Autarca de Oliveira do Hospital quer que o novo Governo “retifique” processo de avaliação dos professores

 

A jogar em casa, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital criticou, sexta-feira, os moldes em que decorre a avaliação de professores.

“As escolas estão hoje debaixo de desafios que não estavam no passado”, observou José Carlos Alexandrino que chegou a desejar “boas notas” aos professores que integram o Agrupamento de Escolas da Cordinha, onde também foi docente e exerceu funções de presidente do Conselho Executivo.

Deixando claro que não se opõe à avaliação de professores, o presidente oliveirense manifestou-se antes contra os moldes em que o mesmo decorre, porque entende que para se saber quem são os bons professores “não é preciso preencher 100 folhas e fazer uma série de disparates”.

“Eu sabia quem eram os bons professores”, continuou, ao mesmo tempo que defendeu uma simplificação do processo e se revelou expectante relativamente à posição do novo governo em relação a esta matéria. “Espero que o novo Governo retifique e faça justiça aos professores”, referiu o autarca que, também, se revelou confiante numa alteração positiva da situação.

A participar na cerimónia de entrega dos prémios “Cordinha 2011” à União Desportiva e Tuna Vilafranquense, professor Mário Escada, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens e Biblioteca Municipal de Tábua, o presidente da autarquia oliveirense sublinhou o “grande valor” do Agrupamento de Escolas da Cordinha ao nível da solidariedade.

“Foi o que mais me agradou na minha vida”, frisou, fazendo também questão de destacar o “humanismo” que marca a equipa liderada por Carlos Carvalheira.

“O mínimo que podemos fazer é dizer obrigado”

Integrada no programa Expo-Escolas, a cerimónia de entrega de prémios constituiu-se numa forma “singela e humilde” de abertura da escola à comunidade. Paralelamente, teve o objetivo de prestar reconhecimento “àqueles que, ao longo dos anos, têm ajudado o Agrupamento”.

Tomando por base estes propósitos, a equipa dirigida por Carlos Carvalheira decidiu, este ano, prestar homenagem à vizinha União Desportiva e Tuna Vilafranquense que, com 77 anos, “tem feito um trabalho meritório em todo o território”. Para além de lhe prestar homenagem, Carvalheira chamou a atenção para a importância de se fomentar o associativismo que “está pelas ruas da amargura”.

Interpretando o gesto como “reconfortante”, o vice-presidente da UDTV, João Dinis, atestou a “dificuldade em manter viva e sempre jovem a UDTV”, mas garantiu que o objetivo é conservar a coletividade “viva e aberta”.

O habitual contributo financeiro de Mário Escada também foi alvo de reconhecimento por parte da direção do Agrupamento de Escolas da Cordinha que, reconhece naquele docente “o espírito de ajuda a quem mais precisa”.

Para além de contribuir anualmente para o prémio de melhor aluno da Cordinha, Mário Escada é também conhecido naquela comunidade educativa por ajudar a suprir necessidades de alunos provenientes de famílias mais carenciadas, com destaque para tratamentos dentários. “O mínimo que podemos fazer é dizer obrigado”, referiu Carlos Carvalheira, que destacou “o coração aberto” do professor que está sempre disponível para ajudar. Emocionado, Mário Escada limitou-se a agradecer o gesto.

Ainda que a homenagem fosse dirigida à CPCJ, todas as palavras de reconhecimento se canalizaram para a representante da comissão junto das escolas. “A professora Olinda tem mostrado uma disponibilidade enorme para ajudar”, frisou Carvalheira, que acabou por ser apoiado pela presidente da CPCJ, Luísa vales, que reconheceu o “trabalho excelente” desenvolvido pela professora, que “tem mostrado disponibilidade total e esforço individual inexcedível”.

Olinda Duarte não escondeu a emoção e fez questão de sublinhar que o sucesso do trabalho alcançado também se deve ao Agrupamento de Escolas onde está inserida. “Tem havido uma entreajuda espetacular”, sublinhou.

A boa relação mantida entre o Agrupamento e a Biblioteca Municipal de Tábua (BMT) foi também objeto de realce na cerimónia. Representada pela vereadora da Câmara Municipal de Tábua, Ana Paula Neves, a BMT foi igualmente brindada com o prémio “Cordinha 2011”, pelo facto de, nos últimos anos, fomentar nos jovens o gosto pela leitura. “Nunca houve um não, nem uma fatura com custos”, frisou Carlos Carvalheira.

Do lado de Ana Paula Neves restou o compromisso de continuar a colaborar com o agrupamento. A vereadora fez contudo questão de sublinhar o bom relacionamento que agora existe com a Câmara de Oliveira do Hospital. “Estou na Câmara de Tábua há 25 anos e não me lembro de um bom relacionamento assim”, sublinhou.

“Teve que ser o Zé Carlos a investir no momento certo”

A cerimónia ficou ainda marcada pela inauguração do novo Jardim de Infância de Ervedal da Beira. O espaço localizado na sede do Agrupamento de Escolas da Cordinha resultou da adaptação do antigo ginásio da escola e da “boa visão e disponibilidade” do atual presidente da Câmara “para investir”.

“Teve que ser o Zé Carlos a investir no momento certo”, verificou Carlos Carvalheira, lamentando que “outros tenham negado e fechado a porta” a esta pretensão.

O espaço destinado aos “jovens dos três aos seis anos de idade”, vem substituir o antigo Jardim de Infância de Ervedal da Beira que “não tem dimensões adequadas, nem foi projetado para as realidades atuais”.

LEIA TAMBÉM

Jovens cientistas da EPTOLIVA de Tábua desenvolvem Compósito Antisséptico e conquistam segundo lugar na XI Mostra Nacional de Ciência

Jovens estudantes da Eptoliva, na Tábua, no distrito de Coimbra, desenvolveram uma solução desinfectante a …

A escola ou a escolinha (?). Autor: António Ferro.

Durante várias décadas, fui assistindo às mudanças (algumas drásticas e escusadas) no sistema de ensino …