Bastonário da Ordem dos Médicos visita concelho de Oliveira do Hospital para se inteirar dos problemas de saúde

O bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva, desloca-se a Oliveira do Hospital, na próxima segunda-feira, para se inteirar dos problemas relacionados com a falta de médicos que vêm afectando milhares de utentes do Serviço Nacional de Saúde no concelho. A notícia é avançada pelo site da autarquia, referindo que a visita surge a convite do Presidente da Câmara Municipal, José Carlos Alexandrino. O bastonário da Ordem dos Médicos é recebido, pelas 9h15, no salão nobre dos Paços do Município, visitando depois o Centro de Saúde de Oliveira do Hospital, a Extensão de Saúde de Lagares da Beira e, ainda, o Hospital da Fundação Aurélio Amaro Diniz e a Unidade Móvel de Saúde.

“Esta visita do representante dos médicos a Oliveira do Hospital, surge na sequência das várias tomadas de posição da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital (CMOH), que têm vindo a ser noticiadas na comunicação social, contra a deficiente resposta das estruturas públicas de saúde do concelho”, refere o comunicado da autarquia, salientando que José Carlos Alexandrino tem vindo a advertir as entidades que tutelam o sector para a falta de médicos de família, assim como o problema relacionado com as extensões de saúde que funcionam deficitariamente. É “uma situação muito crítica que provoca grandes danos na qualidade da assistência médica quem vem sendo prestada à população”, refere o autarca.

Sublinhando que para tentar garantir serviços mínimos de qualidade, tem sido a própria Câmara Municipal a assegurar temporariamente, através do orçamento municipal, a contratação de médicos e a cedência de alojamentos, para assim evitar o colapso dos serviços públicos em Oliveira do Hospital”, José Carlos Alexandrino classifica como ” um drama haver mais de oito mil cidadãos, como idosos, doentes crónicos e grávidas, com dificuldades de acesso a uma simples receita médica”

“Não podemos continuar a ter cuidados de saúde precários e insuficientes no concelho de Oliveira do Hospital”, frisa o autarca, dando conta que só a autarquia tem evitado uma situação ainda mais catastrófica. “Se a Câmara não tivesse colocado em funcionamento uma Unidade Móvel de Saúde nalgumas das freguesias mais periféricas do concelho e em zonas de montanha, através de uma parceria com a Fundação Aurélio Amaro Diniz, teríamos hoje um cenário muito mais dramático e muito mais gente entregue à sua sorte”, explica José Carlos Alexandrino.

 Foto: www.jornalmedico.pt

LEIA TAMBÉM

CDU: “Julgamos demasiado sem vergonha utilizar uma inauguração pública para os candidatos de um partido [PS] se promoverem”

O candidato à Assembleia de Freguesia de União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca …

João Brito atónito com “campanha eleitoral a favor do PS” por parte da Câmara ao aprovar hoje mais 10 subsídios a instituições

O vereador do PSD João Brito está atónito com aquilo que classifica de falta de …

  • João Albuquerque

    A Ordem dos Médicos é publica? Foi nacionalizada? Só dá para rir, há quanto tempo é que o homem é o bastonário? O que é que fez? O que é que pode fazer?
    Quando cá chegar e vir que temos um médico Cubano que faz 12 horas diárias e come umas sandes ao almoço para não parar, o que é que vai fazer? Aconselha-lo a fazer só oito?
    O ministro da saúde não diz nada? O Sr Presidente não o quer passear pelos centros de saúde do concelho, como queria passear a ministra da justiça?
    Deixem-se de palavreado, mostrem qualquer coisa. Nem que seja pequenina.

    João Albuquerque

    • Vermelhão

      Mas já sabemos que este convidado o que mais gosta é de aparecer na televisão. É verdade que, com o anterior Governo aparecia quase dia sim, dia também, na vã esperança de que pudesse ser convidado para este Governo. Correu mal, e agora só aparece quando alguém o convida. Mas mesmo assim, e apesar de recentemente não aparecer muito, para não ter de dizer mal deste Governo (da sua cor), de certeza que levará com ele alguma televisão. Duvido é que resolva alguma coisa. Mas certamente almoçará bem, à nossa custa. E deve levar um queijo, ou dois.