Bebés que nasçam a partir de hoje na Alemanha podem ser registados com “sexo indefinido”

País é pioneiro na Europa a deixar inscrever terceira opção no BI. Objetivo é retirar aos pais e médicos a pressão de decidirem entre “menino” e “menina” nos primeiros dias de vida quando o exame visual dos genitais externos e os próprios cromossomas e genes não são esclarecedores.

Determinar o sexo do bebé à nascença pode não ser uma questão assim tão simples e que mesmo com a ajuda da genética pode deixar dúvidas. A Alemanha decidiu, por isso, dar um passo pioneiro e torna-se a partir desta sexta-feira o primeiro país europeu onde será possível inscrever no BI de uma criança uma terceira opção: “sexo indefinido”.

O objetivo da nova lei é retirar aos pais a pressão de terem de decidir nos primeiros dias de vida entre “menino” ou “menina” quando o exame visual dos genitais externos (pénis, vulva e vagina) não são esclarecedores e os próprios cromossomas e genes podem levar a opções precipitadas que condicionam a vida da criança.

Os médicos deixam também de ter de fazer operações demasiado prematuras nos casos em que, por exemplo, as crianças nascem com os dois genitais e em que se escolhe remover um sem se perceber ainda em que sentido se vai desenvolver o bebé – o que gera mais tarde grandes problemas de identificação.

Por agora fica por esclarecer o impacto que a nova lei terá nos futuros casamentos e uniões de facto, visto que não estão ainda definidos prazos para decisões sobre eventuais passagens para os tradicionais sexos “feminino” e “masculino”.

publico.pt

LEIA TAMBÉM

João Dinis acusa CM de Oliveira do Hospital de “negligência continuada” em estrada municipal

O membro da Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca …

Dois detidos em flagrante em Tábua por cultivo de cannabis

O Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial da Lousã deteve, ontem, dois homens com …