Caiu no conto do vigário e entregou quatro mil Euros de mão beijada

 

… com a vítima de 57 anos a entregar quatro mil Euros a uma dupla de burlões.

Não vai ser tão cedo que José Garcia, de 57 anos, vai esquecer o enredo em que esteve envolvido na manhã do passado dia 14 de maio.

Tudo começou, cerca das 09h00, através de uma abordagem aparentemente inofensiva, mas que chegou a ganhar contornos maiores, com a própria vítima a deslocar-se à freguesia onde habita S.Gião, para entregar quatro mil Euros a dois burlões.

Um acto que, de acordo com o comandante do Destacamento Territorial da GNR da Lousã, se afigurou como um negócio lucrativo para a vítima , a quem os burlões prometeram entregar uma mala com 30 mil Euros em dinheiro, onde inclusivamente chegou a avistar algumas notas de 50 Euros.

Inicialmente abordado por um indivíduo na casa dos 60 anos que lhe perguntou se conhecia determinada pessoa na cidade, José Garcia respondeu negativamente, mas não se conseguiu esquivar da “trama” que lhe estava a ser montada, com um segundo burlão, um pouco mais novo, a fazer uso do mesmo argumento.

Já no contacto a três, José Garcia tomou conhecimento da suposta mala com 30 mil euros, tendo até contado que na sua habitação, onde vive sozinho na Quinta da Campa, S. Gião, tinha quatro mil Euros guardados. Um dinheiro que se tornou apetecível aos burlões que convenceram a vítima a trocar os quatro mil Euros, pela mala com os supostos 30 mil Euros.

Segundo relato da vítima à GNR, o próprio se terá deslocado à sua habitação na viatura do burlão mais novo para ir buscar o dinheiro. No regresso à cidade, a troca implicou ainda que o homem se deslocasse ao posto dos correios para aquisição de um conjunto de selos tal como indicado pela dupla.

Já com os quatro mil euros em sua posse, a dupla aproveitou aquele momento para abandonar a vítima, não chegando a entregar nem mala, nem dinheiro a José Garcia. Só quando saiu dos CTT e deu pela ausência da viatura, é que a vítima se apercebera do esquema que lhe tinha sido montado, tendo apresentado queixa no posto local da GNR, cerca das 14h30.

Um caso que ainda se prolongou com a vítima a afirmar, com certeza, que a viatura usada pelos burlões se encontrava estacionada numa rua da cidade. Uma insistência que levou a GNR a rebocar o carro em questão, tendo depois constatado que o indivíduo burlado estava enganado e que o mesmo pertencia a um morador na cidade.

O modo de atuação da dupla que, segunda feira, vitimou José Garcia não surpreende o comandante do Destacamento Territorial da GNR da Lousã, que diz ser esta a típica abordagem dos burlões. O facto de naquele dia se realizar a feira em Oliveira do Hospital também não é meramente casual. “Em dias de feira, a população mais vulnerável desloca-se à cidade com algum dinheiro”, refere Armando Videira, notando que estas pessoas se tornam apetecíveis para os burlões.

No caso da feira de Oliveira do Hospital, o comandante do Destacamento da Lousã não deixa também de sublinhar para o perigo dos idosos aproveitarem o dia de feira (segunda-feira) para se deslocarem à cidade, para procederem ao levantamento das reformas que recebem a partir do dia 9 de cada mês. Os episódios de burla têm sido frequentes um pouco por todo o país.

O aumento desta prática já levou até a GNR a proceder à divulgação de material informativo, através do qual elucida para os sinais de burla e aconselha para práticas a seguir por parte das vítimas.

LEIA TAMBÉM

Dominado fogo que hoje se reacendeu em Tábua

O incêndio florestal que deflagrou na terça-feira no concelho de Tábua, que esteve em fase …

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Incêndio de Tábua reacendeu-se e mobiliza centenas de bombeiros

O incêndio que ontem deflagrou em Tábua, está novamente activo. O reacendimento aconteceu ao início da tarde …