BLC3 não convence oposição na Câmara Municipal de Oliveira do Hospital

 

A BLC3 – Plataforma para o Desenvolvimento da Região Interior Centro está longe de convencer os elementos da oposição na autarquia oliveirense.

Perante uma proposta de atribuição de subsídio no valor de 15 mil Euros, destinado a apoiar a atividade daquela estrutura localizada na Zona Industrial da cidade, no âmbito dos três projetos recentemente aprovados pelo QREN– desidratação da pêra passa, queijo serra da estrela e truficultura – os três elementos da oposição seguiram a via da abstenção, acabando a proposta por passar com o aval do executivo em permanência.

O vereador do PSD foi o primeiro a apontar o dedo à proposta, esta tarde colocada em cima da mesa, questionando no imediato o executivo de José Carlos Alexandrino se iria recair sobre o município o investimento de 352 mil Euros de capital próprio para a execução dos três projetos.

Muito crítico em relação aos projetos em causa, em particular ao ligado à desidratação – verificou que apenas conhece um único produtor de maçã no concelho e que, por sinal, até pertence ao Conselho de Administração da BLC3 e que o mesmo projeto se arrasta na universidade de Aveiro “há mais de seis anos” – Mário Alves questionou os resultados práticos dos mesmos, no que à geração de emprego e de riqueza diz respeito.

Pouco convencido dos ganhos resultantes das parcerias estabelecidas com as universidades – “hoje são maus parceiros, só servem para alimentar teses”, frisou – o social-democrata criticou o dinheiro que o país tem “desbaratado com coisas desta natureza, que não têm aplicação prática e não geram empregabilidade e riqueza”.

“Os projetos são bem vindos se tiverem a montante produção de riqueza”, disse, recuando no tempo para recordar os apoios dados a jovens agricultores e que acabaram por não ter resultados práticos. Votando pela abstenção, Mário Alves reiterou aquela que vem sendo a sua postura relativa à BLC3. “Continuo a não acreditar e espero que o tempo não me dê razão e que isto não seja um meio de dar sumiço a milhares e milhares de Euros”.

Mais cauteloso nas palavras, o vereador do movimento independente “Oliveira do Hospital Sempre” justificou o voto pela abstenção com o facto de desconhecer os parceiros com que a BLC3 conta para conferir viabilidade a cada um dos projetos. “Até se pode fazer uma linha de desidratação e embalamento e depois não haver fruto”, exemplificou José Carlos Mendes.

“Até agora não têm havido transferências exageradas”

Logo demonstrando disponibilidade para que o executivo reúna com o Conselho de Administração da BLC3, para se inteirar dos pormenores afetos a cada um dos projetos, o presidente da Câmara Municipal garantiu que, até ao momento, “não têm havido transferências exageradas” de verbas para a BLC3, mas defendeu que o apoio à estrutura deverá constar do plano e orçamento de cada ano, com o objetivo de “ajudar a alavancar” a plataforma.

“O ideal é que a BLC3 se torne sustentável”, disse José Carlos Alexandrino, chamando a atenção para o apoio que a estrutura tem dado a jovens agricultores do concelho e de Arganil, no sentido de tornar viável o projeto da desidratação. “O engenheiro António Campos não tem interesse nenhum nesta área, porque ele tem a produção toda vendida às cooperativas com que trabalha”, informou o presidente, sem deixar de criticar a avaliação que Mário Alves fez das parcerias com as universidades.

“Pela sua mentalidade, hoje o Biocant em Cantanhede não existia e é hoje um importante parceiro a nível internacional”, registou o presidente.

Compreendendo a “dúvida e o ceticismo” que a inovação tende a gerar, o vice-presidente da autarquia oliveirense informou Mário Alves que os projetos e respetivas candidaturas não estão a ser dinamizados por “ignorantes”. “Todos os projetos foram avaliados pelos conselhos diretivos do QREN em Portugal”, referiu José Francisco Rolo elencando o conjunto de entidades que já veio a público reconhecer o potencial da BLC3, destacando também o recente elogio público feito pelo presidente da CCDRC, Pedro Saraiva.

LEIA TAMBÉM

Líder parlamentar do PSD questiona António Costa sobre a reconstrução das casas afectadas pelos incêndios.

O líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, pediu ontem explicações ao primeiro-ministro sobre o reduzido número …

Presidente da Câmara de Oliveira do Hospital garante verba ainda desconhecida para reconstrução das segundas habitações depois de questionado pelo vereador do PSD

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, disse hoje que …