Associativismo: Liga de Melhoramentos, Desporto e Cultura de Aldeia de Nogueira

A aproximação à sede do concelho, onde há maior oferta de entretenimento e trabalho, pode fazer crer que a aldeia não tem vida própria, o que não corresponde, de todo, à realidade. Na génese do movimento associativo está a Liga de Melhoramentos, oficialmente constituída em Julho de 1996.

A cultura e o desporto são a ”pedra de toque” que arregimenta a população da aldeia, que pertence à freguesia de Nogueira do Cravo. A vizinhança também não se faz rogada e participa activamente nos eventos que a Liga leva a efeito nas suas instalações, airosas e modernas, mas certamente pequenas em certos dias, quanto a festa comunitária é mais participada, como se espera que aconteça no próximo dia 19 deste mês durante a “desmancha do porco”, o dia por excelência da instituição.

Por agora, é a vertente cultural que anima um punhado de bairristas, liderados pelo António José Cardoso (familiarmente conhecido por “Tó Zé”), presidente da direcção, assessorado por Artur Marques, secretário, Francisco Nunes, tesoureiro, e os vogais Vítor Catão, Manuel Peres, Andreia Marques, André Filipe e Ricardo Henriques.

Não há a “disputa de pontos”, nem se pretendem vitórias pessoais ou colectivas, para além das que socialmente são obtidas com os sucessos do grupo de dança, secções de teatro e ginástica de manutenção – todos “são campeões” pelo desempenho das várias actividades!

De quando em vez organiza-se uma equipa de futsal para representar as cores da Liga, e aos domingos o entretém favorito de alguns é o jogo da malha, cujos torneios têm “fama” na terra, e fica-se por aí a prática desportiva…

O acontecimento mais recente, com enorme sucesso junto da população, foi a leitura das “Deixas” pelo carnaval, algumas delas dirigidas a elementos da direcção, que nem por isso se sentiram agastados.

Na altura, a propósito de outro evento semelhante em Lagares da Beira, o presidente acentuou publicamente como “… uma pequena povoação de 140 habitantes (Aldeia de Nogueira) …” realizou “…contra ventos e marés um carnaval à sua maneira, mais pequeno, mais construtivo e com enorme sucesso…”, com “bailes de máscaras, desfiles de ranchos e fanfarras”, e a participação de “grupos de dança, teatro e sátira popular, pertencentes à organização, enterro do Entrudo e leitura de deixas …”. Lamentava-se o António José Cardoso da falta de apoio da Câmara Municipal, mas deixou registado quão grato estava a Liga pelas ajudas que vieram “da Junta de Freguesia de Nogueira do Cravo, populares, empresas e amigos que nos apoiaram neste enorme sucesso”.

Eleições em Dezembro

No final do ano, a actual direcção cessa funções. Certamente haverá mudanças, como é desejável, como explica o presidente, porta-voz do executivo:

– “A ideia é entregar os destinos da Liga a outras pessoas porque defendemos a rotatividade, mas temos a consciência de que, cada vez mais, faltam pessoas para trabalhar, sobretudo “jovens de espírito”. Por aquilo que me apercebo, do grupo de jovens que participam nas nossas actividades há-de surgir alguém capaz de formar uma nova direcção. A experiência de doze anos de associativismo diz-me que não devemos estar, apesar de todas as dificuldades, muito preocupados com isso em Aldeia de Nogueira”.

 No futuro, o polidesportivo

O bar da Liga funciona de forma perfeitamente democrática. Todos os oito elementos da direcção se revezam no atendimento, e os proventos para fazer face às despesas vêm daí, a que se juntam outros valores, conseguidos durante as festas. “Contabilizam-se” ainda as ajudas dos amigos, que podem ser em materiais, mão-de-obra ou mobiliário.

As instalações da Liga de Melhoramentos, Desporto e Cultura de Aldeia de Nogueira “cheiram” a novo, nota-se a existência de trabalho cuidado, e disso se orgulha o executivo.

– “A galinha do vizinho não é melhor do que a nossa – dizemos com frequência, porque grande parte do trabalho é nosso, executado por populares, com apoio de algumas empresas – como exemplo, as “Construções Peres” –, da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal”.

O futuro é “amanhã”

Adivinha-se risonho o futuro da Liga, tal o enlevo com que o grupo de trabalho perspectiva o amanhã. Opina o presidente, com a anuência dos colegas da direcção:

– “Temos muito orgulho nesta casa e na obra que foi construída por todos aqueles que foram passando por cá. Em doze anos, acho que já foi feito muito. O que todos desejamos para o futuro, é um terreno onde possamos erguer o nosso polidesportivo; até agora, foi nossa preocupação trazer a população ao nosso convívio, e isso foi conseguido, através da cultura e do entretenimento. Passe a imodéstia, vemos isso como a “nossa coroa de glória”.

Carlos Alberto

LEIA TAMBÉM

Papa Francisco prevê a sua própria morte para breve

Papa Francisco prevê a sua própria morte para breve

O Papa Francisco revelou hoje que não espera viver mais do que “dois ou três …

A figura: Joaquim Carvalheira de Almeida

A figura: Joaquim Carvalheira de Almeida

Em memória de Joaquim Carvalheira de Almeida voltamos a publicar um texto da autoria de …