Basquetebol: Sofrer por querer

Na tentativa de evitar o incómodo da semana anterior, o jogo foi marcado em campo neutro, mas com melhores condições. O Maia ocupa o 10º lugar na tabela classificativa, mas ninguém pode dizer que os seus atletas deixam de lutar com todas as forças por esse motivo, é uma equipa sem jogadores estrangeiros, mas com atletas nacionais de grande qualidade e com muita força de vontade.

Com bastante público a deslocar-se uns quilómetros para apoiar a sua equipa, o jogo iniciou-se rápido e muito disputado. Embora a equipa visitante registasse uma média de alturas muito inferior ao Sampaense, um facto é que devido à fraca prestação defensiva dos beirões o Maia conseguiu vantagem fruto do seu jogo exterior.

O primeiro período termina com o resultado de 20-18. Nos segundos 10 minutos o panorama defensivo da equipa da casa piorou um pouco mais. Com uma atitude muito displicente a formação de Emanuel Seco via o Maia lançar de fora e penetrar para o cesto sem conseguir uma oposição capaz de parar os ataques nortenhos.

Os índices atacantes eram óptimos de ambas as equipas, mas a defesa foi muito débil de ambas as partes. A partida vai para intervalo com o resultado de 40-43. O que se passou no balneários do Sampaense só quem lá esteve sabe, mas a conversa de Emanuel Seco para os seus jogadores deve ter tocado bem fundo na sua integridade de atletas, porque na segunda parte a atitude em campo mudou para melhor.

No reatar do jogo o equilíbrio foi desfeito com uma resposta mais concentrada e defensivamente mais eficaz. O Sampaense passou a ganhar ressaltos e a defender com mais garra, o que levou a equipa a destacar-se no marcador, embora sem deixar de ver o Maia sempre a controlar essa distância.

O jogo vai para o último período com o resultado de 65-58. No quarto período o Maia ainda reagiu, equilibrou o marcador mas, como era notório desde início, cada vez que o Sampaense imprimia maior rapidez atacante e maior pressão defensiva disparava novamente no marcador deixando os visitantes sem reacção possível.

A história deste jogo teria sido diferente caso os jogadores da equipa beirã tivessem dedicado o esforço adequado à equipa que defrontaram, sobretudo na primeira parte do jogo. O MVP da partida foi José Gomes com 36 pontos marcados. No Maia destacaram-se também Rui Monteiro com 15 pontos e Márcio Morais com 9 pontos. No Sampaense evidenciaram-se Jorge Sing com 23 pontos, Kendell Craig com 21 pontos e Nuno Soares com 10 pontos.

Por PNV

LEIA TAMBÉM

O Bava da Bola

Um tal Bava, Zeinal de primeiro nome, foi presidente executivo durante anos da PT. Em …

Aquela máquina…

Dois golos de Cristiano Ronaldo e um de André Silva asseguraram a vitória de Portugal …