Biblioteca Municipal não atrai ao domingo

 

A Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital abriu portas há menos de dois meses e já se viu forçada a um ajustamento no horário de funcionamento.

O espaço que até aqui podia ser frequentado ao domingo à tarde, passa agora a estar encerrado naquele dia, passando a estar aberto ao sábado no período entre as 15h00 e as 20h00.

“Não se justificava manter a Biblioteca aberta ao domingo”, afirmou ontem a vereadora da Cultura e Educação da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital que, numa análise aos números relativos à frequência do espao inaugurado a 10 de junho, verificou que a biblioteca não constitui um ponto de atratividade ao domingo.

Graça Silva explicou, contudo, que houve um período em que o espaço foi muito procurado ao domingo e, que correspondeu à época de exames dos alunos da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital.

A funcionar num moderno edifício resultante da requalificação da antiga casa dos magistrados, em pleno centro da cidade de Oliveira do Hospital, a Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital tem associada uma frequência média diária na ordem das seis dezenas de visitantes.

Graça Silva sublinhou, no entanto, que o espaço já assistiu a picos de frequência diários que se situam nos 210 e 270 visitantes. Deu ainda o exemplo concreto da recente comemoração do Dia dos Avós, que levou mais de 150 crianças ao espaço da nova Biblioteca, permitindo o convívio entre crianças e idosos.

A Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital disponibiliza uma diversidade de conteúdos e de suportes de conhecimento e, está aberta de segunda a sexta-feira das 10h00 às 20h00 e ao sábado das 15h00 às 20h00. O espaço encerra ao domingo e feriados.

LEIA TAMBÉM

Capoula Santos apresentou em Oliveira do Hospital novas medidas de apoio aos agricultores afectados pelos fogos

O Ministro da Agricultura apresentou, ontem, em Oliveira do Hospital, as novas medidas de apoio …

O “Ciclone de Fogo” varreu aquela noite que o foi de (quase) todos os medos… Autor: João Dinis, Jano

Naquela noite de (quase) todos os Fogos e de (quase) todos os medos, morreu Gente …