“Bom desempenho” financeiro afasta Oliveira do Hospital de empréstimo de mil milhões de Euros

 

… é reflexo do “bom desempenho” financeiro que chega a merecer o elogio do principal partido da oposição na Assembleia Municipal.

“Considero a situação financeira do município excelente”. A afirmação foi proferida sexta-feira à noite pelo líder da bancada do PSD na Assembleia Municipal, João Esteves que, em face dos números relativos à situação financeira do município cumpriu a sua habitual análise e não deixou de felicitar “o executivo pelo bom desempenho”.

Em causa está uma redução, em comparação com 2011, da despesa corrente na ordem dos 485 mil Euros e uma diminuição de mais de um milhão de Euros do total da dívida (5.901.196,23Euros a 31 de maio de 2012) em comparação com igual período de 2011 (7.172.650,08 Euros) . Desde o início deste ano, a dívida do município – a 31 de janeiro situava-se nos 7.043.768,25 Euros – registou igualmente uma redução na ordem de um milhão de Euros, situando-se no final de maio em 5.901.196,23 Euros.

Os números ,devidamente explicados à Assembleia Municipal pelo vereador Paulo Rocha que desde o início deste ano partilha a pasta de Administração e Finanças com o presidente da Câmara Municipal, enchem de satisfação José Carlos Alexandrino tomando em atenção as condições a que o município tem estado sujeito.

“Esta gestão é diferente porque nunca, em tempo algum, foi tão difícil governar a Câmara Municipal como hoje”, constatou o autarca oliveirense, referindo-se em concreto à diminuição da receita e à redução do FEF. Alexandrino fala de “um conjunto de situações adversas”, mas que em seu entender acaba por ser “relevante para se perceber que temos feito uma grande gestão”.

“Tenho grande orgulho na equipa que lidero”, continuou o presidente, fazendo questão de sublinhar o “grande trabalho” que está a ser desenvolvido pelo vereador Paulo Rocha recentemente admitido na equipa. “Permite-nos poupar centenas de milhares de Euros”, referiu Alexandrino dando assim como acertada a aposta que fez na admissão do ex social-democrata.

“Somos dos 50 municípios que não vamos ao empréstimo dos mil milhões”

Apesar das “adversidades”, Alexandrino notou ainda o facto de o município ter procedido à amortização de 650 mil Euros do empréstimo de cinco milhões contraídos na Caixa Geral de Depósitos e de a autarquia gozar de uma situação financeira que não a obriga a recorrer ao Programa de Apoio à Economia Local, consubstanciada numa linha de crédito de mil milhões de Euros, destinada aos municípios em “situação extraordinariamente difícil”.

“Somos dos 50 municípios que não vamos ao empréstimo dos mil milhões”, disse satisfeito o autarca, notando que se tal viesse a acontecer, tal medida representaria encargos maiores para os munícipes decorrente do obrigatório agravamento de impostos.

“Temos situação financeira controlada”, referiu satisfeito o presidente da Câmara Municipal que, à data, conta com menos um milhão e meio de Euros de receita, prevendo-se que o corte atinja os três milhões de Euros em 2013.

A boa situação financeira do município foi também apreciada pelo presidente da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital que, logo na abertura dos trabalhos”, criticou os que tentam criar “factos políticos”. “Este município deve três milhões e meio de Euros e isso não é nada”, constatou António Lopes, regozijando-se por o município oliveirense – conta com 2.374.704, 48 Euros em disponibilidades – não integrar o grupo das autarquias com a ‘corda na garganta” e de, por isso, não necessitar de recorrer ao pacote de mil milhões de Euros.

LEIA TAMBÉM

Primeiro-ministro vê nas biorefinarias uma “oportunidade” para aproveitar a floresta e elogia trabalho desenvolvido na BLC3

O primeiro-ministro destacou ontem na inauguração do Campus de Tecnologia e Inovação BLC3, em Oliveira do …

António Costa remete construção do IC6 para “quando haja condições financeiras”

O primeiro-ministro não se compromete com uma data para a construção do IC6 entre Tábua …