BLC3 vence prémio RegioStars com projecto “Centro Bio: Bioindústria, bio refinarias e bio produtos”

O projecto da BLC3, uma empresa sediada em Oliveira do Hospital, venceu hoje o Prémio da Comissão Europeia RegioStars na Categoria “Crescimento Sustentável: Economia Circular” com o projecto “Centro Bio: Bioindústria, bio refinarias e bio produtos”. O anúncio foi feito hoje na cerimónia de entrega dos Prémios RegioStars 2016, em Bruxelas, um concurso promovido pela Comissão Europeia aberto a todas as regiões da União Europeia que tenham beneficiado de investimentos desde 1 de Janeiro de 2000. Este evento, recorde-se, já distinguiu vários projectos portugueses em anos anteriores.

“Estou especialmente contente por Portugal ganhar o prémio RegioStars numa das categorias. O Centro Bio é sobre reciclagem, uma temática que é muito importante para o nosso planeta e para os nossos cidadãos. Além disso, este projecto mostra que a inovação funciona não apenas nas grandes cidades, mas também nas zonas rurais. E é algo que representa o futuro para todos nós” afirmou a Comissária europeia de Política Regional, Corina Cretu.

“O projeto centro bio foi lançado com o apoio dos fundos estruturais e de investimento. Sem este apoio e financiamento não seria possível chegarmos a este nível. O Centro Bio é uma infra-estrutura tecnológica para desenvolver conhecimento e para desenvolver a solução da resolução dos grandes incêndios florestais”, afirma o presidente da BLC3 João Nunes.

A presidente da CCDR do Centro, Ana Abrunhosa, destacou o facto de este projecto permitir “criar valor e mercado para produtos que hoje não têm valor”, pegando em “sobras agrícolas, matos florestais, produtos de terrenos incultos e resíduos” e transformando-os “em matéria-prima para a bio-refinaria”. “É uma característica muito especial, que torna este projecto querido para nós”, frisa Ana Abrunhosa. A responsável não tem dúvidas de que a sua concretização terá impactos positivos ao nível ambiental e contribuirá para diminuir o problema dos incêndios florestais na região Centro, que concentra “40% da floresta do país” e onde “os terrenos foram sendo abandonados”.

A presidente da CCDR do Centro aponta também a iniciativa em marcha em Oliveira do Hospital como geradora de emprego e como potencial incentivadora do surgimento de “novas actividades económicas e de novos empreendedores”. Algo que, observa, pode ser um contributo importante para fixar população no concelho.

O Centro Bio foi um dos eleitos entre os 23 finalistas de toda a Europa. O projecto da região centro do país, que representa um investimento público-privado de 9,2 milhões de euros, já ganhou três prémios de excelência, deu impulso para a criação de 24 subprojectos de Investigação e Desenvolvimento, viu a criação de quatro spin-offs e de seis novas empresas, bem como de um investimento de 125 milhões de euros (acompanhado pelo Banco Europeu de Investimento). Também apoiou a criação da All – Associação Portuguesa de Bio-economia e Economia Circular, fazendo a ligação entre a sociedade e as partes interessadas, assim como a criação de 38 projetos de empreendedorismo académico, envolvendo 2360 jovens.

O concurso RegioStars é lançado anualmente com o objetivo de reconhecer as boas práticas no desenvolvimento regional e de distinguir os projectos inovadores apoiados pelos fundos da política de coesão da União Europeia que tenham um impacto positivo na vida dos cidadãos. Os critérios de selecção são: a inovação, o impacto, a sustentabilidade e a parceria. Em sintonia com as prioridades da Comissão Europeia, liderada por Jean-Claude Juncker, os projectos distinguidos centram-se no crescimento e investimento, através de políticas visionárias que conduzam a um crescimento económico inteligente, sustentável e inclusivo.

Vários projectos portugueses foram já distinguidos com este prémio em anos anteriores. Em 2014, o projecto “Art on Chairs” venceu a categoria de crescimento inteligente; em 2013, na mesma categoria, foi a vez do UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e de Portrait; e em 2011, o projecto do Funchal CIVITAS MIMOSA arrecadou o prémio na categoria de CityStar, Transportes Urbanos Limpos Integrados.

 

LEIA TAMBÉM

PSD e CDS/PP de Oliveira do Hospital solidários com vítimas da tragédia de Pedrogão Grande

O Partido Social Democrata de Oliveira do Hospital e o CDS/PP manifestaram–se ontem solidários com …

Nelo Silva é o candidato da coligação liderada pelo CDS à Bobadela

A coligação “Construir o Futuro”, liderada pelo CDS, e que integra o MPT e o …

  • Guerra Junqueiro

    Mais um prémio para projectos.
    Ficaram impressionados com a qualidade dos fornecedores e com os preços dos fornecimentos, em especial das velas dos geradores.
    Quando vamos ter a honra e o prazer de ver esta geringonça a funcionar? Está difícil.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

    • Hossana, lá nas alturas!

      Convenhamos:
      – Acaso Bartolomeu, o de Gusmão, se ao seu tempo prémios houvesse, naquelas disciplinas, teria sido um dos primeiros portugueses a ganhar prémios, muito depois da Afonso Henriques, e medalhas, mesmo sem estudos universitários, mesmo sem dinheiro, esses que sempre deram , e dão, canudos e afins, depende da carteira, e avanço na carreira, (de oportunista!) com provas obrigatórias a domingos, tal a pressa, pois que , de um ano para o outro, sabe-se lá, até um dia do mês que foi domingo pode mudar para segunda-feira – sabemos que, desde o seu tempo, até hoje, mesmo a título póstumo, Leonardo da Vinci , e tantos outros mais , não dariam hipóteses, ainda hoje, a ninguém , que é como quem diz, “inventaram tudo aquilo que havia para inventar “…;
      – Tempos Contemporâneos – Tempos Modernos é título de obra cinematográfica que nunca mais ninguém viu, ou ouviu falar, tal como o Grande Ditador…que são, na modernidade, assuntos para esquecer. Convém. Bethoven lá ficou, quase que emprestado, a entregar à Europa – e aos seus burocratas – um hino – são estes que vivemos e em que, em directo, tanto assistimos a alta competição, olímpica e paralímpica, de corpo são, ou menos são, em mente sã, ou menos sã, como assistimos, em directo, à atribuição de um prémio, seja Nobel, ou de medalhas que agraciam as individualidades que, por eleição, se destacaram na vida pública de um concelho, ou de um país, ou do mundo…ou em prémios.
      – De qualquer modo, ao modo romano, glória aos vencedores e honra aos vencidos.
      É gratificante, para qualquer Português, que aqui aguenta a pastilha dos dislates dos outros, saber que alguém ganhou um prémio.
      O mais complicado, para quem gosta de conhecer, que é curioso, é saber porquê e para quê.
      Até porque , ao que parece, há muitos milhões de euros em jogo – não em casino, ou bolsa, ou nesse aventureirismo que permite, a alguns, poucos, ganhar muito e, quando há factura a pagar, pagam os restantes milhões de cidadãos que, sem saber ler ou escrever, são , democraticamente, chamados a pagar os negócios mal feitos, sem deles nunca terem tido um único benefício.
      Tal projecto, agora premiado, parece que foi congeminado e executado noutros tempos…eventualmente, até o pensamento para o seu financiamento – chorudo!
      Acreditamos que agora, em termos de ficção – o velho do restelo, bem vistas as coisas, até teria a sua razão! – poderá ser um grande prémio. Apenas.
      O futuro, esse, segundo a bitola de quem o mede, aos milhões de euros pertence. E à União Europeia, essa interminável fonte de euros que tanta terra queimada, e mar, deixa neste país.
      Os milhões é que interessam – a alguns.

    • Punhos

      O seu monte se estrumezinho cobretinho de larvas… vê se mudas o discruso!
      Já me enjoas!
      Tu que tudo fizeste para incubrir a morte de um funcionario teu, que morreu em circunstâncias por explicar, tens muiton “EU” para vires aqui parir ideias peregrinas.
      Agora não te esqueças de apagar este comentario como fazes.

    • CBS

      Sabes quel é a geringonça que queres ver funcionar? Essa não é das comptências da BLC3 nem da ciência por enquanrto. Ainda ninguém inventou novos cerebros para se transplantar em cabeças de porcos!!!

  • Jorge Oliveira

    Parabéns Oliveira do Hospital.
    Parabéns Carlos Alexandrino, parabéns João Nunes.
    O reconhecimento agora feito pela Comissão Europeia é o maior jamais feito a qualquer iniciativa do nosso concelho.

    • António Lopes

      Porreiro…! Como sui dizer-se “quanto maior é a subida maior é a queda…Em Fevereiro de 2012, estive quase a agendar uma intervenção do Senhor Eng.João Nunes , para anunciar a atribuição de 118 milhões, creio que era esta a verba.Só que “bio. bio. bio”, mas “mio mio”, quero dizer “milho” vieram uns três milhões, que foram gastos como todos sabemos…aqueles que querem saber.O “Jorge Oliveira ” não quer saber do preço.Quer é saber da festa…perdão, do reconhecimento. Enfim… a marca e modelo dos geradores, isso, é que !tá queto”

      • aponta o patife

        Era uma vez…
        Um Lopes que gostava de mamar nas tetas dos politicos, mas o politicos nao lhe deram mais teta… ele passou a gostar de rabos e nisto juntou um Albuquerque ao serviço e juntos fizeram um comboio.
        Mas sabes o que mais gosto de vir aqui fazer?
        É vir ca lembrar de que agora vives de senhas de almoço que a câmara te dá para comer. Querias ter tido a categoria de teres feito uma BLC3 e não fizeste mais do que mamar em tetas, dar o rabo e lamber botas,
        Es patetico a todos os níveis, Tenho dó de ti nas vezes em que me cruzo com esse ar decrépito e dacadente..
        Ainda à uns dias me cruzei contigo no Pingo Doce e estavas a contar as moedas para pagar o pão.
        De facto cresceste a custa dos outros, de desvios de de caminhos negros como a mafia e a currupção te deram espaço e quando caíste na caca não estava la ninguém para te apoiar. Os que compraste como amigos, riram se de ti e vêm para aqui tecer te insultos.
        Es uma lesma, um resto de gente e uma sombra que anseia ser o que os outros são.
        PATETICO devia ser o teu nickname!

    • Milhões

      Não sabemos, veja lá, a quem se destina o seu louvor. Dois, num.
      Cuidado.
      Então é baralhar e dar?
      Não se trata de um jogo de sueca, ou de bisca lambida…(Mário Alves era mais do que experto!) ou doutrina dada por Quim Barreiros…ou ou mescla de casino…ou jogos de CEE/UE, com o socratino-mor à vanguarda….
      Sr Jorge Oliveira:
      – Congratulemo-nos, segundo o seu entender, com os resultados de prémios que nunca mais ninguém mais terá:
      1. De verdade?
      2. Como?
      3.Porquê?
      4. Para quê?
      O sr parabenisa, creio, identidades (2!) completamente distintas:
      – A ciência….e o dinheiro, menor, o de uma câmara municipal – cheia de dívidas. Vale a pena recordar, mal empregue.mas que, valendo o que vale, é aquele que manda.
      E, às vezes, mesmo quem manda, manda mesmo mal.
      Parabeniso-o, a si também, pelo elevado esclarecimento que manifesta de todas as questões que a BLC3 levanta…no passado, no presente e no futuro.
      – Para quem se interessa pelas questões da História, recordemos, por exemplo, a Carta do Achamento do Brasil:
      – Se a armada de Pedro Cabral não levasse um escriba, nem hoje, de tal descobrimento, saberíamos;
      – Como quem diz: se não fosse a sua opinião. nem hoje, saberíamos qual a função de tal coisa, essa, de BLC3…
      Prezado:
      – Afinal, hoje, isto é, amanhã, o que será a BLC3?
      – Um coio de inergúmenos, qual registo da Regeneração,atrasada de 200 anos, com tiros de um lado, ou de outro, com muito dinheiro à mistura, ora dou eu, ora dás tu, ora ganho eu, ora ganhas tu, ora impressiono eu, ora impressionas tu, com os deslumbres todos?
      Sei que me dirão que sou invejoso….
      Que é por isso que escrevo.
      Que tenho milhões de invejas de tudo isso…da nóvel ciência…essa de endrominar tudo, e todos! E que, mais tarde ou mais cedo, me obrigam a “botar” voto num partido….ou casta….ou gurú.
      Como disse , doutouralmente um ministro, jamais.

      • lOque?

        O discurso do esquizofrénico?
        Eu ja te vi falar sozinho AL!! A coisa requer intervenção do especialista.

        • António Lopes

          Estava a orar, ao Altíssimo, para nos livrar desta praga parasitária, que se apoderou, com “cadedais” meus, do poder que nunca deveriam ter tido..! Se te tens aproximado, um pouco mais,terias ouvido a oração e constatado, in loco, que assim era..! Calai-vos que a “coisa” está a ficar preta..! Daqui a uns dias já sabeis..! Se não sabeis já…Depois conversamos..!

  • Maria Fernandes

    Parabéns BLC3…
    A melhor maneira de calares esta gente é fazeres aquilo que fazes melhor!
    Trabalhar!!
    Parabéns João Nunes, este reconhecimento que seja o inicio de muitos.

    • António Lopes

      Hoje , as “Marias” saíram todas à rua..! O gozo é que, por aqui, respiram liberdade…! Até podem ofender o “dono”..! Esperem pelo tombo..!

  • Fernando Lourenço

    Um orgulho para a Região!!
    Toma la António Lopes!
    Volta para debaixo da predra de onde saiste!

    • António Lopes

      Já assisti a propaganda mais refinada e a mentiras mais elaboradas.Onde é que está o “Pitrol”? Giestas e mimosas tenho algumas para oferecer, para ajudar a viabilizar o projecto. E quanto custa a vela de aquecimento? Ninguém me diz nem mostra uma desse preço..? 49% por 490 euros.Ninguém explica..? WhY..?

  • Alan Poe

    Muitos parabéns!!
    Dr. João Nunes estas de parabéns por arriscar num projeto tão complexo.
    Jose Carlos Alexandrino é de mais para perceberes, mas também o congratulo por ter arrsicado.
    Correio da Beira Serra, para vós so tenho insultos pela péssima qualidade jornalistica, falta de ética e bom senso. Mas se quem por la trabalha de correcto não tem nada, não vai longe.
    Mais uma vez PARABÉNS BLC3! JOAO NUNES! ALEXANDRINO E CONTINUEM A LEVAR PORTUGAL MAIS LONGE

    • António Lopes

      Amén..! Aconselho ir deitando os olhos a um empreguito porque, garanto, o estoiro está para breve..! E, mais não digo…! É que, depois, tudo se sabe..!

  • Patricia Figueiredo

    Um orgulho para os Portugueses e para a gente de bem!
    António Lopes espero que aprendas a estar calado!

    • António Lopes

      Qual “Patricia Figueiredo”? Conheço três. Admito que sim…Depois de morrer. Eu, não me comovo com propaganda nem falácias.Calma. Diz o Povo, na sua eterna sabedoria, que o “ultimo a rir é o que ri melhor”. SE a BLC não der prisões, então é melhor emigrar-mos todos. Admitindo que não vai ser o Juíz Alexandre a ser preso(não garanto), a justiça tarda mas chega.Estudei, muito, o Dr, Goebles, António Ferro e outros propagandistas de regime. O António Lopes sabe muito bem do que fala. Enquanto não me disserem a marca, o modelo e as características dos benditos geradores(E ainda não disseram) e por alma de quem se adjudicou esta maravilha premiada a empresas recém nascidas e “com aptidão para tudo”, fico na minha.Como disse, estive para agendar, de comum acordo,uma intervenção na Assembleia Municipal, do Senhor Engenheiro João Nunes,em Fevereiro de 2012, para ser anunciada a provação e concessão do financiamento dos 118 milhões. Ora , isto, foi há quatro anos e meio.Cá continuo, sentado, à espera.Isto é mais ou menos como as declarações do António Costa, quanto aos impostos.Parece que os vai aumentar e, parece, não se vai demitir… Mas , ele, disse que nunca , jamais em tempo algum e, se o tivesse que fazer se demitia..! O António Lopes, para aprender tem pouco.Sendo que, está sempre disponível.Como ensinou Lénine: “Aprender, aprender, aprender,sempre”..! Parece é que tem de se esquecer de ser sério..!

  • sueli

    Já vão ter um trabalhinho!!
    Bota a apagar os cometários positivosKKKKKKKKKK

  • João Albuquerque

    Projecto Centro-bio:
    Fund: ‘European Regional Development Fund’
    Operational Programme : ‘Centro’
    Programming period: ‘2007-2013′
    Project duration: ’04/2014 – 09/2015’
    Total Investment: ‘€3.159.000’
    EU Investment: ‘€2.640.000’

    O projecto acabou em setembro de 2015, já estamos quase em 2017 e nem um tojo foi transformado em petróleo.
    A geringonça comeu os 3,159 milhões e nem uma gota deitou. A Ana Abrunhosa com aquele seu jeitinho, sui generis para a difamação, segundo consta, candidatou este projecto que nasceu, cresceu e morreu sem que nada tenha trazido para Oliveira aos prémios REGIOSTARS 2016, e lá trouxeram mais um papel para encaixilharem, ou usarem para limpar o esfíncter.
    Vou deixar um link, onde podem ver que para ganharem o projecto tiveram a coregem de afirmar o seguinte:
    “O Projeto BioCentre (Bio-indústrias, biorrefinarias e bioprodutos) é um campus tecnológico e inovação com o objectivo de ajudar as regiões rurais com baixa densidade populacional para se tornar menos dependente de energia e matérias-primas.
    O campus BioCentre colabora com investigadores e empresas para pesquisar e investir em novos produtos e tecnologias inovadoras com base no modelo da actividade económica dentro de um circuito fechado – o que significa que os produtos podem ser reutilizados e reciclados, reduzindo o uso de energia e matérias-primas .
    O projecto, que representa um investimento público / privado de 9,2 milhões de euros, já ganhou 3 prémios de excelência, deu impulso para a criação de 24 sub-projectos de I & D, viu a criação de 4 spin-offs e 6 novas empresas e um investimento de seguimento de 125 milhões de euros (seguido pelo Banco Europeu de investimento).
    O projecto também ajudou na criação da Associação All-Portuguese Association of Bioeconomy and Circular Economy, ligando-o à sociedade e às partes interessadas, bem como a criação de 38 projectos de empreendedorismo académico, envolvendo 2360 jovens.”

    Reparem o prémio veio com as mentiras, entre outras, dos 9,2 milhões de euros de investimento publico/privado(onde?????), com um investimento de seguimento de 125 milhões de euros (quem é que o lá põe), envolvimento de 2360 jovens (devem ser os das escolas que andam de volta do amianto).
    Enfim, mais uma grande mentira,com o selo já conhecido dos envolvidos na BLC3.

    João Albuquerque

    http://ec.europa.eu/regional_policy/pt/regio-stars-awards/?Allnews=true

    • António Lopes

      João: Como sui dizer-se: “Ensaboar a cabeça a burros é perder o tempo, a água e o sabão..! Da-lhes corda…

    • António Lopes

      Farta-mo-nos de “dizer mal”, dizem que vão queixar-se ao Ministério Publico, agora que estou falido, até me dava jeito ter cama, mesa e guarda na porta mas, nada..!

      Lá é que eu os queria…mas não me dão a chance.Já que não se queixam,vamos esperar pelas respostas das minhas…

      • João Albuquerque

        Dizer as verdades que eles não gostam de ouvir.
        Quanto a levarem-no a tribunal, esqueça, Ainda tinham que mostrar os documentos e depois ia tudo de charola antes do tempo.
        Hoje na reunião de câmara foi de rir, o Sr presidente tentou por todos os meios valorizar a porcaria que tem em Lagares, e que é da sua responsabilidade. Já lá estoirou mais de um milhão de euros, do dinheiro dos oliveirenses. Os outros milhões que lá se volatizaram são de todos os portugueses.

        João Albuquerque

  • joão dinis, jano

    João Dinis, Jano

    Sim. Estas BL Cês todas – e nem todas aparecem em público… – e respectivos “projectos” já são um problema nacional e daqueles que estendem tentáculos para fora das nossas (ex) fronteiras, inclusive das fronteiras da nossa imaginação… Vide o que acaba de acontecer nessa bruxelas dos nossos (des)enganos…

    É preciso afirmar, ontem, hoje e sempre, que, a ser como nos tem sido “vendida”, esta “coisa” da biorefinaria, se vier a consumar-s,«e, não será, “só”, um elefante branco, será uma autêntica manada de elefantes brancos (ou rosa ou da côr de uns determinados aventais…).

    Com que então, fazer “biodísel” a partir de matos e resíduos florestais ou outros ?! Para alimentar uma “manada” dessas, estamos já a ver, são precisos matos e resíduos incineráveis em áreas/quantidades astronómicas… E rapando-se as matas como quem lhes faz a barba, como se alimentarão as árvores que, sem árvores, não há nem floresta nem subprodutos florestais… E quem vai pagar todos os prejuízos causados pela “manada”, incluindo, claro, os faraónicos prejuízos financeiros ?? Só vejo uns candidatos a “tratadores da manada” e a pagadores de facturas:- nós, através do erário público… Da minha parte, recuso-me !

    Entendamo-nos:- esta “coisa” só poderá dar lucro – a quem decidir aprová-la em definitivo – a quem a construir e a quem a equipar – a quem a ficar a gerir…pelo menos enquanto durar a “manada”…

    Pró caraças…

    João Dinis, Jano