Autárquicas 2009: CDU identificou “falhanços” em roteiro marcado pelo uso de capacete branco

Auxiliado por um discurso que, frequentemente, o remetia para a crítica dirigida aos seus adversários políticos nas eleições autárquicas de 11 de Outubro, o candidato da CDU à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital assumiu, esta manhã, o papel de guia num périplo que designou de “roteiro dos falhanços”.

Com ponto de encontro em frente i, há o compromisso deles de aprovarem a candidatura”.

Depois desta tentativa de desmontagem política do candidato do PS, Alexandrino foi peremptório ao concluir que Alves “não tem cara para enganar algum de vocês. Ele tem é enganado todo o concelho”…

Convicto na vitória, o candidato socialista disse ainda que em Oliveira do Hospital “já se respira outro ar e, numa alusão ao candidato do PSD, afirmou mesmo que  “o que se passa no concelho, às vezes, parece uma ditadura”. Para tratar todos os presidentes de junta por igual, prometeu “criar um gabinete de apoio às juntas de freguesia, para que não haja juntas de primeira e outras de segunda”.

Sustentando que no concelho “ainda há muito medo”, Alexandrino disse ter encontrado pessoas que lhe garantem o voto, mas com uma advertência: “Voto em si, mas não posso aparecer porque se ele ganha faz-me a vida negra”.

 “Senhor presidente da Câmara, eu pago-lhe o ordenado na mesma, mas fique quietinho”

Muito aplaudida foi também a intervenção do candidato à Assembleia Municipal que, referindo-se a Mário Alves, perguntou “como é que alguém tão trabalhador, com sentido de honestidade e tão competente, gasta cerca de um milhão de euros em rotundas – “peço desculpa por falar mal”, sublinhou António Lopes – e deixa andar a merda a correr em todas as freguesias do concelho”.

Questionando a honestidade e competência do candidato do PSD, Lopes garantiu que “não há neste concelho um local ou uma freguesia onde os esgotos não andem a correr a céu aberto”, e perguntou se “isto é trabalho”. “Senhor presidente da Câmara, eu pago-lhe o ordenado na mesma, mas fique quietinho” não prejudique mais”, afirmou Lopes.

A candidatura dos socialistas regressou à noite a Oliveira do Hospital, e o candidato – acompanhado por dois “mimos” e algumas dezenas de jovens – fez uma arruada pelos bares da cidade.

A noite terminou na discoteca “Espíritos”, onde José Carlos Alexandrino conversou com o proprietário daquele espaço nocturno – Ricardo Fidalgo é também o mandatário para a juventude de Mário Alves -, e tirou uma fotografia onde também aparece o seu jovem mandatário, João Nunes.

Entretanto, no Domingo, a candidatura rumou a Seixo da Beira e quase não há memória do campo Vasco da Gama ter recebido tanta gente.

Em palco, estavam os Alta Frequência e quase todo o núcleo duro da candidatura de Alexandrino. Com Fernando Tavares Pereira ao lado,o candidato deixou no ar a promessa de que se vencer as eleições, há grandes probabilidades de Tavares Pereira poder vir a ser um dos empresários a instalar-se no pólo industrial da Cordinha.

Novidade foi, entretanto, o facto de o candidato à presidência da junta de freguesia do Seixo, Carlos Batista, ter subido ao palco para afirmar que face à sua entrada nesta corrida eleitoral, vai largar o seu emprego de ajudante de farmácia, que exerce há quase 30 anos.

LEIA TAMBÉM

Afinal em que país vivemos? Autor: António Lopes.

Fazendo uma análise superficial ao resultado das eleições do último Domingo, considerando as euforias e …

Comentários aos resultados eleitorais em Oliveira do Hospital. Autor: João Dinis, Jano

Grande vitória da CDU na Freguesia de Meruge!  A nível municipal, porém, sai muito ferida …