Autarcas da CDU querem participação das populações na luta contra a extinção de freguesias

 

Os presidentes das juntas de freguesia, eleitos pela CDU, no distrito de Coimbra – Cernache, Castelo Viegas, Ameal, São João do Campo, Torres de Mondego, Vila Franca da Beira, Meruge, Oliveira do Mondego – estão unidos na luta contra a extinção e aglomeração de freguesias.

Para o efeito, em conferência realizada esta semana, os autarcas lançaram duras críticas ao Documento Verde da Reforma da Administração Local e apelaram ao envolvimento das populações e responsáveis autárquicos contra “ consumação dos intentos antidemocráticos e antipoder local das troikas”.

O grupo de eleitos locais considera a intenção de extinção de freguesias despropositada, por entender que no presente o governo deveria, antes, estar preocupado em discutir uma nova Lei das Finanças Locais e a criação das Regiões Administrativas e os seus órgãos de governo regional.

Contas feitas, os eleitos pela CDU prevêem que o Orçamento de Estado para 2012 canalize 8 327 000 Euros para as 209 freguesias do distrito, que na prática corresponde – como referem – a “apenas seis cêntimos por dia e por eleitor”. “Isto dá a ideia da miséria e da injustiça que são impostas às nossas freguesias e seus órgãos autárquicos pela atual Lei das Finanças Locais”, consideram, notando ser este o maior problema do poder local e não o atual número de freguesias e municípios.

Do mesmo modo, os presidentes das oito freguesias governadas pelas cores da CDU propõem a criação das regiões administrativas, consagrada na Constituição da República Portuguesa e que – como adiantam – “não consagra a extinção de 500 ou 1000 ou mais freguesias”.

Neste domínio, os autarcas apelam à Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE) para que assuma uma “posição firme “ e uma “oposição frontal às tentativas de extinção ou fusão de freguesias”.

De modo particular, a Assembleia de Freguesia de Vila Franca da Beira decidiu recentemente pela criação de uma comissão de vilafranquenses destinada a defender a continuidade da freguesia que, apesar de jovem – tem 23 anos – “tem atrás de si a aspiração e persistência de gerações de vilafranquenses, que nunca desistiram até conquistar a autonomia administrativa da sua terra”.

LEIA TAMBÉM

“O presidente diz que Oliveira está na moda. Adarnela só se for na moda da idade da pedra. Não tem água, nem saneamento”

Quem chega a Adarnela, no concelho de Oliveira do Hospital encontra uma localidade dividida entre …

Cemitério de Nogueira do Cravo vai ser ampliado

A Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital aprovou na sexta-feira o alargamento do cemitério de …