Maltratar animais de companhia pode dar pena de prisão

Associação quer alegados maus-tratos a animais em Seia devidamente investigados

A Associação ANIMAL exigiu hoje o apuramento de responsabilidades no caso dos alegados maus-tratos de animais no canil municipal de Seia e disse que fez diligências junto do Ministério Público daquela cidade do distrito da Guarda. A ANIMAL explica em comunicado que enviou um requerimento ao Procurador do Ministério Público (MP) de Seia “pedindo a apreensão imediata dos cadáveres dos animais alegadamente mortos de forma cruel e ilegal no canil municipal de Seia, bem como o seu envio urgente para necropsia (para aqueles animais em que esta ainda seja possível) “.

A organização fez ainda “uma participação criminal aos Serviços do MP de Seia com base em todas as informações que tem recolhido, quer testemunhais, quer documentais”.

Rita Silva, presidente da associação, citada na nota, refere que “as denúncias de casos de crueldade e omissão de cuidados, quer sejam de autoria de particulares, quer de instituições do Estado – como são os canis municipais – aumentaram este ano de uma forma assustadora”. “A ANIMAL recebia uma média de 300 a 350 casos por mês, especialmente nos meses de verão e na altura das festas, mas este ano os números dispararam”, acrescenta a responsável.

A instituição sustenta que “fazer legislação é muito importante, mas é preciso que esta seja cumprida”.

“O Estado Português continua a não ser pessoa de bem para com os animais cuja protecção lhe compete. Estamos em 2015 e já basta de estarmos associados à falta de ética para com os animais”, é referido.

A ANIMAL promete tudo fazer “para que as responsabilidades sejam apuradas e para que estas situações – que acontecem enquanto o Governo assobia para o lado -, sejam expostas às mais altas instâncias europeias”.

A direcção preparou um relatório acerca do que se passa em vários municípios do país, “que inclui várias provas de inacção por parte de várias instituições do Estado, incluindo a DGAV (Direção-Geral de Alimentação e Veterinária), e que seguirá para a Comissão Europeia no início do mês de Agosto”.

A Câmara Municipal de Seia divulgou um comunicado na sua página oficial na internet através do qual refere que as imagens difundidas nas redes sociais, “alegadamente destinadas a denunciar actos ilícitos que ocorrerão” no seu canil/gatil municipal, “foram objecto de manipulação e instrumentalização, com o objectivo claro de lançar na opinião pública um clima de indignação”.

O município esclarece ainda que, para “defesa do bom nome da instituição”, encaminhará o assunto para o Ministério Público “para que se esclareçam as acusações de que os serviços do município são alvo, e, por outro, para que se averigúe a natureza das acusações e identifiquem o(s) autor(es) com base na existência de algumas informações que o município divulgará aos agentes da investigação”.

LEIA TAMBÉM

Governo lança hoje financiamento de 36 milhões para recuperar floresta das áreas ardidas, sendo 4 milhões para o Pinhal Interior

O Governo lança hoje concursos faseados de apoio à floresta, por região do país, no …

À Boleia Autor: André Duarte Feiteira

O país da Maria, do Manuel, das cunhas e dos tachos! Autor: André Duarte Feiteira

Que bonito é Portugal! Um país à beira mar plantado, com um clima afortunado e …