Bloco quer incluir vias da Serra da Estrela no quadro comunitário

O Bloco de Esquerda (BE) da Guarda defendeu hoje a inclusão dos Itinerários Complementares (IC) da Serra da Estrela nos investimentos a realizar no âmbito do quadro de apoio comunitário 2014-2020.

A Comissão Coordenadora Distrital do BE/Guarda exige, em comunicado, que o projeto de execução dos IC 6, 7 e 37 seja considerado “prioritário” em prol do desenvolvimento do território da Beira Serra e da Serra da Estrela.

No documento hoje enviado à agência Lusa, Marco Loureiro, coordenador distrital do BE, manifesta o seu desagrado pelo facto de o relatório do Grupo de Trabalho para as Infraestruturas de Elevado Valor Acrescentado não incluir a construção dos três IC, considerando que a decisão demonstra, “mais uma vez, a falta de compreensão dos sucessivos governos sobre a importância destes itinerários para o aumento da coesão territorial”.

“As populações destas regiões do interior merecem que as consecutivas promessas políticas, protagonizadas em vários períodos eleitorais, sejam de verdade cumpridas, possibilitando assim a criação de condições de crescimento e competitividade”, assinala o responsável.

A posição do BE/Guarda é tomada no dia em que o Movimento de Apoio à Construção dos Itinerários Complementares da Serra da Estrela (MAIS), acompanhado por autarcas e empresários da região, é recebido por todos os grupos parlamentares na Assembleia da República.

O MAIS pretende sensibilizar os partidos com assento parlamentar para que as vias da Serra da Estrela – IC6/IC7 (Oliveira do Hospital, Seia, Gouveia, Covilhã) e IC37 (Seia, Nelas, Viseu) – sejam “incluídas nas prioridades do Governo no âmbito do próximo quadro comunitário de apoio”.

lusa.pt

LEIA TAMBÉM

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …