AtivosSociais criam primeiros postos de trabalho em Oliveira do Hospital

 

Pensado pela autarquia oliveirense com o objetivo de apoiar a contratação de jovens e desempregados, o programa AtivosSociais acaba de criar o primeiro conjunto de postos de trabalho, num total de 15.

Uma realidade que resulta do estímulo municipal a que já se associaram uma dezena de Instituições Particulares de Solidariedade Social, três associações e cinco juntas de freguesia.

Os contratos de apoio à contratação de jovens e pessoas desempregadas foram assinados na sessão comemorativa do dia do município oliveirense, correspondendo a um investimento da autarquia de cerca de 15 mil Euros e à comparticipação de cerca de 48 mil Euros por parte do Instituto de Emprego e Formação Profissional. Às entidades que assinaram contrato corresponde um investimento na ordem dos 15 mil Euros.

Responsável pelo pelouro da Ação Social na Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Francisco Rolo destacou a importância do programa criado em maio deste ano, tendo em conta o cenário de crise que afeta o país e o concelho e, em particular, o desemprego que em Oliveira do Hospital já atinge 1051 pessoas. “No concelho existem 33 casais desempregados e 134 licenciados desempregados”, pormenorizou o também vice-presidente, contando que a situação tende a ser mais penalizadora entre as mulheres (567).

Com o programa AtivosSociais, a autarquia pretende “fazer face ao flagelo do desemprego, investindo no apoio à contratação”, explicou José Francisco Rolo, verificando que mais do que um esforço, este programa se assume como uma “opção clara “ do município, no sentido de estimular a contratação. Quando anunciava a criação de 15 postos de trabalho, o vice-presidente destacou igualmente os ventos favoráveis que parecem advir do concurso municipal de ideias de negócio “Empreender +”, ao qual chegaram 15 ideias de negócio na fase de receção de candidaturas. “Motivos para dizer que em Oliveira do Hospital se cultiva a esperança e se investe nas pessoas”, constatou José Francisco Rolo.

Para o presidente da Câmara Municipal a assinatura dos protocolos com as entidades no âmbito do AtivosSociais representa “o compromisso e a atenção da autarquia para com as dificuldades e os desprotegidos dos novos tempos”. José Carlos Alexandrino referia-se, em particular aos mais jovens, sobre quem “recaiu os estilhaços de uma crise económica”

LEIA TAMBÉM

Ano de 2017 foi o melhor de sempre para o turismo no Centro de Portugal

O ano de 2017 foi o melhor de sempre para a atividade turística no Centro …

PSA anuncia produção de carros de lazer na fábrica de Mangualde

Depois de ameaçar encerrar a produção em Portugal, o grupo francês PSA aumenta a pressão …