Câmara avança com requalificação do mercado municipal e central de camionagem

 

O projeto foi aprovado ontem com duas abstenções e um voto contra.

O velhinho mercado municipal de Oliveira do Hospital vai ser requalificado. O espaço que desde há vários anos vem dando sinais de avançada degradação e que se tem revelado pouco atrativo quer para comerciantes, quer para clientes vai finalmente ser objeto de melhorias.

A certeza resulta da deliberação tomada na reunião do executivo, realizada ontem, e onde foi aprovado o projeto de requalificação daquele espaço, do qual também faz parte a desejada Central de Camionagem, que parte daquele edifício e se estende para o espaço da antiga feira mensal, atualmente utilizado para estacionamento.

O projeto que no início de abril não chegou sequer a ser colocado à votação por sugestão do vereador do PSD que defendeu a inclusão da Av Carlos Campos no projeto final, acabou por regressar à reunião daquele órgão, excluindo a requalificação daquela artéria da cidade, cujo projeto se encontra mais atrasado, e que o executivo remete para mais tarde.

Com um investimento estimado em cerca de um milhão de Euros, o projeto ontem aprovado vai de encontro a velhos anseios da população que, há largos anos, vem reclamando por um mercado municipal digno desse nome e da estação de camionagem que não existe em Oliveira do Hospital e já é uma realidade na esmagadora maioria dos municípios portugueses.

Uma obra que, após procedimento concursal, parte  para o terreno sem qualquer certeza de financiamento, perspetivando-se que o arranque das obras aconteça em setembro deste ano.

Ainda que determinante para o conforto financeiro do município, o não financiamento não deverá colocar em risco a execução do projeto, uma vez que é conhecida a postura do presidente da Câmara Municipal que, ainda recentemente, assegurou que esta é uma obra que não deixará de ser feita por falta de financiamento. A faltar continua porém a requalificação da Avenida Carlos Campos, uma artéria da cidade muito movimentada e com evidentes sinais de degradação, mas que segundo o executivo deverá entrar em obra no decorrer do presente mandato.

Ainda que até aqui a necessidade de requalificação do mercado municipal e construção da central de camionagem fosse partilhada por todo o executivo, o que é certo é que na hora da votação, o projeto acabou por merecer o voto contra do vereador do movimento “Oliveira do Hospital Sempre”, José Carlos Mendes,  e que justificou com a inexistência de financiamento comunitário para suportar a obra. Uma postura que deixou o vereador isolado, com a própria parceira de vereação, Telma Martinho, a abster-se na votação. Mário Alves, vereador do PSD, também seguiu o caminho da abstenção.

LEIA TAMBÉM

Seia investe 7 mil euros na distribuição de cabazes de Natal pelas vítimas dos incêndios

A Câmara Municipal de Seia está a proceder à distribuição de cabazes de Natal pelas …

Álvaro Amaro quer Hospital Sousa Martins da Guarda como unidade universitária

ERS concluiu que o Hospital da Guarda “falhou” no caso da grávida que perdeu bebé em Fevereiro

A equipa de urgência na Unidade Local de Saúde da Guarda “falhou no atendimento” de …