.429.282,28 euros, em maio deste ano.

LEIA TAMBÉM

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

  • Fumador

    Será que vamos passar dos “PROVISÓRIOS” para os “DEFINITIVOS”?

    http://3.bp.blogspot.com/-9lz7xFje7ZI/Up-Cmv50LxI/AAAAAAAA5NY/ZdLul66b3Kg/s1600/images.jpg

    • Não foi desta

      Parece que continuamos nos “PROVISÓRIOS”.

  • Setinhas

    Quando o Paulo Rocha apresentava as contas, eram todas com setas para cima. Agora é tudo com setas para baixo.
    Vão buscar o homem a Angola.

  • Marco Brito

    Mais um campo onde deixo o comentário que fiz para que seja visto por todos.

    ——–

    Boa noite a todos.

    Não sou natural de Oliveira do Hospital, mas falaram-me deste jornal e do que se passava aqui. Estou a passar por Oliveira do Hospital por me terem falado da zona do colcorinho, os mesmos que falaram deste jornal, e lembrei-me de vir ver os jornais locais online para conhecer mais da região. Este de facto foi o que me fez perder mais tempo, mas pela negativa.

    Perdi uns minutos a ver as notícias e a ler os comentários por curiosidade. Vi que os comentários eram feitos pelos mesmos e sem conteúdo interessante.

    Tenho vergonha que existam pessoas assim e no meu país, que parecem miúdos sem educação e que não têm trabalho nem nada para fazer. Também quero deixar um reparo para o jornal: sendo um jornal online e onde as crianças podem aceder facilmente, é incorreto deixa apresentar os conteúdos que aparecem e que não são exemplo para ninguém. Não sei como podem deixar isto acontecer.

    Mais me envergonha que vejo criticas a coisas positivas. Será que só damos valor ao mal e ao estrangeiro.

    Espero que melhor a cultura das pessoas que perdem tempo aqui para apenas a dizer mal, que o seu nível de educação cresça e seja um exemplo para os mais novos e que AS PESSOAS SE DEDIQUEM MAIS A TRABALHAR DO QUE A FALAR DOS OUTROS.

    Também deixo um comentário final ao Jornal. É necessário que os jornais façam mais o seu papel de informação e que não sejam apenas um local onde existe falta de respeito,

    falta de educação e se deixe que as pessoas que não têm nada para fazer critiquem tudo e todos.

    Cumprimentos,

    Marco Brito

    • Papá

      Marquinho? Quem és tu meu anjo? Quem te encomendou o sermão?
      Onde é que viste dizer mal de alguém, que não sejam figuras politicas?
      Vai lá beber chá, e arranjar jeito para isto.
      Aproveita para veres as paisagens e dares banho ao cão.