A fadista Maria Ana Bobone é a convidada de honra neste sábado, às 22h00, de Sérgio Luís de Carvalho, o director científico do Museu do Pão que mensalmente conduz as tertúlias organizadas no bar/biblioteca daquele museu, em Seia.

Bobone, grande voz do fado, no museu do pão

Imagem vazia padrãoDe acordo com o site fado.com, Bobone – natural do Porto – conta já com uma nomeação para os "Globos de Ouro" na categoria de "Melhor Intérprete Individual" (1997) e participou em vários programas nos quatro canais portugueses de televisão.

Até à data, já pisou os principais palcos de Portugal e do seu palmarés internacional, constam actuações no Luxemburgo (1994), Copenhague (Dinamarca, 1996), Barcelona (Espanha, 1997), Suiça (1997), NJPAC (Newark, EUA, 1998), São Paulo (Brasil, 1999), La Baule (França, 1999), Cidade do México (México, 1999), de novo, nos E.U.A. (2000), Malmö (Suécia), Portonovo (Itália), Arzila (Marrocos) e Rotterdam (Holanda)-estas últimas em 2001.

Participou ainda em três concertos em memória de Amália Rodrigues (Casino da Figueira da Foz (Mar. 2000); Coliseu dos Recreios (Out. 2000); e escadinhas da Igreja de São Vicente de Fora (Jul. 2001). Também fez parte dos convidados musicais que participaram no espectáculo a propósito das comemorações dos 25 anos de Pontificado do Papa João Paulo II, para uma plateia de 40.000 pessoas.

O álbum, "100 Anos de Fado-vol. 2", com cinco fados seus, mereceu, por parte dos nossos melhores críticos, as mais entusiásticas referências. De assinalar a sua presença nos prestigiados Festivais de Música dos Capuchos (1999), de Monsaraz (2000), de Ancona (Itália, Junho de 2001) e da Casa de Mateus (Vila Real), em Agosto do mesmo ano.

Em 2002 apresentou uma série de 13 programas na RTPi, "Fados de Portugal", em que, além de entrevistar personalidades como Manuel Alegre, António Victorino de Almeida ou José Fonseca e Costa, cantou muitos dos seus fados e manteve animadas conversas com convidados em estúdio e telespectadores de todas as partes do mundo.

Desde então continuou apresentar o seu repertório em Portugal e no estrangeiro. Entre 2004 e 2005 grava o seu primeiro CD a solo, ao vivo, na Igreja da Graça, em Lisboa. "Nome de Mar", título do trabalho discográfico editado no início de 2006, conta com a direcção musical e arranjos de Ricardo Rocha, e com as participações de Filipa Pais e Tetvocal, entre outros.

Do repertório fazem parte alguns fados tradicionais bem como poemas de Manuel Alegre, Fernando Pessoa ou Miguel Torga.

LEIA TAMBÉM

Ministro Pedro Marques garantiu em Nelas que a aposta em infra-estruturas de transporte passa pela ferrovia e IP3, ignorando IC6 e IC12

O ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, assegurou ontem em Canas de Senhorim, Nelas, …

José Carlos Alexandrino lança suspeitas sobre queijeiras de Seia nas descargas ilegais no rio Cobral

Como regresso da chuva, os habitantes que vivem próximo do rio Cobral temem que voltem …