Sábado, Março 25, 2017
Início - Economia - Call Center da Altice só se compromete a ficar 48 meses em Oliveira do Hospital e inicia actividade no multiusos do mercado municipal
Call Center da Altice só se compromete a ficar 48 meses em Oliveira do Hospital e inicia actividade no multiusos do mercado municipal

Call Center da Altice só se compromete a ficar 48 meses em Oliveira do Hospital e inicia actividade no multiusos do mercado municipal

A  Randstad, responsável pelo call center da Altice que entrará em funcionamento no próximo dia 3 de Outubro, irá assinar um protocolo com o município no qual, ao que o CBS apurou, só se compromete inicialmente a laborar em Oliveira do Hospital durante um período mínimo de 48 meses. As instalações iniciais da empresa serão na sala multiusos do mercado municipal da cidade, em regime de arrendamento.

O contornos do projecto foram hoje apresentados em reunião de Câmara pelo presidente José Carlos Alexandrino, o qual referiu também que o espaço actualmente designado não será uma solução definitiva, até porque, garante, a área não será suficiente para albergar os 200 trabalhadores que diz estarem previstos no protocolo que o município irá assinar com aquela empresa. Nesta fase inicial serão apenas recrutadas 58 pessoas.

A Câmara Municipal vai suportar a adaptação do espaço e equipamentos, cujos custos não foram divulgados, tal como não foi dado a conhecer o valor da renda a pagar pela empresa que irá diminuindo em função do número de trabalhadores contratados. O aluguer terá de um valor se forem apenas até 100 funcionários, reduzindo-se ao atingir os 150 e mais ainda quando chegar aos 200 ou mais. “Tudo tem a ver com o dinheiro que é injectado na economia local”, sublinhou o presidente da autarquia, frisando que Câmara Municipal terá direito a pedir uma indemnização se o número de funcionários a contratar não atingir as duas centenas.

O espaço da zona industrial, onde esteve instalada a BLC3, também esteve entre as opções de escolha como solução, mas, segundo o autarca, acabou por ser descartado pela Randstad. O CBS, contudo, sabe que as negociações sobre aquele espaço não avançaram devido ao preço e duração do contrato de arrendamento que foi exigido pelo proprietário. “O multiusos não é a solução definitiva, essa passa por criarmos uma situação alternativa capaz de acolher os 200 trabalhadores e salas de formação”, explicou José Carlos Alexandrino. A Randstad, recorde-se, está a proceder via on-line ao recrutamento dos futuros colaboradores.