Câmara avança com requalificação do mercado municipal e central de camionagem

 

O projeto foi aprovado ontem com duas abstenções e um voto contra.

O velhinho mercado municipal de Oliveira do Hospital vai ser requalificado. O espaço que desde há vários anos vem dando sinais de avançada degradação e que se tem revelado pouco atrativo quer para comerciantes, quer para clientes vai finalmente ser objeto de melhorias.

A certeza resulta da deliberação tomada na reunião do executivo, realizada ontem, e onde foi aprovado o projeto de requalificação daquele espaço, do qual também faz parte a desejada Central de Camionagem, que parte daquele edifício e se estende para o espaço da antiga feira mensal, atualmente utilizado para estacionamento.

O projeto que no início de abril não chegou sequer a ser colocado à votação por sugestão do vereador do PSD que defendeu a inclusão da Av Carlos Campos no projeto final, acabou por regressar à reunião daquele órgão, excluindo a requalificação daquela artéria da cidade, cujo projeto se encontra mais atrasado, e que o executivo remete para mais tarde.

Com um investimento estimado em cerca de um milhão de Euros, o projeto ontem aprovado vai de encontro a velhos anseios da população que, há largos anos, vem reclamando por um mercado municipal digno desse nome e da estação de camionagem que não existe em Oliveira do Hospital e já é uma realidade na esmagadora maioria dos municípios portugueses.

Uma obra que, após procedimento concursal, parte  para o terreno sem qualquer certeza de financiamento, perspetivando-se que o arranque das obras aconteça em setembro deste ano.

Ainda que determinante para o conforto financeiro do município, o não financiamento não deverá colocar em risco a execução do projeto, uma vez que é conhecida a postura do presidente da Câmara Municipal que, ainda recentemente, assegurou que esta é uma obra que não deixará de ser feita por falta de financiamento. A faltar continua porém a requalificação da Avenida Carlos Campos, uma artéria da cidade muito movimentada e com evidentes sinais de degradação, mas que segundo o executivo deverá entrar em obra no decorrer do presente mandato.

Ainda que até aqui a necessidade de requalificação do mercado municipal e construção da central de camionagem fosse partilhada por todo o executivo, o que é certo é que na hora da votação, o projeto acabou por merecer o voto contra do vereador do movimento “Oliveira do Hospital Sempre”, José Carlos Mendes,  e que justificou com a inexistência de financiamento comunitário para suportar a obra. Uma postura que deixou o vereador isolado, com a própria parceira de vereação, Telma Martinho, a abster-se na votação. Mário Alves, vereador do PSD, também seguiu o caminho da abstenção.

LEIA TAMBÉM

Dois detidos em flagrante em Tábua por cultivo de cannabis

O Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial da Lousã deteve, ontem, dois homens com …

GNR realizou ontem 40 detenções em flagrante delito, sete das quais por roubo

Apenas um elemento do grupo suspeito de vários crimes na zona Centro ficou em prisão

Dos cinco jovens, com idade entre os 22 e os 28 anos detidos pela PJ …