Câmara de Oliveira do Hospital compra antiga ACIBEIRA por 150 mil Euros

 

O antigo centro de negócios, em Lagares da Beira, prepara-se ganhar novo fôlego. O complexo de cariz empresarial que representou um investimento de 2,5 milhões de Euros tem estado, desde há vários anos desativado, figurando como um lugar morto na freguesia de Lagares da Beira.

Um cenário que, dentro em breve, tenderá a mudar, resolvido que está o impasse em torno da aquisição do direito de superfície do espaço – pertence à Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo – por parte da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital que, ali, pretende instalar a BLC3 – Plataforma para o Desenvolvimento da Região Interior Centro e o projeto piloto da BioREFINA – TER.

“Foi um grande negócio”, referiu José Carlos Alexandrino em reunião da última Assembleia Municipal, contando que o aval definitivo para o negócio foi dado na manhã da passada sexta feira por parte da Caixa de Crédito Agrícola que acedeu à proposta avançada pela autarquia de 150 mil Euros.

Um valor bem abaixo do inicialmente pedido por aquela instituição bancária que, no tempo do anterior executivo municipal colocou o valor da venda em 400 mil Euros. “O antigo presidente de Câmara chegou a propor 300 mil Euros”, contou o autarca, explicando que o montante agora proposto pelo município resultou de uma decisão tomada por todo o executivo “sabendo que os tempos estão difíceis e que a caixa teria dificuldade em vender a Acibeira”. Segundo contou, o valor agora solicitado pelo banco já se situava nos 200 mil Euros, acabando aquela instituição por ceder à proposta da autarquia oliveirense.

“Vai-se ali construir uma coisa nova”, disse satisfeito José Carlos Alexandrino, dando como certa a deslocalização da BLC3 da Zona Industrial para aquele espaço, por via de um protocolo de cedência àquela estrutura. De acordo com o autarca, a mudança vai acontecer com a recuperação de um dos atuais edifícios do antigo centro de negócios, havendo para o efeito um projeto da BLC3 com financiamento garantido. A restante requalificação do espaço acontecerá de forma faseada.

Os 150 mil Euros serão pagos à Caixa Central de Crédito Agrícola por quatro vezes. Os primeiros 50 mil Euros serão entregues no ato da escritura, devendo ser entregue montante igual em 2013, repartido por duas tranches de 25 mil euros a liquidar em maio e outubro. Para 2014 fica reservada a entrega dos últimos 50 mil Euros. “Não pagamos juros, nem comissões”, referiu ainda o presidente oliveirense, notando que a autarquia “está de parabéns” pela realização do negócio.

Notícias que deixaram satisfeito o presidente da Junta de Freguesia de Lagares da Beira. “Que o espaço deixe de ser um mamarracho e conduza a algum desenvolvimento”, disse Raul Costa.

Menos confiante na revitalização do espaço está o autarca de Vila Franca da Beira, descrente que está no sucesso do projeto da BLC3. “O BioREFINA -TER ainda vai ser um elefante branco 50 vezes maior do que a Acibeira, a não ser que o nosso dinheiro sirva para pagar isto”, afirmou João Dinis que se revelou insatisfeito com o destino que a autarquia oliveirense pretende dar ao antigo complexo empresarial. “O BioREFINA TER ainda é pior do que as PPP( parcerias público-privadas)”, disse em tom crítico.

Sujeita à votação da Assembleia Municipal a proposta de aquisição do direito de superfície foi aprovada por larga maioria, com duas abstenções.

LEIA TAMBÉM

Candidato do PSD a Travanca promete “um presidente para todos os dias e não apenas para o fim-de-semana”

O PSD apresentou ontem publicamente a lista candidata à Assembleia de Freguesia de Travanca de …

Festival “Origens” de Travanca de Lagos agendado para o próximo fim-de-semana

Os Jovens da Liga de Travanca de Lagos apresentam, de sexta-feira a domingo, mais uma …